Image Map











domingo, 13 de janeiro de 2019

Os violentos conquistam o reino de Deus? (Mateus 11:12)


Fonte: jw.org

Lemos em Mateus 11:12 na Bíblia de Jerusalém: “Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos Céus sofre violência, e os violentos se apoderam dele.” A nota de rodapé sobre a expressão “sofre violência” diz o seguinte:

A expressão foi interpretada de vários modos: 1. Pode-se tratar da santa violência daqueles que se apoderam do Reino à custa das mais duras renúncias; 2. da violência perversa dos que querem estabelecer o Reino pelas armas (os zelotas); 3. da tirania dos poderes demoníacos, ou dos seus partidários terrestres, que pretendem conservar o domínio desse mundo e criar obstáculos ao progresso do Reino de Deus. Finalmente, há quem traduza: “O Reino dos Céus abre caminho com violência”, isto é, se estabelece com poder, apesar de todos obstáculos.




Há outras traduções que vertem de forma similar à BJ:

“O Reino do Céu tem sido atacado com violência, e as pessoas violentas tentam conquistá-lo.” – NTLH.

“O Reino dos Céus sofre violência, e os que usam de força se apoderam dele.” – NAA.

“Se faz violência ao Reino dos céus, e pela força se apoderam dele.” – ARC.

“O Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de violência se apoderam dele. – Bíblia King James Atualizada.

O impacto da má tradução

De acordo com o escritor Marco Antônio de Castro Faleiro,

Estas palavras do Senhor Jesus têm sido usadas para promover muitas violências contra pessoas, foram nelas que a Igreja Católica Medieval se apoiou para fazer a inquisição, e inclusive que muitos movimentos cristãos históricos se apoiaram para promover perseguição, genocídio, preconceito, racismo e divisões. Os cristãos chegaram a formar exércitos para exterminar inimigos “pagãos”. Houve os “soldados de Cristo” que carregavam uma armadura e espadas reais e matavam fisicamente os chamados “inimigos da igreja”. A violência “cristã” criou a doutrina do antissemitismo fazendo de todo judeu um traidor como Judas, e diminuiu todos os povos de pele escura como amaldiçoados por teoricamente serem filhos de Cão. Com doutrinas absurdas os pretensos “cristãos” criaram suas ‘desculpas’ para a violência a favor do Reino de Deus. O texto de Mateus 11:12 tem sido usado por muitos “cristãos” que o utilizam como apoio para promover a perseguição de todos que são considerados hereges, perdidos e traidores da igreja. 

Tentativas de explicar o texto

 O Padre Jaldemir Vitório, Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica e Professor da FAJE (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia) teceu o seguinte comentário sobre essa passagem:

Por um lado, quando Jesus começou a pregar, nos dias de João Batista, muita gente se converteu, esforçando-se para entrar no Reino.

[…]

Por outro lado, desde o início de seu ministério, o Mestre viu-se às voltas com a violência das forças do anti-Reino, articuladas para neutralizá-lo, de modo a impedir que muitas pessoas entrassem nele.

[…]

O discípulo experimenta, pois, dois níveis de violência: um interno, enquanto combate seus vícios e pecados; e outro externo, enquanto é vítima da maldade dos inimigos do Reino.[1]

Segue abaixo uma explicação de Mateus 11:12 em uma Homilia de Pio XII:

Nem todos somos chamados a sofrer o martírio; mas todos somos chamados a adquirir as virtudes cristãs. A virtude, porém, exige energia, … um cuidado contínuo e muito atento, que deve ser sempre mantido por nós até ao fim da vida. Por isso, semelhante esforço pode ser considerado um martírio lento e prolongado, ao qual nos convidam estas divinas palavras de Jesus Cristo: O reino dos Céus sofre violência e são os violentos que o arrebatam. (Negrito acrescentado.)

Apesar dos nobres esforços de explicar essa forma de traduzir Mateus 11:12, teria sido mais fácil e natural optar por uma tradução que seja coerente com todo o contexto bíblico – que prega o amor em vez de a violência.

Por mais que se busque uma ideia de “santa violência”, como no comentário da Bíblia de Jerusalém, o fato é que é impossível destituir a palavra “violência” de seu significado negativo. Sobre isso, veja o que diz o artigo “Sociologia da Violência: Teoria e Pesquisa”, do Núcleo de Estudos da Violência, da Universidade de São Paulo:

Etimologia da palavra violência.

1. Cf. Aurélio Buarque de Holanda: constrangimento físico ou moral; uso da força; coação. Violentar: exercer violência sobre; forçar; coagir; constranger; torcer o sentido de; alterar; inverter. Origem latina da palavra violentia: verbo violare significa tratar com violência, profanar, transgredir. Faz referência ao termo vis: força, vigor, potência, violência, emprego de força física em intensidade, qualidade, essência. Na tradição clássica greco-romana, violência significava o desvio, pelo emprego de força externa, do curso “natural” das coisas. Referência à ordem natural em que se concebia o universo (a natureza e a cultura, o mundo físico e o mundo social). Violar significava, portanto, transgredir, pelo emprego da potência, o equilíbrio natural (e, em decorrência, normal) em que tudo – as coisas e as pessoas – parecia estar situado e sustentado. Esse modo de conceber a violência firmou-se na tradição ocidental desde a antiguidade clássica greco-romana.

Portanto, tendo em vista o valor negativo intrínseco à palavra “violência”, é necessário optar por uma tradução que não use a palavra “violência” nem transmita a ideia de sua ocorrência, em um texto que retrata os que conquistam o Reino de Deus.

O sentido correto de Mateus 11:12

A palavra grega comumente traduzida “violentos” nas versões da Bíblia é biastés (βιαστής). Sobre tal substantivo, o Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong fornece as definições de (1) forte, impetuoso; e (2) que faz uso da força, violento. Observe que a opção de traduzir tal vocábulo por “violento” foi colocada como última opção.



De modo similar, o Léxico Grego de Thayer comenta:

Em Mateus 11:12, esses são chamados de βιασταί [biastaì], pelos quais o reino de Deus βιάζεται [biázetai], ou seja, que se esforça para obter seus privilégios com a maior ansiedade e esforço. (Negrito acrescentado.)



Um léxico grego online[2] define βιάζω por:  “(1) usar a força, aplicar força 2) forçar, infligir violência”. Note que o sentido primário apontado é de esforço, e somente em segundo plano se aponta o sentido negativo de violência.

Brett Yardley, escritor de assuntos  bíblicos e teológicos, faz o seguinte comentário sobre as palavras em foco no texto de Mateus 11:12:

Verbo principal: “tem avançado com força” - Duas grandes interpretações do verbo βιάζω (biázo) afirmam que o sujeito está conduzindo o avanço vigoroso (voz média) ou é o receptor do avanço vigoroso (voz passiva), que é “violência sofrida”. 

Sujeito: “homens fortes” -  βιασται (biastai), ou homens fortes, ou são vistos como … “adeptos entusiastas” (Howell, 123-24) já que o ministério de João marcou o início do reinado de Deus expandindo-se para incluir os outros que não são judeus, e, portanto, os “discípulos apaixonados para viver sob e promover o seu governo no mundo” (Howell 124). 

[…]

Verbo principal: “agarrar-se a ele” -Dependendo de como o verbo αρπάζω (arpazo) é traduzido, os “homens fortes” agem como aliados ou adversários do reino, “apegando-se a ele” ou “atacando-o violentamente”.

[…]

Qual interpretação e por quê: Contextualmente, o verbo βιάζω (biazo) é melhor interpretado na voz média, já que, além da recente prisão de João (sua decapitação ainda não havia ocorrido), pouco parece ter ocorrido que merecesse as poderosas palavras “sofreu violência”. Parece muito mais apropriado que, com o início da pregação de João (o cumprimento dos profetas) e a vinda de Cristo, o Reino tivesse amanhecido e estivesse de fato avançando vigorosamente (embora no sentido espiritual, não no sentido literal militarista ou político). O sujeito βιασται (biastai) é melhor interpretado à luz do verbo, que é novamente melhor compreendido contextualmente. Como αρπάζω (arpazo) significa literalmente “agarrar, pegar, arrancar, puxar ou pegar à força”, é melhor interpretá-lo em um sentido positivo … , já que parece “dificilmente possível” (sob o pressuposto de que o Reino dos Céus é o “Reino de Deus”) que homens violentos ou mesmo o próprio Satanás poderiam “agarrar, pegar, arrancar, puxar ou pegar” o Reino dos Céus pela força. Eles podem se opor ao reino, e certamente tentam, mas essa não é a definição lexical [vocabular] do verbo que Cristo usou. Assim, a NIV (a NIV original) parece oferecer a melhor interpretação, vendo as pessoas poderosas “como os samaritanos, o centurião romano, ... os 12 apóstolos” e o resto do mundo gentio apoderando-se dele por meio de “arrependimento e submissão radical ao Rei ...” (Howell, 124). 

O artigo “As traduções da cristandade – parte 1” teceu o seguinte comentário sobre Mateus 11:12:

O verbo grego biάzo (biázo), além de significar “dominar pela força”, “constranger”, “pressionar seriamente para a frente”, “apressar”, tem também o sentido passivo (que ocorre em Mateus 11:12) de ser objeto de um movimento impetuoso. (The New Analytical Greek Lexicon, de Wesley J. Perschbacher)

O sentido correto de Mateus 11:12 é ressaltado pelas traduções da Bíblia citadas abaixo:

 ”O reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele.ARA.

“O reino dos céus é tomado à força, e os que se esforçam são os que o conquistam.” – TB.

“O Reino dos céus é o alvo para o qual os homens avançam vigorosamente, e os que avançam vigorosamente se apoderam dele.” – NM.

Jesus ressaltou a necessidade de esforço vigoroso em Lucas 13:24: “Esforcem-se vigorosamente para entrar pela porta estreita, pois eu lhes digo que muitos procurarão entrar, mas não poderão.”


Notas:

[1] VITÓRIO, Jaldemir. Apud DomTotal. Disponível em: < http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=544775>.

[2] The Online Greek Bible. Disponível em: <http://www.greekbible.com/l.php?bia/zw_v-3pmi-s>.


Siglas das traduções usadas:

ARA: Almeida Revista e Atualizada.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
BJ: Bíblia de Jerusalém.
NAA: Nova Almeida Atualizada.
NM: Tradução do Novo Mundo Revisada 2015.
NTLH: Nova Tradução na Linguagem de Hoje.
TB: Tradução Brasileira.


Referências:

Biastés. Léxico Grego de Thayer. Disponível em: <https://bibliaparalela.com/greek/973.htm>.

______. Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. © 2002 Sociedade Bíblica do Brasil SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL Av. Ceci, 706 – Tamboré Barueri, SP – CEP 06460-120 Cx. Postal 330 – CEP 06453-970. Site: http://www.sbb.org.br.

Bíblia Português. Disponível em: <https://bibliaportugues.com/matthew/11-12.htm>.

 

Faleiro, Marco Antônio de Castro. Textos Para Refletir. Mateus 11.12 – A Violência e o Reino de Deus? Disponível em: <http://textospararefletir.blogspot.com/2011/06/mateus-1112-violencia-e-o-reino-de-deus.html>.


Pio XII. Fratres in Unum.com. O reino dos Céus sofre violência e são os violentos que o arrebatam. Disponível em: <https://fratresinunum.com/2015/07/06/o-reino-dos-ceus-sofre-violencia-e-sao-os-violentos-que-o-arrebatam/>.

Violência. Etimologia e definição. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Núcleo de Estudos da Violência. CEPID-FAPESP. Disponível em: <http://nevusp.org/wp-content/uploads/2014/08/down021.pdf>.

Vitório, Jaldemir. Apud DomTotal. Disponível em: < http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=54477>.

Yardley, Brett. What is the best translation of Matthew 11:12? Disponível em: <http://www.brettyardley.com/theology-blog/what-is-the-best-translation-of-matthew-1112>.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





2 comentários:

  1. Gente! Olha só o profissionalismo, a qualidade excepcional, o esmero com que esse e todos os outros artigos são produzidos neste site!
    É de cair o queixo!
    Tudo bem editado, diagramado, citações e referências ao pé da página....somados à profunda pesquisa que o Apolônio faz em prol da Verdade do DEUS da Verdade, JEOVÁ!
    Parabéns Apolônio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Silva Vagner:

      Muito obrigado pela sua expressão de apreço. Palavras elogiosas como as suas me incentivam a continuar este trabalho laborioso em prol da verdade bíblica.

      Grande abraço e fique com Jeová.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *