Image Map











domingo, 13 de agosto de 2017

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 72)

Fonte da ilustração: jw.org

Entrada triunfal em Jerusalém (domingo, 9 de nisã de 33 EC)
(Unificação de Mat. 21:1-11, 14-17; Mar. 11:1-11; Luc. 19:29-44; João 12:12-19)
Ora, no dia seguinte, quando se aproximavam de Jerusalém, e chegaram perto de Betfagé[1] e Betânia, no monte chamado Monte das Oliveiras[2], Jesus enviou então dois de seus discípulos, dizendo-lhes: “Ide à aldeia que está ao alcance de vossa vista, e assim que entrardes nela,[3] logo achareis amarrada uma jumenta, e um jumentinho com ela, em que ninguém da humanidade ainda montou[4]; desatai-os e trazei-mos. Mas, se alguém vos perguntar: ‘Por que fazeis isso?’ tereis de falar deste modo: ‘O Senhor precisa deles, e os mandará logo de volta para cá.’ Com isso, ele os enviará imediatamente.” Isto aconteceu realmente para que se cumprisse o que fora falado por intermédio do profeta, que disse: “Dizei à filha de Sião: ‘Não temas, filha de Sião. Eis que o teu Rei está vindo a ti, de temperamento brando e montado num jumento, sim, num jumentinho, descendência dum animal de carga.’”[5] No princípio, os discípulos não fizeram caso destas coisas, mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que estas coisas estavam escritas a respeito dele e que lhe fizeram estas coisas.
Os discípulos enviados partiram então e acharam o jumentinho amarrado à porta, do lado de fora, numa rua lateral, exatamente como lhes dissera, e soltaram-nos. Mas, ao soltarem o jumentinho, os donos dele parados ali começaram a dizer-lhes: “Que estais fazendo? Por que soltais o jumentinho?” Disseram a estes exatamente o que Jesus dissera: “O Senhor precisa dele.” E deixaram-nos ir. Fizeram conforme Jesus lhes ordenara. E trouxeram a jumenta e seu jumentinho, E conduziram-nos a Jesus, e lançaram sobre estes as suas roupas exteriores, e Jesus se sentou nele.
Enquanto ele avançava, a maior parte da multidão estendeu suas roupas exteriores pela estrada, ao passo que outros cortaram ramos das árvores e os espalhavam pela estrada. Assim que chegou perto da estrada que desce do Monte das Oliveiras, a grande multidão que tinha vindo à festividade, ao ouvirem que Jesus vinha a Jerusalém, tomaram ramos de palmeiras e saíram ao encontro dele. A multidão, que estivera com ele quando chamou Lázaro para fora do túmulo memorial e o levantou dentre os mortos, concordemente, dava testemunho. Por esta razão, a multidão também foi ao encontro dele, porque ouviram que ele realizara este sinal.
Quanto às multidões, os que iam na frente e os que vinham atrás, [e] toda a multidão dos discípulos, principiaram a alegrar-se e a louvar a Deus com voz alta a respeito de todas as obras poderosas que tinham visto, [e] clamavam: “Salva[6], rogamos, o Filho de Davi! Bendito Aquele que vem como Rei em nome de Jeová! Sim, o rei de Israel! Bendito é o reino vindouro de nosso pai Davi! Paz no céu e glória nos lugares mais altos! Salva-o, rogamos, nas maiores alturas!” No entanto, alguns dos fariseus dentre a multidão disseram-lhe: “Instrutor, censura os teus discípulos.” Mas ele disse, em resposta: “Eu vos digo: Se estes permanecessem calados, as pedras clamariam.” Os fariseus disseram, por isso[7], entre si mesmos: “Observais que não conseguis absolutamente nada. Eis que o mundo foi atrás dele.”
E quando chegou perto, contemplou a cidade e chorou sobre ela, dizendo: “Se tu, sim tu, tivesses discernido neste dia as coisas que têm que ver com a paz — mas agora foram escondidas de teus olhos. Porque virão sobre ti os dias em que os teus inimigos construirão em volta de ti uma fortificação de estacas pontiagudas e te cercarão, e te afligirão de todos os lados, e despedaçarão contra o chão a ti e a teus filhos dentro de ti, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não discerniste o tempo de seres inspecionada.”
Entrando ele então em Jerusalém, a cidade inteira ficou em comoção, dizendo: “Quem é este?” As multidões diziam: “Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galileia!” E ele entrou no templo; e olhou em volta, para todas as coisas. E aproximaram-se dele no templo também cegos e coxos, e ele os curou. Quando os principais sacerdotes e os escribas viram as coisas maravilhosas que ele fazia e os meninos que clamavam no templo e diziam: “Salva, rogamos, o Filho de Davi!” ficaram indignados e disseram-lhe: “Ouves o que estes estão dizendo?” Jesus disse-lhes: “Sim. Nunca lestes o seguinte: ‘Da boca de pequeninos e de crianças de peito forneceste louvor’?”[8] E, deixando-os, visto que a hora já estava avançada, saiu com os doze para Betânia e passou ali a noite.

Explicação das siglas usadas:

EC: Era Comum.
gt: O Maior Homem Que Já Viveu.
it: obra Estudo Perspicaz das Escrituras, publicada pelas Testemunhas de JeováO número em sequência indica o volume.
w: revista A Sentinela. Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.

Notas:
[1] Do hebr., provavelmente significando “Casa dos Figos Temporãos”. Estava situada no monte das Oliveiras, perto de Jerusalém, e também perto de Betânia. A localização tradicional é entre Betânia e Jerusalém, na encosta SE do monte das Oliveiras. Deste ponto, a distância é curta até um dos cumes do monte das Oliveiras. Descendo dali, a cidade de Jerusalém estava à plena vista. (Luc. 19:37, 41) – It-1, p. 355.
[2] Cadeia de morros arredondados de calcário, situada do lado leste de Jerusalém, à distância da “jornada de um sábado” (890 m), e separada da cidade pelo vale do Cédron. Inclui três cumes principais. O cume central, defronte do monte do Templo, tem por volta de 812 m no ponto mais elevado e é aquele geralmente mencionado na Bíblia como o monte das Oliveiras. – It-3, p. 132..
[3] Os discípulos entraram em Betfagé. – gt cap. 102.
[4] Pelo visto, um animal que ainda não tinha sido usado era especialmente adequado para fins sagrados. (Núm. 19:2; Deut. 21:3; 1 Sam. 6:7) – w97 1/3 p. 30.
[5] Zac. 9:9.
[6] Ou, na linguagem atual, “salve”: interjeição que exprime saudação. Eles diziam, com efeito: ‘Saúda (cumprimenta, louva, felicita) o Filho de Davi.’
[7] Quer dizer, por ver a multidão ir ao encontro dele. – João 12:17-19.
[8] Sal. 8:2. 


O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *