Image Map











quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Por que Jesus é chamado de “Pai da eternidade”?

Fonte da ilustração: jw.org

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz..” – Isaías 9:6.

A expressão hebraica em questão é ’Avi·‛ádh. ’Av significa “pai” e ‘ádh (hádh)indica ilimitado tempo futuro, sempiternidade ou eternidade”[1]. Assim, embora a Tradução d0 Novo Mundo verta por “Pai Eterno”, a nota de rodapé da Tradução d0 Novo Mundo das Escrituras com Referências (Revisão de 1986) explica: “Ou ‘Pai Para Sempre’. Hebr.: ’Avi·‛ádh.

Com base nessa expressão (“Pai da eternidade”) aplicada ao Filho, Jesus Cristo, os trinitaristas defendem que ele e seu Pai compartilham da coeternidade, sendo assim coiguais.

Contudo, tal argumento é produto de um olhar superficial tanto na questão do uso epistemiológico (textual) quanto contextual (ou semântico) da expressão “Pai da eternidade” e da palavra hebraica para “eternidade” no texto de Isaías 9:6.

O uso de ʽadh diz respeito à eternidade futura

Para comprovar isso, observe nos textos abaixo os usos de ʽadh:

Salmo 19:9: “O temor de Jeová é puro, dura para sempre.”

Isaías 45:17: “Mas Israel será salvo por Jeová, e essa salvação será eterna. Vocês não serão envergonhados nem desonrados por toda a eternidade.”

Habacuque 3:6: “Ele parou e fez a terra tremer. Com um olhar, fez nações estremecer. Os montes eternos foram despedaçados, e as colinas antigas se encurvaram. Os caminhos da antiguidade pertencem a ele.”

Salmo 104:5: Estabeleceu a terra em seus alicerces; ela nunca, jamais, será tirada do seu lugar [“Ou: ‘será abalada.’”, nota da NM Revisada de 2015.].”

Note que todos os usos acima de ʽadh dizem respeito à eternidade futura, pois as coisas descritas como eternas tiveram princípio.

O mesmo se pode dizer do uso de ʽadh com referência a Jesus. O contexto bíblico comprova isso.

“Pai da Eternidade” no contexto bíblico

A profecia de Isaías 9:6 não é uma descrição do Filho em sua existência atemporal, como pretendem os trinitários, mas diz respeito à atividade messiânica dele. Prova disso é que inicia assim: “Porque um menino nos nasceu.” Em sua existência pré-humana, o Filho não era um menino, mas um ser espiritual. Concordemente, todos os títulos usados em Isaías 9:6 para o Filho têm a ver com sua atividade messiânica, a partir de sua existência humana, pois tais títulos são prefaciados pela frase “e será chamado …”.

Como o Messias enviado por Deus, Jesus mostrou ser realmente um “Maravilhoso Conselheiro” ao ensinar e um “Deus Poderoso” ao realizar milagres e expulsar demônios. Tendo em vista que o termo “Deus” (ou “deus”) na Bíblia se aplica, sem conotação idólatra, a alguém poderoso, vale ressaltar que os anjos são chamados de ʼelo·hím (“deuses”) no Salmo 8:5, e são seres poderosos, conforme o Salmo 103:20. Assim, cada anjo é um deus poderoso.[2] No entanto, o uso do título “Deus Poderoso” em Isaías 9:6 diz respeito a uma atividade específica realizada pelo Filho de Deus – seu papel como Messias.

Quando estabelecer o seu Reino messiânico sobre a Terra, ele mostrará ser, num amplo sentido, o “Príncipe da Paz” (“‘Príncipe Pacífico’, isto é, um príncipe que dá paz’, nota NM Com Referências), pois o versículo 7 acrescenta: “A expansão do seu reinado e a paz sobre o trono de Davi e sobre o seu reino não terão fim, de modo que este será estabelecido firmemente e amparado por meio da justiça e da retidão.” Mas que dizer de seu papel messiânico como “Pai da Eternidade”?

Desde que depôs sua vida humana perfeita em favor da humanidade, Jesus se tornou o “Pai da Eternidade” futura da raça humana, pois possibilitou tal eternidade aos humanos que voluntariamente harmonizarem suas vidas com a vontade de Deus. – João 3:16; 10:10; Romanos 6:23.

Assim, tanto num sentido textual quanto contextual, a expressão “Pai da Eternidade” não torna o Filho coeterno com o Pai. Por que podemos dizer isso?

Porque, como vimos, a eternidade referida ao Filho é futura, ao passo que o Pai – e somente o Pai – tem eternidade passada.  Diz a Palavra de Deus sobre ele:

“Ó Jeová, tu tens sido nossa morada por todas as gerações. Antes de nascerem os montes ou de teres formado a terra e o solo produtivo, de eternidade [passada] a eternidade [futura], tu és Deus.” – Salmo 90:2.


Notas:
[1] Estudo Perspicaz das Escrituras (vol. 3, p. 687, publicado pelas Testemunhas de Jeová), verbete “Tempo indefinido”.
[2] Para um entendimento do uso da palavra “Deus” (ou “deus”) na Bíblia sem conotação idolatra, veja o artigo O uso e significado da palavra “Deus” (Elohim) nas Escrituras Sagradas no blog “Tradução do Novo Mundo Defendida”.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Mateus 10:28 afirma que a alma não morre?





Fonte da ilustração: jw.org

O texto de  Mateus 10:28 declara: “E não fiquem com medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma; em vez disso, temam aquele que pode destruir na Geena tanto a alma como o corpo.”

Que a alma pode ser morta torna-se claro por muitas passagens bíblicas, a exemplo de Ezequiel 13:19:

“Vós me profanastes entre o meu povo, por punhados de cevada e por pedaços de pão, para matardes as almas que não haviam de morrer e para preservardes com vida as almas que não haviam de viver, mentindo, assim, ao meu povo, que escuta mentiras.” – Almeida Revista e Atualizada; veja também Almeida Revista e Corrigida e Tradução Brasileira.

Como a Bíblia não se contradiz, isso exige que Mateus 10:28 não deva ser entendido como afirmando que um homem não possa matar a alma como ser vivo. Então, qual é o significado da frase “não podem matar a alma”?

O texto paralelo de Lucas 12:4, 5 é esclarecedor: “Além disso, eu lhes digo, meus amigos: Não temam os que matam o corpo e depois disso não podem fazer mais nada. Mas eu lhes mostrarei a quem vocês devem temer: temam Aquele que, depois de matar, tem autoridade para lançar na Geena. Sim, eu lhes digo, temam a esse.”

Apesar de os opositores dos cristãos poderem tirar-lhes a vida (alma como criatura viva), eles não podem impedir a ressurreição de tais cristãos. Neste sentido, não podem matar a alma como ser vivo futuro. Esse sentido de alma é apontado por Jesus em Lucas 21:19: “É na vossa perseverança que ganhareis a vossa alma.” (Almeida Revista e Atualizada) Visto que tal pessoa já existe como alma (criatura viva), a única alma que tal pessoa pode ‘ganhar’ é sua existência futura como criatura viva.

Logo, em Mateus 10:28, Jesus está afirmando que se pode matar a vida presente da pessoa, mas não se pode matar a vida futura dela – sua perspectiva de voltar a viver no futuro como alma (ser vivo) pela ressurreição.

A condição dos mortos é comparada na Bíblia a um sono:

“Olha para mim e responde-me, ó Jeová, meu Deus. Ilumina os meus olhos, para que eu não adormeça na morte.” – Salmo 13:3; veja também João 11:11-14; Atos 7:60; 1 Coríntios 7:39; 15:51; 1 Tessalonicenses 4:13.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





domingo, 10 de dezembro de 2017

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 89)

Fonte da ilustração: jw.org

Agonia no jardim
(Unificação de Mat. 26:30, 36-46; Mar. 14:26, 32-42; Luc. 22:39-46; João 18:1-3)
Finalmente, depois de cantarem louvores, saíram, como de costume, para o Monte das Oliveiras. Jesus saiu com seus discípulos para o outro lado da torrente hibernal[1] do Cédron, onde havia um horto, e ele e seus discípulos entraram nele. Chegaram assim ao lugar de nome Getsêmani,[2] e ele disse aos seus discípulos: “Sentai-vos aqui enquanto eu vou para lá orar.” E, levando consigo Pedro, e Tiago e João, os dois filhos de Zebedeu, principiou a ficar atônito e muito aflito. E ele lhes disse: “Minha alma está profundamente contristada, até à morte. Ficai aqui e mantende-vos vigilantes comigo. Fazei orações, para que não entreis em tentação.”
E, avançando um pouco mais adiante, ele mesmo se afastou deles, cerca de um tiro de pedra, e dobrou os joelhos e prostrou-se com o rosto em terra, e começou a orar que, se fosse possível, a hora se afastasse dele. E prosseguiu a dizer: “Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; se tu quiseres, remove de mim este copo. Não obstante, ocorra, não a minha vontade, mas a tua.” Apareceu-lhe então um anjo do céu e o fortaleceu.
E ele veio aos discípulos e achou-os dormindo, e disse a Pedro: “Simão, estás dormindo? Não tiveste força para te manteres vigilante comigo nem mesmo por uma hora? Homens, mantende-vos vigilantes e orai continuamente, para que não entreis em tentação. O espírito, naturalmente, está ansioso, mas a carne é fraca.”
E ele se afastou novamente, pela segunda vez, e orou, dizendo a mesma palavra. “Pai meu, se não é possível que isto se afaste de mim sem que eu o beba, realize-se a tua vontade.” E veio novamente e os encontrou dormindo, pois estavam com os olhos pesados, e por isso não sabiam o que lhe responder. Portanto, deixando-os, afastou-se novamente e orou pela terceira vez, dizendo mais uma vez a mesma palavra. Mas, ficando em agonia, continuava a orar mais seriamente; e seu suor tornou-se como gotas de sangue caindo ao chão.
(Ora, Judas, quem o traía, também conhecia o lugar, porque Jesus muitas vezes se havia reunido ali com seus discípulos. Portanto, Judas, tomando o destacamento de soldados e os oficiais dos principais sacerdotes e dos fariseus, foi para lá com tochas, e lâmpadas, e armas.)
E ele se levantou da oração, e veio então ter com os discípulos pela terceira vez e os achou dormitando de pesar; e disse-lhes: “Numa ocasião destas, vós estais dormindo e descansando! Por que estais dormindo? Levantai-vos e fazei orações, para que não entreis em tentação. Basta! Chegou a hora! Eis que o Filho do homem está sendo traído às mãos de pecadores. Levantai-vos, vamos embora. Eis que se tem aproximado aquele que me trai.”

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

Explicação das siglas usadas:
 it: obra Estudo Perspicaz das Escrituras, publicada pelas
Testemunhas de JeováO número em sequência indica o volume.
NM: Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas.

Notas:
[1] Ou “do vale”. – NM nota de João 18:1.
[2] “Lagar de Azeite”. Provavelmente um olival equipado com um lagar para espremer azeite das azeitonas. Encontrava-se no monte das Oliveiras ou perto dele. (Luc. 22:39). – It-2, p. 210. 


Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Judas 25 afirma a eternidade passada do Filho?

Fonte da ilustração: jw.org

Certo leitor trouxe à atenção o seguinte argumento trinitário:

Olá, boa tarde.

Conversando recentemente com um trinitário a respeito da eternidade de Jesus, esse senhor falou um versículo que até então não tinha visto nenhum site apologético ou trinitário usar, até mesmo site nosso refutar.

Trata-se de Judas 25, que declara: “Ao único Deus, nosso Salvador, por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor, seja a glória, a majestade, o poder e a autoridade desde toda a eternidade, agora e por toda a eternidade. Amém..”

Esse senhor argumentou que esse versículo fala claramente que, se a glória, majestade, poder e autoridade de Jeová existem desde toda a eternidade, a glória, majestade, poder e autoridade de Jesus também existem desde toda a eternidade.

Sendo assim, ele (Jesus) também é eterno, pois Judas colocou tanto o Pai como o Filho tendo atributos desde toda a eternidade; que, se tirarmos a eternidade de Jesus, teremos que tirar a do Pai também.
Abraço. Fico no aguardo.

Resposta:

O trinitário afirmou que Judas 25 “fala claramente que, se a glória, majestade, poder e autoridade de Jeová existem desde toda a eternidade, a glória, majestade, poder e autoridade de Jesus também existem desde toda a eternidade”. Contudo, Judas 25 não diz nada disso.

Judas 25 é uma doxologia (declaração de louvor) feita ao Pai POR MEIO DE Jesus Cristo. A Deus, o Pai, cujo nome é Jeová, são atribuídos “a glória, a majestade, o poder e a autoridade”, características que Ele tem desde toda a eternidade passada e que continuará a ter por toda a eternidade futura.

Jesus Cristo é colocado no texto por Judas como sendo O MEIO de atribuirmos e de reconhecermos a Jeová tais características.

Como o próprio Jesus disse nas passagens abaixo:

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.” – João 14:6.

“Também, tudo o que vocês pedirem em meu nome, eu farei, para que o Pai seja glorificado por meio do Filho. Qualquer coisa que vocês pedirem em meu nome, eu farei.” – João 14:13, 14.

“Vocês não me escolheram, mas eu escolhi vocês, e eu os designei para irem e continuarem dando fruto, fruto que permaneça, para que, não importa o que pedirem ao Pai em meu nome, ele dê a vocês.” – João 15:16.

“Se pedirem ao Pai qualquer coisa em meu nome, ele a dará a vocês.” – João 16:23, 24.

“Naquele dia vocês pedirão ao Pai em meu nome.” – João 16:26.

Portanto, a premissa do referido trinitário não tem nenhum respaldo em Judas 25, e em parte alguma da Bíblia.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



terça-feira, 5 de dezembro de 2017

O uso terapêutico de drogas justificaria o uso terapêutico do sangue?


Fonte da ilustração: jw.org


Um leitor escreveu:

Olá Apologista... Boa tarde!!!
Gostaria da sua ajuda...
Sabemos que na bíblia o uso do sangue é proibido assim como o uso de drogas.
Mas em determinadas situações, as pessoas fazem uso de medicamentos (DROGAS) PARA CURAR OU TRATAR ALGUMA DOENÇA QUE COLOCA EM PERIGO A SUA VIDA.
COMO HARMONIZAR ISSO COM O USO DO SANGUE???
Um grande abraço e desde já agradeço pela ajuda prestada...

Resposta:

As drogas podem ter uso terapêutico. O que as Escrituras mostram é que não devem ser usadas para dar prazer prejudicando o corpo, conforme os princípios encontrados nos textos abaixo:

“Portanto, amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de toda imundície da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus.” – 2 Coríntios 7:1.

“Estou falando em termos humanos por causa da fraqueza da sua carne; pois, assim como vocês apresentaram os seus membros como escravos à impureza e ao que é contra a lei, resultando no que é contra a lei, apresentem agora os seus membros como escravos à justiça, o que levará à santidade.” – Romanos 6:19.

Do mesmo modo, a Bíblia não proíbe o uso correto das bebidas alcoólicas, mas sim o uso incorreto (neste caso, o uso imoderado). Observe isso nos textos abaixo:

“O vinho, que alegra o coração do homem; o azeite, que faz o rosto brilhar; e o pão, que revigora o coração do homem.” – Salmo 104:15.

“Vá, coma o seu alimento com alegria e beba o seu vinho com coração alegre, pois o verdadeiro Deus já se agradou das suas obras.” – Eclesiastes 9:7.

“No terceiro dia se realizou uma festa de casamento em Caná da Galileia, e a mãe de Jesus estava lá. Jesus disse a eles: ‘Encham os jarros com água.’ E eles os encheram até a borda. Então ele lhes disse: ‘Agora tirem um pouco e levem ao diretor da festa.’ E eles fizeram isso. Quando o diretor da festa provou a água que tinha sido transformada em vinho, sem saber de onde o vinho tinha vindo (embora os servos que haviam tirado a água soubessem), o diretor da festa chamou o noivo e lhe disse: ‘Todos servem primeiro o vinho bom e, quando as pessoas ficam embriagadas, o inferior. Você guardou o vinho bom até agora.’ Jesus fez isso em Caná da Galileia como o início dos seus sinais, e revelou a sua glória, e seus discípulos depositaram fé nele.” – João 2:1, 7-11.

“De modo que se aproximou dele e enfaixou seus ferimentos, derramando neles azeite e vinho. Então o pôs no seu próprio animal, o levou a uma hospedaria e cuidou dele.” – Lucas 10:34.

“Não beba mais água, mas tome um pouco de vinho por causa do seu estômago e porque você adoece frequentemente.” – 1 Timóteo 5:23.

“Não esteja entre os que bebem muito vinho, entre os que se empanturram de carne.” – Provérbios 23:20.

“Ou será que vocês não sabem que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não se enganem. Os que praticam imoralidade sexual, os idólatras, os adúlteros, os homens que se submetem a atos homossexuais, os homens que praticam o homossexualismo, os ladrões, os gananciosos, os beberrões, os injuriadores e os extorsores não herdarão o Reino de Deus.” – 1 Coríntios 6:9, 10.

Mas no caso do sangue, as Escrituras são claras em mostrar que não devem ser usados de forma alguma. Lemos em Atos 15:28, 29:

 “Pois pareceu bem ao espírito santo e a nós não impor a vocês nenhum fardo além destas coisas necessárias: que persistam em se abster de coisas sacrificadas a ídolos, de sangue, do que foi estrangulado e de imoralidade sexual. Se vocês se guardarem cuidadosamente dessas coisas, tudo irá bem com vocês. Saudações!”

O único uso aprovado do sangue foi para cobertura de pecados (uso moral, religioso e não terapêutico) e se cumpriu com o único sangue capaz de cobrir pecados - o sangue de Cristo. - Levítico 17:11; 1 João 1:7.

“Pois a vida de uma criatura está no sangue, e eu mesmo o dei [isto é, o sangue] a vocês para que façam expiação [cobertura de pecados] por si mesmos no altar. Pois é o sangue que faz expiação por meio da vida que está nele.” – Levítico 17:11.

Tal cobertura de pecados era feita não por se ingerir o sangue, mas por sacrificar um animal e derramar o sangue deste no altar de sacrifícios. Jesus Cristo, como o simbólico “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, morreu em sacrifício pelos nossos pecados, e o seu sangue derramado forneceu a base para a cobertura de nossos pecados.

“O sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” – 1 João 1:7.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




domingo, 3 de dezembro de 2017

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 88)

Fonte da ilustração: jw.org
Oração de Jesus em favor de seus discípulos
(João 17:1-26)
Jesus falou estas coisas, e, levantando os olhos para o céu, disse: “Pai, veio a hora; glorifica o teu filho, para que o teu filho te glorifique, 2 segundo lhe deste autoridade sobre toda a carne, para que, com respeito ao [número] inteiro dos que lhe deste, ele lhes dê vida eterna. 3 Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo. 4 Eu te tenho glorificado na terra, havendo terminado a obra que me deste para fazer. 5 De modo que agora, Pai, glorifica-me junto de ti com a glória que eu tive junto de ti antes de haver o mundo.
6 “Tenho feito manifesto o teu nome aos homens que me deste do mundo. Eram teus e tu mos deste, e eles têm observado a tua palavra. 7 Eles vieram agora a saber que todas as coisas que me deste são de ti; 8 porque eu lhes tenho dado as declarações que me deste, e eles as têm recebido e têm certamente chegado a saber que saí como teu representante, e eles têm acreditado que tu me enviaste. 9 Faço solicitação a respeito deles; faço solicitação, não a respeito do mundo, mas a respeito daqueles que me deste; porque são teus, 10 e todas as minhas coisas são tuas e as tuas são minhas, e eu tenho sido glorificado entre eles.
11 “Também, não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo e eu vou para ti. Santo Pai, vigia sobre eles por causa do teu próprio nome que me deste, para que sejam um, assim como nós somos. 12 Quando eu estava com eles, costumava vigiar sobre eles por causa do teu próprio nome que me deste; e tenho-os guardado, e nenhum deles está destruído exceto o filho da destruição, para que se cumprisse a escritura. 13 Mas agora vou para ti e estou falando estas coisas no mundo, a fim de que tenham a minha alegria plenamente em si mesmos. 14 Tenho-lhes dado a tua palavra, mas o mundo os tem odiado, porque não fazem parte do mundo, assim como eu não faço parte do mundo.
15 “Solicito-te, não que os tires do mundo, mas que vigies sobre eles, por causa do iníquo. 16 Não fazem parte do mundo, assim como eu não faço parte do mundo. 17 Santifica-os por meio da verdade; a tua palavra é a verdade. 18 Assim como tu me enviaste ao mundo, eu também os enviei ao mundo. 19 E santifico-me em seu benefício, para que também sejam santificados por meio da verdade.
20 “Faço solicitação, não somente a respeito destes, mas também a respeito daqueles que depositam fé em mim por intermédio da palavra deles; 21 a fim de que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em união comigo e eu estou em união contigo, para que eles também estejam em união conosco, a fim de que o mundo acredite que me enviaste. 22 Também, eu lhes tenho dado a glória que tu me tens dado, a fim de que sejam um, assim como nós somos um. 23 Eu em união com eles e tu em união comigo, a fim de que sejam aperfeiçoados em um, para que o mundo tenha conhecimento de que tu me enviaste e que os amaste assim como amaste a mim. 24 Pai, quanto ao que me tens dado, quero que, onde eu estiver, eles também estejam comigo, a fim de que observem a minha glória que me tens dado, porque me amaste antes da fundação do mundo. 25 Justo Pai, o mundo, deveras, não veio a conhecer-te; mas eu vim a conhecer-te, e estes vieram a saber que tu me enviaste. 26 E eu lhes tenho dado a conhecer o teu nome e o hei de dar a conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles e eu em união com eles.”

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *