Image Map











sexta-feira, 17 de abril de 2020

Por que a Vulgata usa a palavra “chifres” com relação a Moisés? – Parte 1



Um leitor trouxe a este site a seguinte questão:

O texto em Latim de Êxodo 34:29 usa a palavra “CORNUT”, o que significa “CHIFRES” ... Moisés sob chifres e ele não sabia, de acordo com o texto.

Este é o raciocínio de algumas pessoas:

“Não há outro texto na Bíblia em que a palavra Qarán signifique ‘raios’ ou ‘esplendor’. Essas explicações não suportam nenhuma análise linguística. Se o autor realmente quisesse falar sobre luz ou esplendor, ele teria usado a palavra Or (אור), ‘luz’ (Gên. 1:3) ou a palavra Jashmál (חשמל) ‘esplendor’ (Ezeq. 1:4). Este não é o caso.”

Você poderia me ajudar com isso também?

Bênçãos!

Resposta:

Na igreja de San Pietro in Vincoli, em Roma, encontra-se uma escultura de Moisés tendo em sua cabeça um par de chifres. A obra foi esculpida pelo artista renascentista Michelangelo Buonarroti, em 1505, por encomenda do Papa Júlio II. Essa obra artística teve por base o evento registrado em Êxodo 34:30-35, conforme a tradução da Vulgata latina, de Jerônimo, concluída em 405 EC. Observe como essa tradução verte Êxodo 34:29, 30, 35:

Cumque descenderet Moyses de monte Sinai, tenebat duas tabulas testimonii, et ignorabat quod cornuta esset facies sua ex consortio sermonis Domini

“E quando Moisés desceu do monte Sinai, ele segurou as duas tábuas do testemunho, e ele não sabia que seu rosto tinha chifres pela conversa do Senhor.”

videntes autem Aaron et filii Israël cornutam Mosi faciem timuerunt prope accedere.

“E Arão e os filhos de Israel, vendo a face de Moisés com chifres, tinham medo de se aproximar.”

qui videbant faciem egredientis Mosi esse cornutam sed operiebat rursus ille faciem suam si quando loquebatur ad eos.

“E eles viram que o rosto de Moisés quando ele saiu estava com chifres, mas ele cobriu o rosto novamente, se a qualquer momento ele falasse com eles.”



Um erro de tradução

O vocábulo hebraico em questão é קָרַן (QÅRAN).

Segundo a Definição Expandida Brown-Driver-Briggs, este verbo significa “emitir raios; brilhar” em Êxodo 34:29, 30, 35. A Concordância de Strong e a Concordância Exaustiva NAS também definem qaran como “emitir raios”.

Gesenius' Hebrew and Chaldee Lexicon (“Léxico Hebraico e Caldeu de Gesenius”) define assim:

קָרַן. verbo com o sentido de irradiar, emitir raios, brilhar (usado com relação à face de Moisés), Êxodo 34:29, 30; Êxodo 34:35. Absurdamente vertido por Áquila e pela Vulgata como cornuta erat, de onde os pintores representam Moisés como tendo chifres.

Um site de pesquisa bíblica comentou:

29. Seu rosto resplandecia. A palavra hebraica para resplandecer é peculiar; tendo origem na palavra “chifre”; significa, literalmente, emitir raios. Jerônimo, na Vulgata, traduziu a cláusula à luz do significado básico da raiz da palavra – “chifrava”. Desde então Moisés tem sido frequentemente representado, nos quadros, com chifres a lhe saírem da cabeça.[1]

Luciana Gomes da Silva, Bacharela em Teologia pela Boston Theological School e certificada em hebraico pelo Boston Hebrew College, bem como certificada em Contexto e cultura Judaica pelo Israel Bible Center, explica que qaran (ou karan) vem da raiz hebraica qeren (ou keren), palavra que significa “chifre”. Qeren é usado para as pontas (os chifres) do altar (Êxodo 29:12), com referência a trombetas em Josué 6:5 na expressão “corno [hebr.: qé·ren] de carneiro”, e com referência ao chifre usado para ungir, em 1 Samuel 16:1.

Conforme explica Luciana, no dicionário hebraico o verbo qaran tem a referência 7160 e significa “resplandecer”. O hebraico era escrito sem vogais. Jerônimo fez a tradução do hebraico para o latim. Colocou que Moisés tinha chifres, por causa dessa conexão de qaran com qeren.

Luciana explica:

A Vulgata de Jeronimo foi a causadora desse grande desentendimento, que chegou a fazer vários e vários artistas renascentistas esculpirem Moises com chifres … por causa dessa tradução de Jeronimo, que colocou cornuto.

[…]

Jerônimo trocou qaran (resplandecer de luz) por qeren (chifres). A raiz é qeren por causa dos raios do sol, que a luz emite. Toda palavra hebraica tem uma conotação muito forte com a sua raiz. E qaran é o resplandecer da luz no rosto de Moisés e não necessariamente chifres na face de Moises.

Via de regra, as versões católicas atuais traduzem de forma correta, a exemplo da Bíblia de Jerusalém, que traduziu qaran como “resplandecer”. A versão católica Douay-Rheims, que é uma tradução da Vulgata para o inglês, traduz Êxodo 34:29 por “ele [Moisés] não sabia que seu rosto estava com chifres pela conversa do Senhor”. E o verso 30 é traduzido assim: “E Arão e os filhos de Israel, vendo a face de Moisés com chifres, tinham medo de se aproximar.” De modo similar, lemos nesta versão o verso 35 deste modo: “E eles viram que o rosto de Moisés, quando ele saiu, estava com chifres.”

Hoje o hebraico possui os sinais massoréticos, que são pontos colocados acima, ao lado ou embaixo das letras hebraicas, fazendo às vezes das vogais, produzindo uma diferença fonética no termo. Assim se torna mais fácil identificar a palavra “קרן” (Qohf, Rehsh, Nun, transliterada QRN), quer na acepção de qaran (“emitir raios”), quer na acepção de qeren (“chifres”).

O periódico A Sentinela (15 de março de 1990, p. 7) explicou:

A tradução vulgata latina da Bíblia diz-nos que, depois de sua palestra com Deus no monte Sinai, o rosto de Moisés “tinha chifres”. (Êxodo 34:29, 30, 35; veja A Bíblia de Jerusalém, nota.)

[…]

Contudo, a palavra hebraica traduzida “tinha chifres” tem também o significado de ‘emitir raios’ ou ‘resplandecer’. (Veja a nota da Bíblia Mensagem de Deus em Êxodo 34:29-35.) De acordo com o Theological Wordbook of the Old Testament (Manual Teológico de Termos do Antigo Testamento), a palavra “denota o formato de chifre(s) em vez de a substância”. E, quando encarados pictoricamente, raios de luz realmente assemelham-se a chifres.

O fato de que o rosto de Moisés emitir raios é explicável, pois a glória de Jeová acabara de passar diante dele. (Êxodo 33:22; 34:6, 7) e este é o entendimento Paulo confirma que este é o entendimento correto ao escrever sobre a “glória” do rosto de Moisés, não dos seus “chifres”. — 2 Coríntios 3:7.[2]

O segundo artigo desta série abordará o que outros comentaristas bíblicos falaram a respeito, bem como o modo em que a Septuaginta traduz e como isso lança luz sobre a tradução correta de Êxodo 34:29-35, e como a alusão que Paulo fez a esse texto confirma o modo correto de traduzi-lo.


Notas:

[1] Biblioteca Bíblica. Interpretação de Êxodo 34. Disponível em: <https://bibliotecabiblica.blogspot.com/2016/01/interpretacao-de-exodo-34.html>.

[2] Moisés com chifres — curiosidade artística. Disponível em: <https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1990201>.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *