Image Map











domingo, 3 de setembro de 2017

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 75)

Fonte da ilustração: jw.org
(terça-feira, 11 de nisã de 33 EC)
Ilustração dos dois filhos
(Mat. 21:28-32)
28 “Que achais? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje no vinhedo.’ 29 Em resposta, este lhe disse: ‘Irei, senhor’, mas não foi. 30 Dirigindo-se ao segundo, disse-lhe a mesma coisa. Em resposta, este lhe disse: ‘Não irei.’ Depois deplorou isso e foi. 31 Qual dos dois fez a vontade do pai?” Eles disseram: “O último.” Jesus disse-lhes: “Deveras, eu vos digo que os cobradores de impostos e as meretrizes entrarão na frente de vós no reino de Deus. 32 Porque João veio a vós num caminho de justiça, mas vós não acreditastes nele. No entanto, os cobradores de impostos e as meretrizes acreditaram nele, e vós, embora vísseis isto, não o deplorastes depois, a ponto de acreditardes nele.
Ilustração dos vinhateiros assassinos
(Unificação de Mat. 21:33-46; Mar. 12:1-12; Luc. 20:9-19)
Então, principiou a contar ao povo a seguinte ilustração: “Havia um homem, dono de casa, que plantou um vinhedo e pôs uma cerca em volta dele, e escavou um recipiente para o lagar, e erigiu uma torre, e o arrendou a lavradores; e viajou para fora, por bastante tempo. Então, na época devida, quando veio a estação dos frutos, mandou seus escravos aos lavradores, para obter alguns dos frutos do vinhedo. No entanto, os lavradores tomaram os escravos dele, e a um espancaram e mandaram embora de mãos vazias, a outro mataram, a outro apedrejaram.
Mas ele repetiu isso e enviou-lhes novamente outros escravos, mais do que os primeiros, e a estes bateram na cabeça e desonraram, e mandaram embora de mãos vazias. Contudo, mais uma vez mandou um terceiro [grupo]; a estes também feriram, mataram e lançaram fora; e muitos outros, dos quais espancaram alguns e mataram outros. Ele tinha mais um, um filho amado. Em vista disso, o dono do vinhedo disse: ‘Que farei? Enviarei o meu filho, o amado. É provável que respeitem a este.’
Quando os lavradores o avistaram, disseram entre si: ‘Este é o herdeiro. Vinde, matemo-lo, para que a herança se torne nossa.’ Tomaram-no assim, lançaram-no fora do vinhedo e o mataram. Portanto, quando vier o dono do vinhedo, que fará àqueles lavradores?” Disseram-lhe: “Por serem maus, trará sobre eles uma destruição calamitosa e arrendará o vinhedo a outros lavradores que lhe entregarão os frutos quando forem devidos.” Ouvindo isso, [alguns] disseram: “Que isso nunca aconteça!”
Mas Jesus olhou para eles e disse: “Que significa então aquilo que está escrito? Nunca lestes nas Escrituras: ‘A pedra que os construtores rejeitaram, esta se tem tornado a principal pedra angular. Isto procede de Jeová, e é maravilhoso aos nossos olhos’?[1] É por isso que vos digo: O reino de Deus vos será tirado e será dado a uma nação que produza os seus frutos. Também, todo aquele que cair sobre esta pedra, será despedaçado. Quanto àquele sobre quem ela cair, será pulverizado por ela.”[2]
Ora, quando os principais sacerdotes e os fariseus ouviram as ilustrações dele, repararam que falava deles. Os escribas e os principais sacerdotes procuravam então, naquela mesma hora, deitar mãos nele, mas temiam as multidões, porque estas o consideravam como profeta. Deixaram-no assim e afastaram-se.

Fonte da ilustração: jw.org
Ilustração da festa de casamento
(Mat. 22:1-14)
Em resposta adicional, Jesus falou-lhes novamente com ilustrações, dizendo: 2 “O reino dos céus tem-se tornado semelhante a um homem, um rei, que fez uma festa de casamento para seu filho. 3 E ele mandou os seus escravos chamar os convidados à festa de casamento, mas não quiseram vir. 4 Mandou novamente outros escravos, dizendo: ‘Dizei aos convidados: “Eis que tenho preparado o meu repasto,[3] meus touros e animais cevados já foram abatidos e todas as coisas estão prontas. Vinde à festa de casamento.”‘ 5 Mas eles, indiferentes, foram embora, um para o seu próprio campo, outro para o seu negócio comercial; 6 mas os restantes, agarrando os escravos dele, trataram-nos com insolência e os mataram”.
7 “O rei, porém, ficou furioso e enviou os seus exércitos, e destruiu aqueles assassinos e queimou a cidade deles. 8 Depois disse aos seus escravos: ‘A festa de casamento, deveras, está pronta, mas os convidados não eram dignos. 9 Ide, portanto, às estradas que saem da cidade e convidai a qualquer que achardes para a festa de casamento.’ 10 Concordemente, esses escravos foram às estradas e ajuntaram a todos os que acharam, tanto iníquos como bons; e a sala para as cerimônias do casamento ficou cheia dos que se recostavam à mesa.
11 “Quando o rei entrou para inspecionar os convidados, avistou ali um homem que não vestia a roupa de casamento. 12 Disse-lhe, portanto: ‘Amigo, como entraste aqui sem roupa de casamento?’ Ele ficou sem fala. 13 O rei disse então aos seus servos: ‘Amarrai-lhe as mãos e os pés, e lançai-o na escuridão lá fora. Ali é onde haverá o [seu] choro e o ranger de [seus] dentes.’
14 “Porque há muitos convidados, mas poucos escolhidos.”

Explicação da sigla usada:

EC: Era Comum.

Notas:
[1] Sal. 118:22, 23.
[2] Isa. 8:14, 15.
[3] Refeição. – Dicionário Aurélio. 


O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *