Image Map











domingo, 4 de fevereiro de 2018

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 97)

Fonte da ilustração: Pinterest
Eventos miraculosos após a morte de Cristo
(Unificação de Mat. 27:51-56; Mar. 15:38-41; Luc. 23:45b, 47-49)
(Mat. 27:51-53)
 51 E eis que a cortina do santuário se rasgou em dois, de alto a baixo, e a terra tremeu, e as rochas se fenderam. 52 E abriram-se os túmulos memoriais e muitos corpos dos santos que tinham adormecido foram levantados, 53 (e pessoas, saindo dentre os túmulos memoriais depois de ele ter sido levantado, entraram na cidade santa,) e tornaram-se visíveis a muitas pessoas.
Ora, quando o oficial do exército, que estava presente, tendo-o sob as vistas, e os que com ele vigiavam sobre Jesus, viram o terremoto e as coisas que aconteciam, que tinha expirado nestas circunstâncias, ficaram com muito medo, dizendo: “Certamente este era o Filho de Deus.” O oficial do exército começou a glorificar a Deus, dizendo: “Realmente, este homem era justo.” E todas as multidões, ajuntadas ali para o espetáculo, ao observarem as coisas que ocorriam, começaram a voltar, batendo-se no peito.
Além disso, todos os conhecidos dele estavam parados [ali] à distância. Havia ali também muitas mulheres observando de certa distância, entre as quais Maria Madalena, bem como Maria, a mãe de Tiago, o Menor[1], e de Josés,[2] e Salomé,[3] a mãe dos filhos de Zebedeu, que costumavam acompanhá-lo e ministrar-lhe desde a Galileia, e muitas outras mulheres, que vieram com ele a Jerusalém. [Elas] estavam paradas ali observando estas coisas.

Fonte da ilustração: O Maior Homem Que Já Viveu, capítulo 126.

Fonte da ilustração: jw.org
O sepultamento do corpo de Jesus
(Unificação de Mat. 27:57-61; Mar. 15:42-47; Luc. 23:50-56; João 19:31-42)
(João 19:31-37)
 Então, os judeus, visto ser a Preparação,[4] a fim de que os corpos não permanecessem nas estacas de tortura no sábado, (pois era grande o dia daquele sábado,) solicitaram que Pilatos fizesse quebrar-lhes as pernas e retirar os [corpos]. 32 Os soldados vieram, portanto, e quebraram as pernas do primeiro [homem] e as do outro [homem] que com ele tinham sido pregados em estacas. 33 Mas, ao chegarem a Jesus, vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas. 34 No entanto, um dos soldados furou-lhe o lado com uma lança,[5] e saiu imediatamente sangue e água.[6] 35 E aquele que viu [isso] tem dado testemunho, e o seu testemunho é verdadeiro, e esse homem sabe que diz coisas verdadeiras, a fim de que vós também creiais. 36 De fato, estas coisas ocorreram, a fim de que se cumprisse a escritura: “Nenhum osso seu será esmagado.”[7] 37 E, novamente, uma escritura diferente diz: “Olharão para Aquele a quem traspassaram.”[8]
A tarde já estava então avançada, e, visto ser a Preparação, isto é, o dia antes do sábado, veio um homem rico de nome José, de Arimateia[9], uma cidade dos da Judeia, membro bem conceituado do Conselho, homem bom e justo — este homem não tinha votado em apoio do desígnio e da ação deles – que aguardava o reino de Deus, [e que] também se tinha tornado discípulo de Jesus, mas em secreto, por temor dos judeus. Este homem tomou ânimo, dirigiu-se a Pilatos [e] solicitou que pudesse retirar o corpo de Jesus. Mas, Pilatos perguntava-se se já estaria morto, e, convocando o oficial do exército, perguntou-lhe se já tinha morrido. Assim, depois de certificar-se por intermédio do oficial do exército, concedeu a José o cadáver.
Concordemente, ele comprou linho fino puro, e veio, portanto, e retirou o corpo dele, e enrolou-o no linho fino. Também Nicodemos, o homem que viera a ele pela primeira vez de noite, veio trazer um rolo de mirra e aloés,[10] cerca de trinta e três quilos disso. E o envolveram com faixas, junto com os aromas, do modo como os judeus costumam preparar para o enterro.  Incidentalmente, no lugar onde fora pregado numa estaca havia um jardim, e no jardim um túmulo memorial novo, no qual ainda ninguém tinha sido deitado. Ali, no novo túmulo memória [de José], que ele tinha escavado na rocha, por causa da preparação dos judeus, deitaram Jesus, porque o túmulo memorial estava perto. Ora, era o dia da Preparação e aproximava-se a luz vespertina do sábado.
Mas as mulheres, que tinham vindo com ele desde a Galileia, acompanhavam-no, e foram ver o túmulo memorial e como o corpo dele estava deitado; e voltaram para preparar aromas e óleos perfumados. Mas, naturalmente, descansaram no sábado, segundo o mandamento. E, depois de rolar uma grande pedra à porta do túmulo memorial, [José] partiu. Porém, Maria Madalena e Maria, a mãe de Josés, permaneceram ali, sentadas diante do sepulcro, [e] continuavam a olhar para onde tinha sido deitado.
Fonte da ilustração: http://ensinoinfantilnumclique.com.br

Os líderes providenciam a guarda do sepulcro (sábado, 15 de nisã de 33 EC)
(Mat. 27:62-66)
62 No dia seguinte, que era depois da Preparação[11], ajuntaram-se perante Pilatos os principais sacerdotes e os fariseus, 63 dizendo: “Senhor, lembramo-nos de que esse impostor dizia, enquanto ainda estava vivo: ‘Depois de três dias eu hei de ser levantado.’ 64 Portanto, ordena que o sepulcro seja feito seguro até o terceiro dia, para que não venham os seus discípulos e o furtem, e digam ao povo: ‘Ele foi levantado dentre os mortos!’ e esta última impostura seja pior do que a primeira.” 65 Pilatos disse-lhes: “Tendes uma guarda.[12] Ide fazê-lo tão seguro como sabeis.” 66 De modo que foram e fizeram o sepulcro seguro por selarem a pedra e terem a guarda.


Explicação das siglas usadas:
 EC: Era Comum.
 g: revista Despertai!. Os números em sequência indicam, respectivamente, o ano, o dia e o mês da publicação.
 it: obra Estudo Perspicaz das Escrituras. O número em sequência indica o volume.

Notas:
[1] Outro apóstolo de Jesus Cristo e filho de Alfeu. (Mat. 10:2, 3; Mar. 3:18; Luc. 6:15; Atos 1:13) Crê-se em geral, e é bem provável, que Alfeu era o mesmo que Clopas, caso em que a mãe de Tiago era Maria, a mesma Maria que era “a mãe de Tiago, o Menor, e de Josés”. (João 19:25; Mar. 15:40; Mat. 27:56) É possível que tenha sido chamado de Tiago, o Menor, quer por ter sido menor em estatura física, quer mais moço do que o outro apóstolo Tiago, filho de Zebedeu. – It-3, p. 705.
[2]  “Josés”, ABCDcSyh,pאD°WVgSys: “José”. (NM nota em Mateus 27:56.) Do hebr., forma abreviada de Josifias, que significa “Que Jah Acrescente (Aumente); Jah Acrescentou (Aumentou)”. – It-2, p. 603.
[3]  [Provavelmente duma raiz hebr. que significa “paz”]. Provavelmente era irmã carnal de Maria, mãe de Jesus. Salomé era discípula do Senhor Jesus Cristo. (João 19:25; Mat. 27:55, 56; Mar. 15:40, 41; Luc. 8:3) – It-3, p. 509.
[4] Nome aplicado ao dia que antecedia o sábado semanal, durante o qual os judeus se preparavam para o sábado. – It-3, p. 311.
[5] Visto que era um soldado romano, provavelmente usou o pilo romano. Esta arma tinha cerca de 1,8 m de comprimento, com uma ponta de ferro farpada que se estendia até o meio da haste de madeira. – It-1, p. 189.
[6] O fato de “sangue e água” terem fluído do ferimento de lança que Jesus sofreu logo após a sua morte pode ter sido resultado de uma ruptura no coração. Uma ruptura do coração ou da artéria principal do coração poderia derramar sangue tanto na caixa torácica como no pericárdio, que é uma membrana serosa que envolve o coração. Uma punção em qualquer uma dessas duas regiões poderia causar um fluxo do que pareceria ser “sangue e água”. (João 19:34) – g95 22/10 p. 31.
[7] Sal. 34:20.
[8] Zac. 12:10.
[9] Do hebr., significando “Altura”. A localização de Arimateia é geralmente considerada como sendo o lugar da moderna Rentis (Rantis), a cerca de 35 km ao NO de Jerusalém e a cerca de 26 km ao L de Jope (moderna Tel Aviv-Yafo). – It-1, p. 187.
[10] Nome aplicado a uma variedade de árvore que contém uma substância fragrante, ou aromática, usada como perfume no período bíblico. (Salmo 45:8; Provérbios 7:17; Cântico 4:14) – It-1, p. 94.
[11] O dia sabático judaico.
[12] Puseram-se soldados romanos para guardar o túmulo de Jesus. Se esses guardas tivessem sido policiais judeus do templo, os judeus não teriam de perguntar a Pilatos sobre o assunto. Do mesmo modo, os principais sacerdotes prometeram cuidar do caso com o governador, se ele ficasse sabendo do desaparecimento do corpo de Jesus. (Mat. 28:14) – It-3, p. 623.


O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *