Image Map











terça-feira, 17 de outubro de 2017

Refutando argumentação sobre a salvação pela predestinação



Fonte da ilustração: (jw.org


Certo leitor do artigo “Atos 13:48 afirma que Deus escolheu de antemão os que irão ser salvos?” comentou:

Deixe-me fazer uma pergunta: Se a absoluta maioria das traduções e versões bíblicas trazem palavras e expressões que indicam uma ação soberana de Deus na eternidade e sequer sugerem que o versículo possa significar uma disposição prévia das pessoas em crer, por que fazer violência ao sentido natural do texto para adequá-lo a um sistema teológico ou modo de pensar? Será que os diversos tradutores da Bíblia para diversas línguas e as diversas comissões revisoras foram unânimes em errar usando uma palavra incorreta na passagem em questão? Acho essa hipótese muito pouco crível. Note uma coisa: mesmo que se admita aqui que “destinados” pode ser traduzido como dispostos, ou seja, que as pessoas creram porque estavam dispostas a crer, não se resolve o probleminha, pois a voz passiva indica que, se fosse o caso, elas não estariam dispostas por si mesmas, mas foram feitas dispostas por outro sujeito. As principais traduções bíblicas trazem “destinados”, “apontados”, “ordenados” à vida eterna, e não “dispostos” a crer. O mesmo ocorre com as principais versões em línguas estrangeiras. O estudo do termo original, com auxílio de léxicos e verificação de outras ocorrências do termo no Novo Testamento, também aponta para um ato de Deus e não uma atitude mental humana.

E mesmo que se admitisse, por um instante, que “dispostos” é uma tradução possível, o modo, a voz e o tempo verbal indicam que esse tornar disposto não é um ato da própria pessoa que creu. Se foram dispostas a crer, o foram por Deus e não de si mesmos. Além disso, a analogia da fé não deixa dúvidas de que existe uma relação de causalidade entre ser eleito e crer, ou seja, creem na história os que foram eleitos na eternidade. 

LEMBRE-SE: A fé é uma dádiva de Deus. (Efésios 2:8, 2 Tessalonicenses 3:2) NÃO VEM DOS HOMENS. TODA dádiva desce Dele. (Tiago 1:17)
ELE distribui como quer. (Romanos 12:3) 

Resposta:

Primeiramente, é justo dizer que “absoluta maioria das traduções” não serve de medida para se afirmar qual a forma CORRETA de se traduzir uma passagem.

Traduzir um texto do modo como ele deve ser traduzido não é “fazer violência ao sentido natural do texto para adequá-lo a um sistema teológico ou modo de pensar”.

Também vale lembrar que “as principais traduções bíblicas” é uma expressão subjetiva que não significa em si as melhores traduções bíblicas; quanto muito significa as principais USADAS pela cristandade. O mesmo se pode dizer das “principais versões em línguas estrangeiras”.

No meu entendimento, serem tais pessoas dispostas a crer por outro sujeito resolve sim o problema, pois não foram forçadas a crer. Respeitou-se o livre-arbítrio assegurado por Deus.

Com relação ao termo original, ele possui amplo lastro de significado e, por isso, é o uso dentro de uma passagem específica que orienta o seu entendimento.

Mas o mais importante, que você está deixando de lado, é o CONTEXTO BÍBLICO sobre a questão, que mostra que a salvação está disponível a todos os que quiserem ser salvos, sem haver predestinação de indivíduos para a salvação.

A salvação está disponível a “quem quiser”, e não a pessoas previamente predestinadas. (Apocalipse 22:17) Deus insta aos humanos: “Escolha a vida para continuar vivo.” (Deuteronômio 30:19) Tal encorajamento seria inútil, pois não haveria escolha. Jesus declarou: “Quem perseverar até o fim será salvo. (Mateus 24:13) E o apóstolo Pedro incentivou: “Façam todo o esforço possível para acrescentar à sua fé … a perseverança.” (2 Pedro 1:5, 6) Contudo, o forte incentivo à perseverança seria igualmente inútil, se cada um já tivesse sido escolhido de antemão.

Por conseguinte, o ensino da predestinação universal viola o amor e a justiça de Deus, pois atca o livre-arbítrio e atenta contra todo o encorajamento bíblico à decisão de servir a Deus e de permanecer nessa decisão.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





domingo, 15 de outubro de 2017

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 81)

Fonte da ilustração: jw.org
Jesus comemora a Páscoa com seus doze apóstolos (quinta-feira, 14 de nisã)
(Unificação de Mat. 26:20; Mar. 14:17; Luc. 22:14-18)
Depois de anoitecer, chegou ele com os doze. Por fim, tendo chegado a noitinha, recostou-se à mesa, e os doze apóstolos com ele. E ele lhes disse: “Desejei muito comer esta páscoa convosco antes de eu sofrer; pois, eu vos digo: Não a comerei de novo até que se cumpra no reino de Deus.” E, aceitando um copo, deu graças e disse: “Tomai isto e passai-o de um para outro entre vós; pois, eu vos digo: Doravante não beberei mais do produto da videira até que chegue o reino de Deus.”
Jesus lava os pés dos apóstolos (João 13:1-20)
Fonte da ilustração: (jw.org
Ora, visto que ele sabia antes da festividade da páscoa que havia chegado a sua hora para se transferir deste mundo para o Pai, Jesus, tendo amado os seus próprios que estavam no mundo, amou-os até o fim. 2 Assim, enquanto prosseguia a refeição noturna, tendo o Diabo já posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse, 3 ele, sabendo que o Pai dera todas as coisas nas [suas] mãos, e que procedera de Deus e ia para Deus, 4 levantou-se da refeição noturna e pôs de lado a sua roupagem exterior. E, tomando uma toalha, cingiu-se. 5 Depois pôs água numa bacia e principiou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha de que estava cingido. 6 E, assim chegou a Simão Pedro. Este lhe disse: “Senhor, estás lavando os meus pés?” 7 Em resposta, Jesus disse-lhe: “O que estou fazendo, tu não entendes atualmente, mas entenderás depois destas coisas.” 8 Pedro disse-lhe: “Certamente nunca lavarás os meus pés.” Jesus respondeu-lhe: “A menos que eu te lave, não tens parte comigo.” 9 Simão Pedro disse-lhe: “Senhor, não só os meus pés, mas também as minhas mãos e a minha cabeça.” 10 Jesus disse-lhe: “Quem se banhou, não precisa lavar senão os seus pés, mas está inteiramente limpo. E vós estais limpos, mas não todos.” 11 Ele sabia, deveras, quem o traía. É por isso que disse: “Nem todos vós estais limpos.”
12 Tendo então lavado os pés deles e vestido a sua roupagem exterior, e tendo-se deitado novamente à mesa, disse-lhes: “Sabeis o que vos tenho feito? 13 Vós me chamais de ‘Instrutor’ e ‘Senhor’, e falais corretamente, pois eu o sou. 14 Portanto, se eu, embora Senhor e Instrutor, lavei os vossos pés, vós também deveis lavar os pés uns dos outros. 15 Pois estabeleci o modelo para vós, a fim de que, assim como eu vos fiz, vós também façais. 16 Digo-vos em toda a verdade: O escravo não é maior do que o seu amo, nem é o enviado maior do que aquele que o enviou. 17 Se sabeis estas coisas, felizes sois se as fizerdes. 18 Não estou falando a respeito de todos vós; conheço os que tenho escolhido. Mas, é para que se cumpra a escritura: ‘Aquele que costumava alimentar-se do meu pão ergueu o seu calcanhar contra mim.’[1] 19 Deste momento em diante, digo-vos antes que ocorra, para que, quando ocorrer, acrediteis que sou eu. 20 Digo-vos em toda a verdade: Quem receber a qualquer que eu enviar, recebe [também] a mim. Por sua vez, quem me receber, recebe [também] aquele que me enviou.”

Nota:
[1] Sal. 41:9.

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.
  


Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Deus não pode fazer aquilo que é logicamente impossível – Por quê?

Fonte da foto: jw.org

Contribuído por A Verdade É Lógica.

A doutrina da Trindade declara que existem três pessoas em um único Deus: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Também declara que o Pai não é o Filho, o Filho não é o Espírito Santo, e o Espírito Santo não é o Pai – são três pessoas com consciências individuais (distintas), porém, não são três Deuses, mas um único Deus com três consciências, sendo cada uma das consciências desse Deus plenamente Deus ou Divina. Não existe nenhum modelo lógico explicativo que ilustre tais princípios com exatidão. Assim sendo, tal conceito deve ser rejeitado pelo simples fato de se logicamente impossível, pois Romanos 12:1 nos ordena a prestar um serviço a Deus ‘com nossa faculdade de raciocínio’, isto é, com lógica.

O único modelo lógico para a Trindade é o expresso na forma de triângulo.




Nesse modelo, nós notamos que o triângulo é composto por três lados iguais; porém, existe apenas 1 (um) triângulo. Esse é o único modelo logicamente possível de Trindade. Existem 3 (três) lados, um lado não é o outro, embora sejam lados iguais. São 3 (três) lados que formam uma única figura geométrica. Porém, nenhum dos lados é plenamente o triângulo. Somente o triângulo é a figura geométrica. O triângulo é o resultado final da união dos 3 (três) lados.

Da mesma forma, nenhuma das pessoas da Trindade pode ser plenamente Deus, pois, se o Pai é plenamente Deus assim como as demais pessoas, e um não é o outro, então a união de tais pessoas seria três Deuses (triteísmo), pois 1+1+1=3. Essa é uma verdade matemática que não pode ser alterada. Se Deus puder alterar uma verdade absoluta, tal como a verdade matemática, então ele pode alterar quaisquer outras verdades absolutas, tais como a impossibilidade de Deus mentir e simultaneamente ser perfeito. – Compare Deuteronômio 32:4 com Hebreus 6:18 e Tito 1:2:

“A Rocha — perfeito é tudo o que ele faz, pois todos os seus caminhos são justos. Deus de fidelidade, que nunca é injusto; justo e reto é ele.” – Deuteronômio 32:4.

“A fim de que, por meio dessas duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, nós, que fugimos para o refúgio, recebamos forte encorajamento para nos apegar firmemente à esperança que nos é apresentada.” – Hebreus 6:18.

“E se baseia numa esperança de vida eterna que Deus, que não pode mentir, prometeu muito tempo atrás.” – Tito 1:2.

É impossível que Deus minta. Se tal ação é impossível para Deus, por que seria possível que Deus quebrasse o absolutismo matemático? Se Deus não pode alterar uma verdade absoluta (Deus não pode mentir e ser perfeito simultaneamente), então ele não pode alterar nenhuma verdade absoluta. Pois sem lógica, não há ordem, e sem ordem nada poderia existir – nem mesmo o Deus Supremo.

O famoso apologista cristão William Lane Craig, trinitário, levantou pontos muito importantes sobre essa questão:

[...] Imediatamente, ao lidar com o assunto da onipotência, enfrentamos os chamados paradoxos da onipotência. Todos nós já ouvimos isso. Por exemplo, se Deus é onipotente, ele pode fazer uma pedra pesada demais para ele levantar? Se ele pode fazer uma pedra pesada demais para ele levantar, então há algo que ele não pode fazer, ou seja, ele não pode levantar a pedra. Mas se você diz que ele não pode fazer uma pedra muito pesada para ele levantar, então há algo que ele não pode fazer, ou seja, ele não pode fazer uma pedra assim. Portanto, a ideia é que a onipotência é uma ideia inerentemente paradoxal... Deus pode agir de maneiras que são contrárias à sua própria natureza? Por exemplo, Deus poderia criar outro Deus e cair e adorá-lo? Poderia Deus cometer adultério? Estas não são obviamente coisas que Deus poderia fazer [...] E as impossibilidades lógicas? Deus pode fazer coisas que são logicamente impossíveis? Por exemplo, Deus poderia fazer um círculo quadrado? Poderia Deus fazer um solteiro casado? [...] Poderia Deus fazer um triângulo redondo? Esses tipos de coisas também são geralmente isentos da onipotência de Deus. A maioria dos teólogos – a vasta, vasta maioria dos teólogos – não entendem a onipotência como significando que Deus pode fazer coisas que são logicamente impossíveis [...].(CRAIG, http://www.reasonablefaith.org/defenders-2-podcast/transcript/s3-16; os grifos são meus.)

Dessa forma, a única solução para a Trindade seria de que cada uma das pessoas da deidade seja divina, porém, não plenamente Deus. Somente a Trindade pode ser plenamente Deus, assim como cada um dos lados de um triângulo são partes essenciais de uma figura geométrica, porém, não são plenamente o triângulo. Se cada um dos lados de um triângulo fosse plenamente triangular, teríamos 3 (três) triângulos, não um triângulo. Essa é uma verdade absoluta que não pode ser alterada.

O que a Bíblia diz?
  
João 1:1 diz claramente que “a palavra estava com Deus”. Note, com Deus, não “com o Pai”. João não diz que a ‘a palavra estava com uma das pessoas que compõem Deus’. Aquele com quem a palavra estava é plenamente Deus. Sendo aquele com quem a palavra estava plenamente Deus, isto é, o Pai, então quaisquer adições divinas somariam deidades. Se Deus é plenamente o Pai e o Pai é plenamente Deus, não se faz cabível quaisquer outras deidades na divindade. Seria como dizer que o lado 2 do triângulo estava com o triângulo, e que o lado 2 era tão triângulo quanto aquele triângulo com o qual o lado 2 estava, e que, contudo, não há 2 triângulos, mas ambos são o mesmo triângulo.

Logicamente impossível, não acha? É sobre esta “lógica” que está fundada a doutrina da Trindade.
  

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




terça-feira, 10 de outubro de 2017

Como Colossenses 2:10 deve ser traduzido?

Fonte da ilustração: jw.org

Sobre o artigo “Ter divindadetorna alguém coigual a Jeová?”, certo leitor perguntou:

Irmãos, tem várias traduções de Colossenses 2:10 que não têm essa parte de receber toda a plenitude. Você sabe por quê?

Resposta:

Lemos em Colossenses 2:10: “E vocês adquiriram uma plenitude por meio dele [Jesus Cristo], aquele que é o cabeça de todo governo e autoridade.”

Colossenses 2:10 contém o verbo πληρόω  (pleróo) na forma πεπληρωμένοι (pepleroménoi), particípio perfeito passivo no nominativo plural. Tal verbo significar “encher”, “completar”, “produzir plenitude”.

O LÉXICO DO NOVO TESTAMENTO GREGO/PORTUGUÊS, de F. Wilbur Gingrich, revisado por Frederick W. Danker, dá a seguinte definição primária de pleróo:

πληρόω1. encher, completar Mt 13.48;Lc 3.5; Jo 12.3; 16.6; At 2.2, 28; 5.28;Rm 1.29; Ef 5.18; Fp4.18; 2Tm 1.4

As passagens abaixo mostram isso:

“Quando ela [a rede de pesca] ficou cheia …” – Mateus 13:48.

“A casa se encheu com a fragrância do óleo perfumado.” – João 12:3.

“O coração de vocês está cheio de tristeza porque eu lhes disse essas coisas.” – João 16:6.

“Tu me fizeste conhecer os caminhos da vida; tu me encherás de alegria na tua presença.” – Atos 2:28.

“Vocês encheram Jerusalém com os seus ensinamentos.” – Atos 5:28.

“Também, não se embriaguem com vinho, em que há devassidão, mas fiquem cheios de espírito.” – Efésios 5:18.

“Ficar cheio” tem a ver com adquirir plenitude

Observamos isso em Efésios 3:19: “E de conhecer o amor do Cristo, que é superior ao conhecimento, a fim de que vocês fiquem cheios [de pleróo] de toda a plenitude  [pléroma] que Deus dá.” – Veja também ACF, ARIB, NVI, SBB, Ave Maria, ASV, KJ, Darby, NASB, Reina Valera, BJ em espanhol, El Livro del Pueblo de Dios.

Algumas traduções deixam clara essa ideia em Colossenses 2:10:

 “E tendes a vossa plenitude nele, que é a cabeça de todo principado e potestade.” – Almeida Revisada Imprensa Bíblica.

“E, por estarem nele, que é o Cabeça de todo poder e autoridade, vocês receberam a plenitude.” – Nova Versão Internacional.

Outras não usam a palavra “plenitude”, mas usam expressões que contêm a mesma ideia:

“E estais cheios nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade.” – Sociedade Bíblica Britânica.

Tendes tudo plenamente nele, que é a cabeça de todo principado e potestade.” – Ave Maria.

“E nele estais cheios [feitos plenos].” – American Standard Version.

“E estais completos nele.” – King James Version; também Darby, Webster.

“E nele fostes completados.” – New American Standard Bible.

Entender o sentido de Colossenses 2:10 é muito importante, como o artigo “Ter divindade torna alguém coigual a Jeová?” mencionou:

Em Colossenses 2:9, é mencionado que, em Jesus, habita corporalmente toda a plenitude da divindade (natureza divina). Mas vejamos a continuação no verso 10: “E, por estarem nele, que é o Cabeça de todo poder e autoridade, vocês RECEBERAM TODA A PLENITUDE.” – Colossenses 2:10, NVI.

Percebam que a plenitude da natureza divina de Jesus é dada aos servos fiéis. ISSO É MUITO RELEVANTE! É a Bíblia que diz isso, não os unitários.

Com isso concordam as palavras de 2 Pedro 1:4: “Por intermédio destas ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas VOCÊS SE TORNASSEM PARTICIPANTES DA NATUREZA DIVINA.”

Portanto, o fato de Jesus Cristo possuir “toda a plenitude da divindade” (Ave Maria, ACF) não significa que ele seja coigual ao seu Deus e Pai, Jeová.

Explicação das siglas usadas:

ACF: Almeida Corrigida e Revisada Fiel.
ARIB: Almeida Revista Imprensa Bíblica.
ASV: American Standard Version.
Ave Maria: tradução católica.
BJ: Bíblia de Jerusalém.
Darby: The ‘Holy Scriptures’ (Edição de 1949), de John Nelson Darby.
KJ: King James Version.
NAS: New American Standard Bible.
NVI: Nova Versão Internacional.
Valera: versão em espanhol Reina-Valera, de Casiodoro de Reina e de Cipriano de Valera.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




domingo, 8 de outubro de 2017

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 80)

Fonte da ilustração: jw.org
Jesus faz preparativos para a Páscoa (quinta-feira, 13 de nisã de 33 EC)
(Unificação de Mat. 26:17-19; Mar. 14:12-16; Luc. 22:7-13)
Ora, chegou então o primeiro dia dos[1] Pães não Fermentados, em que se tinha de sacrificar a vítima pascoal; os discípulos vieram a Jesus, dizendo: “Aonde queres que vamos e preparemos para comeres a páscoa?” Em vista disso, ele mandou Pedro e João, dizendo: “Ide e aprontai a páscoa, para que comamos.” Disseram-lhe: “Onde queres que a aprontemos?” Ele lhes disse: “Ide à cidade. Eis que, ao entrardes [nela], virá ao encontro de vós um homem levando um vaso de barro com água. Segui-o para dentro da casa em que ele entrar. E tendes de dizer ao proprietário da casa: ‘O Instrutor te diz: “Está próximo o meu tempo designado; celebrarei a páscoa com meus discípulos na tua casa. Onde está a sala dos hóspedes para mim, onde eu possa comer a páscoa com meus discípulos?”’ E ele vos mostrará uma grande sala de sobrado, mobiliada em preparação. Aprontai-a ali para nós.” Os discípulos saíram, assim, e fizeram conforme Jesus lhes mandara. E entraram na cidade, e acharam-no assim como ele lhes dissera; e fizeram preparativos para a páscoa.

EC: Era Comum.
NM: Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas.

Nota:
[1] Ou: “No dia antes dos.” Esta tradução da palavra gr. πρω̃τος (pró·tos), seguida pelo caso genitivo da palavra seguinte, concorda com o sentido e a tradução duma construção similar em Jo 1:15, 30, a saber: “existiu antes [pró·tos] de mim”. Segundo LS, p. 1535, col. 1, “πρωτος é [às vezes] usado onde esperaríamos πρότερος [pró·te·ros]”. – NM, nota em Mat. 26:17.

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







quinta-feira, 5 de outubro de 2017

A religião verdadeira não pode mudar suas crenças?

Fonte da ilustração: jw.org

Um leitor escreveu:

Como uma religião que sequer consegue firmar suas próprias doutrinas pode ensinar a outros, se o que é ensinado hoje pode não ser ensinado amanhã?
Aquilo que ensinam não se pode dizer que provém de Deus, já que esses ensinamentos podem estar errados.
Então como podem alegar possuir uma “verdade” que as outras religiões não possuem? Suas publicações estão cheias de referências que apontam para o fim do mundo ou o Armagedom. Não adianta fazerem malabarismo para esconder suas vergonhosas doutrinas. 

Resposta:

As religiões da cristandade firmaram suas doutrinas baseadas em crenças pagãs, como a Trindade, a imortalidade da alma e o tormento eterno. Por tratarem tais doutrinas como dogmas irremovíveis, tais religiões continuam a defender o indefensável. Isto sim constitui ‘doutrinas vergonhosas’, sendo também vergonhoso o fato de, mesmo sabendo que estão errados, não removerem tais doutrinas pelo medo da mudança – por não ‘conseguirem firmar suas próprias doutrinas’, por ‘o que é ensinado hoje poder não ser ensinado amanhã’!

Ao contrário deste lastimável comportamento, as Testemunhas de Jeová entendem que a Bíblia é inspirada, mas que o entendimento dela está sujeito à pesquisa progressiva, e segue o processo de qualquer pesquisa científica, que envolve erros e correções, até se entender plenamente um tema específico.

Veja os artigos:


Quanto à pergunta “Como podem alegar possuir uma ‘verdade’ que as outras religiões não possuem?”, ela pode ser respondida por se apontar para as verdades bíblicas cristalinas que as Testemunhas de Jeová descobriram e restauraram, tais como a santidade e a importância do nome de Deus, a identidade de Deus e de Jesus Cristo, o propósito de Deus para com a Terra e a verdadeira condição dos mortos, para se mencionar apenas algumas.

As referências ao fim do sistema de coisas são um esforço sincero de entender as profecias bíblicas, mas sem marcar datas para o fim do sistema.

Assim, longe de fazer malabarismos (o que é feito em larga escala pela cristandade para tentar provar suas crenças antibíblicas[1]) as Testemunhas de Jeová esforçam-se a ensinar o verdadeiro ensino bíblico.

Nota:

[1] Veja o artigo Malabarismo de textos bíblicos para tentar provar a Trindade”




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






terça-feira, 3 de outubro de 2017

Resposta a um leitor trinitarista



Um leitor trinitarista fez o seguinte comentário:


“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, o qual será chamado EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco.” – Mateus 1:23.

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” – João 1:1-3.

“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.” – Mateus 28:18.

Logo, se Jeová dá a glória Dele a Jesus, isso indica claramente que Jesus não é outro “deus”, mas o próprio Deus! Quanto à pergunta de que se Deus deu glória a si mesmo: Tal pergunta é infundada, feita por pessoas que não creem na Trindade. Logo, em Mateus 28:18, vemos o Pai dando todo poder a seu Filho, que por Ele foi glorificado. Se não crermos na Trindade, teremos que admitir a existência de dois (ou três) deuses, dois criadores, dois salvadores, dois todo-poderosos, etc. Sobretudo, Jesus disse que Ele e o Pai são um (João 10:30), e quanto ao Espírito Santo, Ele também é indicado em I João 05:06, 07.

Para provar com todas as letras que Jesus é Todo-Poderoso, leiamos ainda Apocalipse 1:8: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso.”

Conclusão: Apocalipse 1:8 diz que o primeiro e o último é Todo-poderoso. O próprio livro de Apocalipse nos informa que Jesus é o primeiro e o último (Apocalipse 2:8). Em Apocalipse 1:8 diz que o Todo-poderoso é o mesmo que era, sendo Ele o mesmo. Em Hebreus 13:9 diz que Jesus é o mesmo, e em Malaquias 3:6 diz que o Senhor não muda. Logo, se Jesus é o mesmo e é Senhor, Ele é Todo-poderoso, ou há dois que são o mesmo em que não há mudança? E, por fim, Apocalipse 1:8 diz que o Todo-poderoso é aquele que há de vir; e em João 14:3 diz que Jesus é que está por vir. Logo, Jesus é sim Todo-poderoso.

Resposta:

Sobre Mateus 1:23:

O significado do nome profético “Emanuel” – “Deus conosco” – não significa que Jesus seja o “Deus conosco”. O nome Jeú significa “Jeová é ele”, e nem por isso Jeú era Jeová. Quando Jesus ressuscitou o filho da viúva de Naim, o povo disse: “‘Um grande profeta surgiu em nosso meio’, e: ‘Deus voltou sua atenção para seu povo [“Deus visitou o seu povo”; ACF].’” – Lucas 7:16.

Obviamente, o povo queria dizer, não que Jesus era Deus – pois o considerava “profeta” – e sim que Deus, POR MEIO DE Jesus, ‘havia voltado a sua atenção para seu povo’. Quando Moisés retornou ao Egito e realizou os milagres perante os anciãos de Israel, a Bíblia diz: “Em vista disso, o povo acreditou. Quando ouviram que Jeová havia voltado sua atenção para os israelitas [“visitava aos filhos de Israel”, ACF] e que havia visto a sua aflição, eles se curvaram e se prostraram.” (Êxodo 4:30, 31) É claro que eles não achavam que Moisés era “o Senhor [que] havia visitado os filhos de Israel” (IBB), mas sim que o Senhor Jeová havia visitado (voltado sua atenção) a eles POR MEIO DE Moisés.

Quanto a Mateus 28:18:

Só o fato de Jesus ter RECEBIDO algo de outro prova que ele não é o Deus Todo-poderoso. Pois Jeová, o Deus Todo-poderoso e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, disse: “Quem primeiro me deu alguma coisa para que eu deva lhe retribuir? Debaixo dos céus, tudo é meu.” – Jó 41:11.

Além disso, “todo o poder” (ARC) recebido por Cristo evidentemente é em sentido relativo e não absoluto, pois a Bíblia mostra que Deus, o Pai, continua sendo “o cabeça do Cristo” (1 Coríntios 11:3) e o “Deus” dele. (Efésios 1:17; 2 Coríntios 1:3) E isso é totalmente incompatível com a ideologia da Trindade, a qual apregoa que as supostas “três Pessoas” são coiguais e coeternas. Como as “três Pessoas” poderiam ser coiguais se uma delas é DEUS da outra?

Quanto a Jesus e o Pai serem “um” (João 10:30):

O próprio Jesus explicou que isso se refere à UNIDADE (união) entre eles, e não à igualdade. Lemos em João 17:22: “E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, COMO NÓS SOMOS UM.” (IBB) Em que sentido os discípulos eram UM? Jesus prosseguiu: “Que eles sejam perfeitos EM UNIDADE.” (João 17:23, IBB) Do mesmo modo Jesus e o Pai são “um”.

Quanto ao “espírito santo”, veja os artigos “O espírito santo é uma pessoa?” e “Estudo sobre Pneumatologia – Parte 5”

Com respeito a Apocalipse 1:8:

Esse texto também não prova que Jesus seja Todo-poderoso. Lemos em Apocalipse 21:22: “E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.” Note que claramente se distingue o “Senhor Deus Todo-Poderoso” de Jesus Cristo, o “Cordeiro”.

Que ‘o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso’ (Apocalipse 1:8) não é Jesus Cristo fica evidente do contexto do próprio capítulo 1 de Apocalipse. Os versículos 4 e 5a nos dizem: “João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte DAQUELE QUE É, E QUE ERA, E QUE HÁ DE VIR [o mesmo do versículo 8], E DA [parte] dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E DA PARTE DE JESUS CRISTO.” (ACF) Assim, Jesus é colocado como sendo distinto do Alfa e Ômega, e não como sendo o mesmo que ele. 

O fato de expressões e símbolos semelhantes serem usados para pessoas ou grupos distintos não indica que os referidos por tais símbolos tenham a mesma identidade. Isso foi demonstrado no artigo “Duas regras – uma falsa e uma verdadeira”, neste site. 

O contexto é que determina o significado do uso do referido símbolo e a identidade da pessoa ou do grupo aludido por tal símbolo. Por exemplo, tanto Jeová como Cristo são mencionados como sendo ‘o Primeiro e o Último’. (Isaías 44:6; Apocalipse 1:17) Contudo, o contexto de Isaías diz respeito à Divindade de Jeová, pois o mesmo texto (Isaías 44:6) acrescenta: “Além de mim não há Deus.” Por outro lado, Jesus é mencionado como “o Primeiro e o Último” num contexto diferente. O contexto de Apocalipse diz respeito à ressurreição de Jesus. Apocalipse 1:18 declara: “E o que vivo; fui morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos, e tenho as chaves da morte e do Hades [a sepultura comum da humanidade].” Jesus foi “o Primeiro” humano a ser ressuscitado para a vida espiritual, imortal. (Colossenses 1:18) Além disso, ele é “o Último” ressuscitado assim pelo próprio Jeová. Os demais serão ressuscitados por meio de Jesus, conforme ele mesmo explicou: “Tenho as chaves da morte e do Hades.” – Apocalipse 1:18b.

Poderá obter mais informações esclarecedoras nos seguintes temas:








Explicação das siglas usadas:
ACF: Almeida Revisada e Corrigida Fiel.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
IBB: Almeida da Imprensa Bíblica Brasileira.
NVI: Nova Versão Internacional.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *