Image Map











domingo, 20 de maio de 2018

Reflexões de um pastor adventista (Parte 1)






Um leitor trouxe à atenção deste site um livro publicado pelo pastor Brizolar Jardim, da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Trata-se do livro “A Sacudidura e os 144 mil Selados”.

Trata-se de uma obra sincera, na qual o referido pastor demonstra sua real preocupação pela condição espiritual de sua organização religiosa, trazendo à tona os aspectos que acredita necessitarem de reforma, e apontando as possíveis soluções para isso.




Na página 131 de sua obra, o senhor Jardim menciona um problema doutrinal que ele e outros adventistas enfrentavam a respeito de sua interpretação referente aos 144.000 e à grande multidão mencionados no livro do Apocalipse:





Da cândida admissão do senhor Jardim pode-se depreender como deve ser difícil ter de ensinar algo que se sabe de antemão não se harmonizar com a Bíblia.

Mas, o que leva a essa dificuldade doutrinal? O problema está numa interpretação apontada pelo referido pastor:

Página 122

A crença adventista, de que os 144.00 vêm da grande tribulação, por certo, gera confusão, como admitido pelo senhor Jardim:

Página 122

Segundo a Bíblia, os que saem da grande tribulação são a grande multidão:

“Depois disso [da visão dos 144 mil] eu vi uma grande multidão, que nenhum homem era capaz de contar [diferente dos 144 mil, que são um número contado], de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de compridas vestes brancas, e havia folhas de palmeiras nas suas mãos. Em vista disso, um dos anciãos me disse: ‘Quem são esses que vestem compridas vestes brancas, e de onde vieram?’ Assim, eu lhe disse imediatamente: ‘Meu senhor, é o senhor quem sabe.’ Ele me disse: ‘Esses são os que saem da grande tribulação; eles lavaram suas vestes compridas e as embranqueceram no sangue do Cordeiro.’” – Apocalipse 7:9, 13, 14.

O que levou o pastor adventista do Sétimo Dia a escrever tal livro? A quem tal livro foi endereçado? No prólogo de sua obra, o próprio autor explica:


E na introdução, o senhor Jardim torna claro seu sentimento em relação à religião da qual é pastor:

Introdução, página 2

Com tal espírito altruísta, o senhor Jardim traz à tona os problemas enfrentados pelo seu movimento religioso, os quais merecem atenção. Levanta questões pertinentes que precisam ser analisadas:

Página 6

A que conclusões chegou tal pastor sobre esses questionamentos?

A situação da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Seguem abaixo alguns problemas apontados pelo referido pastor adventista:

Apostasia:

Página 66

Formalismo:

Página 8

Não viver a verdade:

Página 31

Falta de engajamento:

Página 7

Participação na guerra:

Página 86

Página 87

Ausência de perseguição:

Página 9

Problemas na liderança:

Introdução, página 1

Página 36

Condição espiritual doentia:

Página 79

Página 79

Conclusão

Após a franca exposição acima, somos levados a nos perguntar: Qual a razão de tal situação no seio da Igreja Adventista do Sétimo Dia? O artigo seguinte desta série examinará esta questão.


Explicação da sigla usada:
IASD: Igreja Adventista do Sétimo Dia.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org


8 comentários:

  1. Muito interessante irmão Apologista da Verdade! Parabéns. Que continue seu bom trabalho!

    ResponderExcluir
  2. Fabrício Remistico23 de maio de 2018 12:51

    Um lobo solitário no deserto! Muito boa essa autocrítica. A despeito de nossas divergências teológicas, serve como exemplo para nós as reflexões do Pr. Brizolar!

    ResponderExcluir
  3. E detalhe:
    O livro é de 1985!
    Imagine se a situação melhorou ou piorou ??

    ResponderExcluir
  4. A cristandade é conscientemente cega!

    ResponderExcluir
  5. Excelente matéria, tem uma sugestão, e ao mesmo tempo uma dúvida: Queria que me explicasse sobre o 1 Reis cap. 13 que fala sobre o profeta do Verdadeiro Deus: Quem era esse profeta e a dúvida: o profeta Idoso, que mentiu para o profeta do Verdadeiro Deus, era um profeta de Jeová, ou não? E se o for, por que que Jeová mandaria enganá-lo, para comer pão e água, como relata 1 Reis 13. Gostaria de esclarecer essa dúvida, que seria um bom tópico para este blog. No demais, meu caro Apologista,que Jeová o ilumine com o conhecimento exato, que Deus te deu e nos ensine a todos nós o verdadeiro Caminho, através da Santa Palavra de Jeová, na infalível Tradução do Novo Mundo, que é um presente nosso à todos os irmãos. Fique com Jeová!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Eduardo:

      Muito obrigado pelas expressões de apreço! Quanto a 1 Reis capítulo 13, veja a Sentinela de 15/8/08 p. 7 sob o tópico “Mantenha a lealdade com um coração unificado”.

      Abraços e fique com Jeová!

      Excluir
    2. Uma palavra de cautela ao Eduardo:
      Nós TESTEMUNHAS de Jeová não consideramos a Novo Mundo como sendo "infalível", como você colocou aí no teu comentário. Não consideramos nada infalível. A única coisa que poderia ser considerada INFALÍVEL seria a voz de Jeová caso ele falasse diretamente conosco hoje como falava com os profetas. Ou então os textos originais que foram escritos diretamente pelos servos que escreveram os livros da Bíblia.
      Mas como não temos mais os originais, não podemos considerar nenhuma publicação como INFALÍVEL, haja visto que sempre são necessárias revisões de ensinos e de traduções bíblicas.
      Isso da até assunto para um bom artigo: 'É CORRETO CONSIDERAR PUBLICAÇÕES OU INDIVÍDUOS COMO "INFALÍVEIS"?(SEJA NO MEIO TJ OU NO MEIO DAS OUTRAS RELIGIÕES)??

      Excluir
  6. Concordo com vc irmão Vagner, só disse isso, porque a TNM está me dando o entendimento exato como se deve da Palavra de Jeová, além do estudo que estou tendo da revista A Sentinela. Por isso que cheguei a essa conclusão, coisa que a Cristandade está há anos-luz de entender. Por fim, valeu a dica! Fique com Jeová!

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *