Image Map











terça-feira, 5 de setembro de 2017

O que é removido em 2 Coríntios 3:14 – o “véu” ou o “antigo pacto”?


Cena do filme "Os Dez Mandamentos", de 1956

Lemos em 2 Coríntios 3:14: “Mas a mente deles [dos israelitas] ficou insensível. Pois até hoje, quando o antigo pacto é lido, o mesmo véu permanece sem ser levantado, visto que ele só é removido por meio de Cristo.”

No texto grego essa passagem encontra-se assim:

χρι γρ τς σμερον μρας τ ατ κλυμμα 
ákhri gàr tês sémeron heméras tò autò kálymma
até  pois o dia de hoje o mesmo véu

π τ ναγνσει τς παλαις διαθκης μνει 
epì tê anagnósei tês palaiãs diathékes ménei
acerca da leitura do velho pacto permanece

μ νακαλυπτμενον, τι ν Χριστ καταργεται:
mè analaluptómenon, hóti em Khristõi katargeítai:
sem ser descoberto, porque em Cristo é eliminado/removido

O verbo grego traduzido “é eliminado” ou “é removido” é katargéo. O verbo katargéo significa “tornar ineficaz (fazer perder o poder)” (Romanos 6:6), “inutilizar”, “anular” (Romanos 3:3), “desvanecer”, “eliminar” (1 Coríntios 13:8), “reduzir a nada” (1 Coríntios 1:28), “ser libertado (solto)” (Romanos 7:6) e, num sentido jurídico, “abolir”.  – Efésios 2:15.

Trata-se, portanto, de um verbo de ampla latitude de significado.

O que sofre a ação de katargéo em 2 Coríntios 3:14 – o “antigo pacto” ou o “véu”?

Os comentaristas estão divididos neste quesito. Alguns entendem que é o véu sobre o coração de Israel que é “removido” em Cristo. Por outro lado, outros entendem que é o “antigo pacto” que é abolido por meio de Cristo. Da mesma forma, tradutores e comissões tradutoras da Palavra de Deus também não são unânimes quanto ao entendimento dessa questão, o que, naturalmente, influencia a forma em que vertem essa passagem.

Como exemplo disso, veja as duas versões abaixo:

“Mas eles não queriam compreender e, até hoje, quando eles leem os livros da antiga aliança, a mente deles está coberta com o mesmo véu. E esse véu só é tirado quando a pessoa se une com Cristo.” – NTLH.

 “Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do Velho Testamento [Velho Pacto], o qual foi por Cristo abolido.” – ARC, ACF.


Das traduções consultadas, as que optam pela interpretação de que o véu é removido são estas:

Almeida Revisada Imprensa Bíblica, Nova Tradução na Linguagem de Hoje, Almeida Revista e Atualizada, Tradução Brasileira, Nova Versão Internacional, Bíblia Pastoral, O Livro, Sociedade Bíblica Britânica, Ave Maria, CNBB, American Standard Version, King James, Basic English, Lexham English Bible, New American Standard Bible, New Internacional Version, Webster, Afrikaans.

Das traduções consultadas, as que interpretam que o antigo pacto é que foi eliminado em 2 Coríntios 3:14 são estas:

Almeida Revista e Corrigida, Almeida Corrigida e Revisada Fiel, Imprensa Bíblica Brasileira, Darby, Reina Valera (espanhol), Sagradas Escrituras (espanhol).


OS ARGUMENTOS SOBRE AMBAS AS FORMAS DE TRADUZIR

Katargéo aplicado ao “antigo pacto”

Vejamos a essência dos argumentos dos dois lados da questão em pauta para fundamentar suas conclusões. Os proponentes da versão de 2 Coríntios 3:14 como se referindo ao “antigo pacto” ser “removido”, ou “abolido”, apresentam os seguintes argumentos:

1)   O verbo katargéo é aplicado em todo o contexto ao Decálogo. – 2 Coríntios 3:7, 11, 13.

“Ora, se o código que ministra a morte e que foi gravado com letras em pedras veio com tal glória que os filhos de Israel não podiam olhar para o rosto de Moisés por causa da glória do seu rosto, glória que seria eliminada [de katargéo].” – 2 Coríntios 3:7.

“Pois, se aquilo que seria eliminado [de katargéo] foi introduzido com glória, quanto maior seria a glória daquilo que permanece!” – 2 Coríntios 3:11.

“E não fazemos como Moisés, que colocava um véu sobre o rosto para que os filhos de Israel não fixassem os olhos no fim daquilo que seria eliminado [de katargéo].” – 2 Coríntios 3:13.

Portanto, aplicá-lo agora ao véu seria violar o contexto.

2)  2 Coríntios 3:16 utiliza outra palavra para a retirada do véu: periaireîtai, de periairéo.

“Mas, quando alguém se volta para Jeová, o véu é retirado [periaireîtai].” – 2 Coríntios 3:16.

3)  O verbo anakalýpto está na voz passiva (“sendo revelado”, ou “sendo descoberto”).

“O mesmo véu permanece sem ser levantado [de anakalýpto].” – 2 Coríntios 3:14.

Caso estivesse na voz ativa, “revelando”, haveria um significado perfeitamente satisfatório em entender que o véu é removido em Cristo: permanecendo o mesmo véu . . . não revelando o fato de que é removido em Cristo. Mas, não havendo, entender ‘o véu é eliminado’ não dá a verdadeira força do grego.

4) Entendimento de que o texto usa hóti (“que”, “porque”) e não ho ti (“o que”, “o qual”):

Para que soe mais coerente ‘o véu é eliminado’, ou ‘removido’, hoti (“que” ou “porque”) deveria ser ho ti [“o que”, “o qual”] no grego, referindo-se ao que imediatamente o antecede, isto é, ao véu. No entanto, parece mais coerente entender que Paulo usou hoti, e não ho ti. Afirma-se que a leitura dos melhores textos é τι (“que” ou “porque”), e não τι (“o que”, “o qual”). Assim, a permanência do véu simbólico sobre o entendimento dos judeus não lhes permite entender “que” o velho pacto foi por Cristo abolido.

5)  Mè anakalyptómenon (“não sendo descoberto”, “não sendo revelado”) não deve se referir a ‘o mesmo véu’.

Pois, caso assim fosse, em 2 Coríntios 3:15, Paulo deveria ter escrito “o véu” – com o artigo.

2 Coríntios 3:15:
λλ' ως σμερον νκα ν ναγινσκηται Μωϋσς 
all’ héos sémeron heníka na anaginósketai Moüsês
mas até hoje sempre que é lido Moisés

κλυμμα π τν καρδαν ατν κεται: 
kálymma epì tèn kardían autõn keîtai:
véu [sem o artigo] sobre os corações deles permanece:

Pela razão imediatamente citada acima, mè anakalyptómenon [“não sendo descoberto”, “não sendo revelado”] é tomado de modo absoluto, aposicional, como frase não ligada ao precedente [o véu], e hoti como “isso”, coerentemente entendendo katargéo [“eliminar”] como se referindo ao “antigo pacto”. Assim, mè anakalyptómenon [“não sendo descoberto”, “não sendo revelado”] tem a ver com o que se segue: “que é eliminado em Cristo”. É melhor tomar como um absoluto nominativo mè anakalyptómenon [“não sendo descoberto”, “não sendo revelado”]. A leitura fica assim: ‘Permanece o mesmo véu, sem ser revelado isso [ou: que] – em Cristo é eliminado [o “antigo pacto”].’

Em linguagem simples, a ideia é a de que o texto declara “permanece o mesmo véu”, finalizando a referência ao véu. A frase seguinte – “sem ser revelado” diria respeito ao que se segue: “que é eliminado (no caso, o “antigo pacto”) por meio de Cristo”.

6) Essa interpretação concorda com o mesmo discurso abordado por Paulo em suas outras cartas – o fim da Lei como um todo. – Romanos 10:4; Efésios 2:15; Colossenses 2:14.

“Porque Cristo é o fim da Lei, para que todo aquele que exercer fé possa alcançar a justiça.” – Romanos 10:4.

“Por meio de sua carne, ele aboliu a inimizade, a Lei de mandamentos em forma de decretos, para fazer dos dois grupos, que estão em união com ele, um novo homem, e fazer paz.” – Efésios 2:15.

“E apagou o documento manuscrito que consistia em decretos e estava em oposição a nós. Ele o removeu, pregando-o na estaca.” – Colossenses 2:14.

7)  Aplicar katargéo (“eliminar”) ao véu constitui um desvio da inteira passagem.

A razão pela qual o véu não é removido não é sua eliminação em Cristo, mas devido à dureza dos corações dos israelitas. Essa dureza os impedia de ver que o Decálogo (2 Coríntios 3:6, 7, 11) é eliminado em Cristo. O véu permanece sem ser desvelado, não porque ele é removido em Cristo, mas por causa da dureza de seus corações.

Katargéo aplicado ao “véu”

Por outro lado, os que interpretam que o véu é que sofre o efeito de katargéo, ou que “é eliminado” (“removido”), apontam as seguintes razões:

1) A semelhança do verso 14 com o verso 16:

“Visto que ele só é removido por meio de Cristo.” – 2 Coríntios 3:14, parte final.

“Mas, quando alguém se volta para Jeová, o véu é retirado.” – 2 Coríntios 3:16.

Também, a referência à remoção do véu no versículo 18:

“E todos nós, ao passo que com o rosto descoberto refletimos como um espelho a glória de Jeová, somos transformados nessa mesma imagem, com mais e mais glória, exatamente como Jeová, o Espírito, o faz.” – 2 Coríntios 3:18.

Assim, 2 Coríntios 3:14-18 mostraria os efeitos da remoção do véu, e não do “antigo pacto”: os que aceitam Jeová por meio de Cristo têm luz (esclarecimento).

2) 2 Coríntios 3:14 é uma declaração introdutória para os versículos 15-18.

“De fato, até hoje, sempre que Moisés é lido, um véu cobre o coração deles. Mas, quando alguém se volta para Jeová, o véu é retirado. Ora, Jeová é o Espírito, e onde está o espírito de Jeová, ali há liberdade. E todos nós, ao passo que com o rosto descoberto refletimos como um espelho a glória de Jeová, somos transformados nessa mesma imagem, com mais e mais glória, exatamente como Jeová, o Espírito, o faz.”

Esse contexto mostra o resultado da remoção do véu, e não do antigo pacto, para os que se voltam para Jeová (verso 15) mediante Cristo. – Verso 14.

3) O véu impede a interpretação correta por ocasião da leitura do “antigo pacto”, sendo, portanto, que tal véu é que tem de ser “removido” (katargeítai, de katargéo).

4) Hóti (“porque”) tem função de finalidade:

O véu permanece deitado sobre os corações dos israelitas, não sendo sequer levantado, porque somente é removido em Cristo.

Hoti, conjunção, isso, Mateus 2:16, 22, 23; 6:5, 16; também usado pleonasticamente na repetição de outras palavras, Mateus 9:18; Lucas 19:42; Atos 5:23; como uma partícula causal, para que, para, porque, Mateus 2:18; 5:3, 4, 5; 13:13; porque, sendo que, visto que, Lucas 23:40; Atos 1:17. – Léxico de Wesley J. Perschbacher.

5) Katargeítai, de katargéo, não está no perfeito (“foi eliminado”, “foi removido”), mas no presente passivo, “está sendo removido” em relação aos que estão prestes a ‘voltar-se para Jeová’.

Assim, não se refere ao “antigo pacto”, mas ao véu de obscuridade.

Faz diferença essencial o modo em que se traduz 2 Coríntios 3:14?

Afirmar que o véu é que sofre a ação de katargéo – sendo, portanto, tal véu “removido” – não desconstrói a linha argumentativa de Paulo em 2 Coríntios, capítulo 3, que era mostrar que o Decálogo, referido como “o código que ministra a morte e que foi gravado com letras em pedras” “seria eliminado”, ao passo que a “a ministração do espírito” (o novo pacto) é o que “permanece”. – 2 Coríntios 3:7-11.

Partindo do pressuposto de que é o véu que sofre a ação de katargéo em 2 Coríntios 3:14, a remoção de tal véu simbólico resulta no entendimento de que o Decálogo foi abolido junto com a inteira Lei dada a Israel.

Seguem abaixo outros artigos deste site que consideraram a passagem de 2 Coríntios 3:1-14:




APÊNDICE

Seguem abaixo os comentários e as respectivas fontes a respeito do entendimento de 2 Coríntios 3:14.

 O comentarista Ellicott afirmou:

[…] as palavras são mais bem traduzidas: o mesmo véu permanece na leitura do antigo pacto; o fato não sendo revelado (isto é, pela remoção do véu) que ele (o antigo pacto) foi desfeito em Cristo.[1] 

Para embasar sua conclusão, ele fez o seguinte comentário:

Há ainda um véu entre os ouvintes da Lei e seu verdadeiro significado; contudo, o véu já não está na face do legislador, mas em seus corações; e a razão disto é que, não sendo o véu retirado, eles não veem que a glória do pacto mais antigo é apagada pelo brilho do novo. É fazer violência ao contexto se referir ao véu com as palavras “é removido [abolido, eliminado]”, que através de toda a passagem é aplicado à própria Lei; e em 2 Coríntios 3:16 uma nova e apropriada palavra é usada para a retirada do véu. É, diz o Apóstolo, porque o véu do preconceito e da tradição os impede de ver a verdade que os judeus de sua época ainda pensam na Lei como permanente, em vez de olhar para ela como passando por um processo de extinção. O “Velho Testamento” é claramente usado, não como no sentido moderno, para o inteiro volume da Lei – Profetas e os Salmos, mas especialmente para a lei que foi a base do pacto. O outro, mas menos adequado, seria verter o véu . . . não retirado, pois ele (o véu) é removido em Cristo. Se houvesse alguma autoridade para dar uma força ativa à forma intermediária do verbo, poderíamos traduzir com um significado perfeitamente satisfatório, permanecendo o mesmo véu . . . não revelando o fato de que é removido em Cristo; mas, infelizmente, não há tal autoridade. O inglês, “cujo véu é eliminado”, não dá, em qualquer caso, a verdadeira força do grego.

De modo similar, os comentaristas Jamieson, Fausset e Brown se expressam na mesma vertente interpretativa:

[…]”o mesmo véu ... permanece [sem ser desvendado], de modo que eles não vejam QUE ISSO (não o véu, como na Versão Inglesa, mas ‘O Antigo Testamento’, ou pacto de ordenanças legais) é abolido (2Co 3:7, 11, 13) em Cristo”, ou, como Bengel, “porque foi abolido em Cristo”, isto é, não é abolido fora de Cristo: o véu, portanto, permanece, porque não se achegam a Cristo, quem os livra, com a lei como uma mera letra. Se uma vez vissem que a lei foi abolida nEle, o véu não estaria mais em seus corações ao lê-lo [o antigo pacto] publicamente em suas sinagogas.

O comentarista Meyer apresenta razões contextuais e gramaticais para sua postura[2]:

2 Coríntios 3:14 […] os judeus não contemplavam o fim do ministério mosaico, pois isso lhes foi tornado impossível, de fato, por Moisés e pela própria intenção deles. 
[…]
O mesmo véu é, naturalmente, para ser entendido, não de identidade material, mas simbolicamente da semelhança do obstáculo espiritual. Sem a figura o significado é: a mesma incapacidade para reconhecer o fim do ministério mosaico, que foi produzida entre eles então pelo véu de Moisés, permanece com eles até hoje, quando se lê o Antigo Pacto.
 Π Τ ΝΑΓΝΏΣΕΙ] [SOBRE A LEITURA] Paulo concebe a leitura pública do VT [Velho Testamento] todo sábado (Atos 15:21 ) como coberto com o véu que obstrui o conhecimento.
[…]
Τς παλΔιαθήκης ] [DO ANTIGO PACTO] Pois quando a lei de Moisés é lida publicamente , lê-se o antigo pacto (comp. 2 Coríntios 3:6 ) nela contido. Este é o conteúdo da leitura pública. Comp. 2 Coríntios 3:15ναγινώσκεται Μωϋσς παλΔιαθ. Não significa os livros do OT , como costuma supor. 
Μ ΝΑΚΑΛΥΠΤΌΜΕΝΟΝΤΙ Ν Χ. ΚΑΤΑΡΓΕΤΑΙ] [NÃO SENDO REVELADO QUE EM CRISTO É REMOVIDO] Estas palavras em si mesmas admitem duas explicações; a primeira refere-se ao particípio [νακαλυπτμενον; anakalyptómenen, “sendo levantado”] e ΚΑΤΑΡΓΕΤΑΙ [katargeítai, de katargéo] para Τ ΚΆΛΥΜΜΑ [o véu], e toma ΤΙ no sentido de porque, como especificando o contexto do μ νακαλ. [“não sendo levantado”] (Assim a maioria dos expositores mais antigos, e recentemente Fritzsche, Billroth, Schrader, Olshausen, de Wette, Neander, Hofmann, comp Ewald): sem ser descoberto, porque é aniquilado em Cristo (o véu), mas Cristo não é pregado para eles. 
Em ΝΑΚΑΛÝΠΤΕΙΝ ΚÁΛΥΜΜΑ
descobrir um véu, comp. LXX. Deuteronômio 22:29 : οκ νακαλύψαι συγκάλυμμα το πατρός . Mas contra este ponto de vista
(aΚΑΤΑΡΓΕΤΑΙ [KATARGEÍTAI, de katargéo] parece decisivo, o que, de acordo com o contexto (ver 2 Coríntios 3:112 Coríntios 3:13), não pode aplicar-se à retirada do véu, mas apenas à abolição do ministério mosaico, ou segundo a conexão de 2 Coríntios 3:14, à abolição do velho pacto, que é o objeto do ministério mosaico (comp. também Romanos 3:31 ; Efésios 2:15); e, portanto, Paulo, 2 Coríntios 3:16 , não usa ΚΑΤΑΡΓΕΤΑΙ [KATARGEÍTAI] para a remoção do véu, mas ΠΕΡΙΑΙΡΕΤΑΙ [PERIAIREÍTAI, “tirar”], que significa a mesma coisa que ΝΑΚΑΛÝΠΤΕΤΑΙ [ANAKALÝPTETAI, “descobrir”] . 
(b) Se μ νακαλυπτόμενον [“não sendo levantado”] se referisse a τ ατ κάλυμμα [“o mesmo véu”], então κάλυμμα [“véu”] no contraste introduzido por λλά [“mas”] em 2 Coríntios 3:15 seria necessariamente o mesmo véu, do qual Μ`H ΝΑΚΑΛÝΠΤ. [“não sendo levantado”] seria aqui dito, e Paulo deveria, portanto, em 2 Coríntios 3:15, ter escrito ΤÒ ΚÁΛΥΜΜΑ [“o véu”] com o artigo. Daí que o segundo método de explicação [171] seja preferido, segundo o qual o particípio é tomado absolutamente, e τι como isso, enquanto καταργεται [de katargéo] é referido ao παλδιαθήκη [antigo pacto], assim: enquanto não for divulgado (revelado), [172] permanece escondido dos judeus, que em Cristo o antigo pacto  foi abolido, que em Cristo – em seu aparecimento e em Sua obra – a  abolição do Antigo Pacto ocorre (Romanos 10:4 ; Colossenses 2:14). O conjunto é, portanto, uma definição prática mais precisa do anterior τ ατ κάλυμμα ... μένει. [“o mesmo véu … permanece”]. Este uso aposicional absoluto do particípio neutro (a ser considerado acusativo, embora visto por Hermann e outros como nominativo ) é usado no idioma grego atual em frases impessoais. Veja Hermann, ad Viger. P. 769; Bernhardy, p. 471; Krüger, § lvi. 9,5; Maetzner, ad Antiph. P. 176.
Portanto, Rückert não tem razão ao se referir a μ νακαλύπτ. [“não sendo descoberto”] para τ κάλυμμα [“o véu”], e ainda entender τι [que] como isso e καταργεται referente ao Antigo Pacto, pelo que a importação injustificada de um pensamento torna-se necessária, ou seja, para este efeito: “o mesmo véu repousa sobre a leitura do AT [Antigo Testamento] e não é erguido, para que ele (o povo) possa perceber que ele [o Antigo Testamento] tem o seu fim em Cristo”.
A tradução de Lutero (comp. Erasmus, Beza e Heumann) segue a leitura τι (Elzevir), que Scholz também retomou. Esse τι teria que ser explicado como quippe quod (velamen) [latim: para o véu], e daria da natureza do véu (Kühner, ad Xen. Mem. Ii., 1.30) a informação de por que permanece desvelado, – uma interpretação, contudo, a qual somente seria compatível com a primeira visão dada acima, e até mesmo isso seria desnecessário. 
Καταργεταιpresente; pelo fato de que em Cristo o Antigo Pacto é abolido, é estabelecido em forma teórica como um artigo de fé , como uma verdade que permanece velada dos judeus, enquanto eles não são convertidos a Cristo (2 Coríntios 3:16) . [170] 
  
O testamento grego do Expositor[6] comenta assim:

2 Coríntios 3:14
AV e RV (texto), enquanto traduzem a primeira parte da cláusula como fizemos, rendem τι ν ΧρΚαταργεται ”cujo véu é removido em Cristo”. Mas parece indefensável assim tomar  τι [o qual] como equivalente a  [o]. (3) Field chega ainda a outra versão tomando κάλυμμα per synecdochem [por sinédoque] para a coisa velada, que é aqui declarado ser o fato de que o Antigo Pacto é eliminado em Cristo. Ele torna “o mesmo mistério permanece não revelado, isto é, que ele é eliminado em Cristo”. Mas há uma objeção grave a isso, que τ κάλυμμα tenha que ser tomado em um sentido diferente do que tem em todo o restante da passagem. (4) Nós preferimos, portanto (com Schmiedel e Schnedermann), ler τι como τιpara, e considerar a frase τι ν χρΚαταργεται. [porque em Cristo é eliminado] como parentética: “até este dia o véu permanece sem ser levantado (pois é somente em Cristo que se acaba)”; ou seja , os judeus não reconhecem o desaparecimento da glória da Lei, que ainda está acontecendo diante de seus olhos. Como o Judaísmo foi completamente dissociado do Cristianismo na mente de São Paulo é claro a partir da frase impressionante παλαι διαθήκη [o antigo pacto]  (aqui apenas encontrada, mas veja 2 Coríntios 3:6), pelo qual ele descreve o sistema religioso de sua própria idade adiantada, o qual só tinha sido substituído por καιν διαθήκη [o novo pacto] trinta anos antes de escrever esta carta. 

A Bíblia de Cambridge para escolas e colégios[7]:

[…] permanece o mesmo véu sem ser levantado] A maioria dos comentaristas modernos, e alguns antigos, por exemplo, Crisóstomo, tomam as palavras proferidas sem ser levantado com o que se segue, e traduzem o mesmo véu permanece na leitura do antigo pacto, não sendo revelado que é removido em Cristo. As razões para essa prestação são: (1) que não é o véu, mas a Antigo Pacto com suas glórias, que é “removido em Cristo” (2), que São Paulo usa outra palavra no original para significar a remoção do Véu, e (3) que a dureza dos corações dos israelitas, e não a eliminação do véu em Cristo, é a razão pela qual o véu não é removido. Essa dureza de coração os impedia (1) de ver que o pacto Mosaico era temporário, e (2) que tal pacto] foi tornado desnecessário pela vinda de Cristo. Veja Atos 6:11 ; Atos 6:13 ; Atos 7:57 ; Atos 13:45 ; Atos 14:2 ; Atos 21:20-21 , & c.; 1 Tessalonicenses 2:14-16 . A palavra aqui traduzida “removido” é traduzida como “aberto”, ou seja, “desvendado” em 2 Coríntios 3:18.

Comentário do Púlpito[9]:

O mesmo véu. É claro que o significado é “um véu do qual o véu de Moisés é um tipo exato”. O véu que os impedia de ver a evanescência da luz que brilhava no rosto de Moisés era simbolicamente idêntico ao que os impediu também de ver o caráter transitório de sua Lei. Tinha sido tirado do seu rosto e colocado em seus corações (ver Atos 13:27-29Romanos 11). 
Há duas outras maneiras de verter este versículo: (1) ”Porque até este mesmo dia, na leitura do antigo pacto, o mesmo véu permanece desvelado; cujo véu foi removido em Cristo”, como na Versão Revisada, ou (2) ”O mesmo véu permanece, não sendo revelado que ele é removido em Cristo”, como é tomado por Crisóstomo e muitos outros, e na margem da Versão Revisada. Esta última parece ser a melhor visão. Não é o véu, mas o antigo pacto, que está sendo removido em Cristo. Para os judeus essa verdade ainda permaneceu sob um véu.
[…]
Na leitura do antigo testamento; antes, o velho pacto. Não há alusão ao Antigo Testamento como um livro , mas a frase é equivalente a “Moisés é lido” no versículo seguinte. (Sobre esta obstinação dos judeus, ver Romanos 11: 7, 8, 25.)
2 Coríntios 3:15 Mas até hoje, quando Moisés é lido, o véu está sobre o seu coração.
Versículo 15. - Quando Moisés é lido (Atos 15:21). O véu; em vez disso, um véu; um véu de obstinação moral, que os impede de ver o desaparecimento do antigo pacto, tão eficazmente como o véu sobre a face de Moisés impediu-os de ver (como São Paulo viu o assunto) o desaparecimento do brilho transitório na face de Moisés.
2 Coríntios 3:16 No entanto, quando se voltam para o Senhor, o véu será tirado. 16. Quando se voltam ao Senhor. O nominativo do verbo não é expresso. Obviamente a palavra mais natural para suprir é a última aludida, ou seja, “o coração de Israel”. O verbo pode ter sido sugerido por Êxodo 34:31. Será tirado; Literalmente, está em curso de remoção. Os tempos implicam que “no momento em que o coração de Israel se voltará para o Senhor, a remoção do véu começa”.

Estudos da Palavra de Vincent[10]:

O mesmo véu (τὸ αὐτὸ κάλυμμα)
A expressão que suas mentes foram endurecidas é realizada figurativamente. Há um véu sobre suas mentes quando a lei é lida, como havia sobre o rosto de Moisés. Eles ainda não podem reconhecer o fim do ministério Mosaico.
Sem ser removido (μὴ ἀνακαλυπτόμενον)
Rev[isada]., admiravelmente - dando a força de ἀνά sem ‘ser removido para cima’. Mas AV e Rev. interpretam desvendado com véu: ‘o mesmo véu permanece sem ser levantado’. Isto é censurável, porque καταργεῖται ‘é removido’ é usado em todo o capítulo da glória do ministério Mosaico, enquanto outra palavra é empregada em 2 Coríntios 3:16 para  retirada do véu. Além disso, a leitura dos melhores textos é ὅτι ‘que’ ou ‘porque’, e não ὅ τι ‘o que’ [‘o qual’]. Porque não é fiel ao fato, visto que o véu permanece sem ser desvelado, não porque ele é removido em Cristo, mas por causa da dureza de seus corações. É melhor, portanto, tomar μὴ ἀνακαλυπτόμενον ‘sem ser levantado’, como um absoluto nominativo, e render, ‘não sendo revelado que (o véu) está sendo removido em Cristo’. Isso cai naturalmente com o desvio da inteira passagem. O véu permanece em seus corações, uma vez que não lhes é revelado que a administração mosaica é abolida em Cristo.

O comentarista Barnes[3] apresenta as razões de preferir entender que o “véu” é que sofre a ação de katargéo:

Que véu é desfeito [removido] em Cristo - Na manifestação, ou aparição de Jesus, o Messias, o véu é removido. A obscuridade que repousava sobre as profecias e tipos da dispensação anterior é retirada; e como o rosto de Moisés poderia ter sido claramente visto se o véu em seu rosto tivesse sido removido, assim é com relação ao verdadeiro significado do Antigo Testamento [velho pacto] pela vinda do Messias. O que era obscuro é agora esclarecido; e as profecias são tão plenamente cumpridas nele, que sua vinda removeu a cobertura, e derrama uma luz clara sobre todas elas. Muitas das profecias, por exemplo, até que o Messias realmente aparecesse, pareciam obscuras e quase contraditórias. Aquelas que falavam dele, por exemplo, como […] sofrendo, e ainda reinando; como morrendo, e ainda assim como sempre vivo; como um poderoso Príncipe, um conquistador, e um rei, e ainda como um homem de dores; tão humilde e glorioso: tudo parecia difícil de ser reconciliado até que fossem  harmonizadas em Jesus de Nazaré. Então elas se tornaram simples, e o véu foi tirado. Cristo é visto para responder a todas as descrições anteriores dele no Antigo Testamento; e sua vinda lança uma luz clara em tudo que era antes obscuro.
 
Igualmente, Matthew Henry[4] adere a essa mesma posição interpretativa:

Aqueles que viveram sob a lei, tinham um véu em seus corações. Este véu é removido pelas doutrinas da Bíblia sobre Cristo. 

Observe essa possibilidade interpretativa em seus comentários adicionais:

Quando alguém se converte a Deus, então o véu da ignorância é tirado. A condição daqueles que gostam e creem no evangelho é feliz, pois o coração está em liberdade para executar os caminhos dos mandamentos de Deus. Eles têm luz, e com rosto aberto contemplam a glória do Senhor. 

Nesta mesma esteira, comenta Matthew Poole[5]:

[…]véu é removido em Cristo. É realmente tirado pela vinda de Cristo; isto é, o véu, que cobria o rosto de Cristo, está agora verdadeiramente removido na sua vinda; os tipos são assim preenchidos como seu complemento e antítipo; as profecias se cumprem nele, como aquele a quem elas se referem, e de quem os profetas falaram. Mas o véu, que repousa sobre os corações dos homens, não é tirado, até que eles venham a receber Jesus Cristo como o fim da lei para a justiça, para fechar com ele, e acreditar nele. Deus tirou o véu de Cristo, enviando-o pessoalmente para cumprir toda justiça; Mas Cristo nada aproveita as almas particulares, até que elas cheguem a crer nele, então [o véu] é tirado de suas almas, e não antes. Que era a razão pela qual ainda permanecia sobre os judeus, entre os quais ele veio, como entre os seus, mas não o receberam. 

Bengel's Gnomon of the New Testament[8]:

O véu não está agora na face de Moisés, nem em seus escritos; mas na leitura, enquanto liam Moisés, e isso também de modo a não admitir a Cristo; e também sobre o seu coração , 2 Coríntios 3:15 .
μένειμ νακαλυπτόμενονpermanece deitado sobre eles, de modo que não é realmente removido [ de modo que o véu não é sequer levantado].
τιporque ele não é removido , salvo em Cristo . [Mas Ver.Engl.  ”o qual véu é removido em Cristo.”] - Esta é uma declaração introdutória para as coisas que se seguem.
καταργεταιfoi abolido [eliminado]) o Antigo Testamento; Comp. 2 Coríntios 3: 7; 2 Coríntios 3:11; 2 Coríntios 3:13. Ele não diz, ‘foi abolido’, mas ‘está sendo removido’ em relação àqueles, que estão prestes a “voltar-se para o Senhor”.
 
Notas:
[1] Comentário de Ellicott para leitores ingleses. Disponível em: <http://biblehub.com/commentaries/2_corinthians/3-14.htm>.
[2] Comentário de Meyer NT. Disponível em: <http://biblehub.com/commentaries/2_corinthians/3-14.htm>.
[3] Barnes' Notes on the Bible. Disponível em: < http://biblehub.com/commentaries/2_corinthians/3-14.htm>.
[4] Concise Commentary de Matthew Henry. Disponível em: <http://biblehub.com/commentaries/2_corinthians/3-14.htm>.
[5] Matthew Poole's Commentary. Disponível em:< http://biblehub.com/commentaries/2_corinthians/3-14.htm>.
[6] Disponível em:<http://biblehub.com/commentaries/egt/2_corinthians/3.htm>.
[7] Disponível em: <http://biblehub.com/commentaries/cambridge/2_corinthians/3.htm>.
[8] Disponível em: <http://biblehub.com/commentaries/bengel/2_corinthians/3.htm>.
[9] Disponível em: <http://biblehub.com/commentaries/pulpit/2_corinthians/3.htm>.
[10] Disponível em: <http://biblehub.com/commentaries/vws/2_corinthians/3.htm>. 


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *