Image Map











domingo, 30 de janeiro de 2022

Quem trouxe o mal sobre Jó – segundo Jó 42:11?

Fonte: jw.org
 

Um leitor escreveu:

Em Jó 42:11 muitas traduções da Bíblia dizem que o SENHOR “trouxe” calamidade sobre Jó, mas a NWT [Tradução do Novo Mundo] diz que Jeová “permitiu” isso. Você pode abordar a diferença na tradução?

Resposta:

Jó 42:11 é assim traduzido na Tradução do Novo Mundo: “Todos os seus irmãos e suas irmãs, e todos os seus antigos amigos foram visitá-lo e tomaram uma refeição com ele na sua casa. Eles se compadeceram dele e o consolaram por causa de toda a calamidade que Jeová tinha deixado vir sobre ele. Cada um lhe deu uma peça de dinheiro e uma argola de ouro.”

A versão Almeida Corrigida Fiel, em Jó 42:11, fala de “todo o mal que o Senhor lhe havia enviado”, isto é, a Jó. Quase todas as dezenas de traduções bíblicas pesquisadas vertem basicamente da mesma maneira – atribuindo a Deus o mal que veio sobre Jó. A Septuaginta afirma que tal mal “o Senhor trouxe sobre ele” (πγαγεν ατ κριος; epégagen autõi ho kýrios).

A Bíblia Viva menciona “todo o sofrimento pelo qual ele [Jó] havia passado”. Esta forma livre de traduzir elimina elementos essenciais do texto, como o nome divino – Jeová. A tradução que mais se assemelha à Tradução do Novo Mundo é a Versão Fácil de Ler, que verte esta parte por “todo o mal que o SENHOR permitiu que ele sofresse”.

O fato é que o mal que veio sobre Jó foi produzido por Satanás. Lemos em Jó 2:7: “De modo que Satanás se retirou da presença de Jeová e atingiu Jó com furúnculos dolorosos, desde a sola dos pés até o alto da cabeça.”

A respeito do termo hebraico em questão [935. בּוֹא (bo)], The Brown-Driver-Briggs Hebrew and English Lexicon (“O Léxico Hebraico e Inglês, de Brown-Driver-Briggs”) admite como um dos sentidos o de “permitir vir”.

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 2, p. 707, verbete “Presciência, Predeterminação”) afirma sobre o termo hebraico em apreço:

[…] o apêndice da tradução de Rotherham mostra que, em hebraico, a ocasião ou a permissão de um evento é muitas vezes apresentada como se fosse a causa do evento, e que “até mesmo ordens positivas devem ocasionalmente ser aceitas como não significando nada mais do que uma permissão”. Assim, em Êxodo 1:17, o texto hebraico original diz literalmente que as parteiras “fizeram os meninos viver”, ao passo que na realidade elas permitiram que eles vivessem por refrearem-se de matá-los. Depois de citar os hebraístas M. M. Kalisch, H. F. W. Gesenius e B. Davies em apoio, Rotherham declara que o sentido hebraico dos textos que envolvem Faraó é de que “Deus permitiu que Faraó endurecesse seu próprio coração — poupou-o — deu-lhe a oportunidade, a ocasião, de desenvolver a iniquidade que existia nele. Só isso”. — The Emphasised Bible (A Bíblia Enfatizada), apêndice, p. 919; compare isso com Is 10:5-7. (Negrito acrescentado.)

O artigo Qual é o sentido de Eclesiastes 7:14?” afirmou sobre isso:

Em outras palavras, em diversos casos o verbo “fazer” tem o sentido de “permitir”. Por exemplo, quando a Bíblia diz, em Êxodo 9:12, que “Jeová endureceu o coração de Faraó” (Sociedade Bíblica Britânica), na realidade ela está querendo dizer que “Jeová deixou o coração de Faraó ficar endurecido” (Tradução do Novo Mundo Revisada 2015). 

Gênesis 38:16 é um exemplo deste uso do sentido de “permitir” do referido termo hebraico, como se pode ver abaixo:

“[Judá] dirigiu-se assim a ela [Tamar, sua nora], à beira da estrada, e disse: ‘Deixe-me deitar com você’, pois não sabia que ela era sua nora.”

Alguns comentaristas bíblicos, para justificar a tradução de que Deus enviou a calamidade sobre Jó, declaram que, na verdade, o texto de Jó 42:11 afirma que foram  os irmãos de Jó que presumiram que foi Deus quem causou todos os problemas. Mas o texto não afirma isso. Antes, é o narrador do livro de Jó que faz a afirmação que se encontra em discussão.

Portanto, a tradução que afirma que Jeová permitiu o mal que sobreveio a Jó está em harmonia com o inteiro contexto bíblico, bem como com a santidade de Deus. A respeito do Deus Santo, Jeová, a Bíblia declara enfaticamente: “Perfeito é tudo o que ele faz, pois todos os seus caminhos são justos. Deus de fidelidade, que nunca é injusto; justo e reto é ele.” – Deuteronômio 32:4.

 

Referências: 

Jó 42. A Bíblia Viva. Disponível em: <https://www.bibliatodo.com/pt/a-biblia/biblia-viva/jo-42>.

______. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/job/42-11.htm>.

______. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/parallel/job/42-11.htm>.

______. Septuaginta. Disponível em: <https://www.academic-bible.com/en/online-bibles/septuagint-lxx/read-the-bible-text/bibel/text/lesen/stelle/18/420001/429999/ch/369f4f731366619a3b0f05224cd87068/>.

______. Versão Fácil de Ler. Disponível em: <https://www.bible.com/pt/bible/200/JOB.42.VFL>.

935. boBible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/hebrew/935.htm>.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 

 

 


domingo, 23 de janeiro de 2022

2 Coríntios 3:17 prova que o “Espírito Santo” é uma pessoa?

Fonte: jw.org

Um leitor escreveu o seguinte:

Saudações e bênçãos para todos vocês.

A TNM [Tradução do Novo Mundo] em 2 Coríntios 3:17 traduz corretamente “Jeová é o espírito”.

Agora, os anti-TJ [opositores das Testemunhas de Jeová] ... dizem que até agora as TJ se escondem atrás do fato de que o substantivo Pneuma (espírito) é neutro, ou seja, não tem gênero, como se diz do Pai – em (Êxodo 15: 3) diz-se dele: “Yahweh é um homem de guerra.”

De Yeshua [Jesus Cristo] (Lucas 24:19) De Jesus de Nazaré, que foi um “homem profeta”.

E também dos anjos é dito que, embora sejam espíritos, eles também têm um gênero – veja Daniel 9:21: “Aquele homem que eu tinha visto na visão no princípio, Gabriel.”

No entanto, as Testemunhas de Jeová se escondem atrás das Escrituras, quando falam do Espírito que é [de gênero] neutro e, portanto, não tem personalidade.

Porém, em 2 Coríntios 3:17 é-nos mostrado o apóstolo Paulo chamando o Espírito de Deus de “Senhor”, demonstrando assim que o espírito de Deus tem vontade própria e, portanto, não é aquela força inanimada que dizem que é...

Lembremos que o evangelho, que o apóstolo Paulo pregou, foi recebido diretamente por revelação – veja Gálatas 1:12: “Porque não o recebi nem o aprendi de homem, mas por revelação de Jesus Cristo.”

Assim sendo, está provado que o espírito de Deus também recebe um nome próprio ao ser chamado de “Senhor”.

Espero seus comentários sobre esta alegação contra a TNM.

Saudações e bênçãos a todos. 

Resposta: 

Vamos analisar as afirmações trinitárias por partes:

1) Que os unitários afirmam que o espírito santo não é pessoa porque a palavra “espírito” em grego não é masculina nem feminina, mas tem gênero neutro;

2) Que 2 Coríntios 3:17 chama o espírito santo de “Senhor”, supostamente provando a sua personalidade. 

Não é o gênero em grego que determina personalidade ou impessoalidade

Como mostrou o artigo “O ‘Espírito Santo’ é uma pessoa?”:

[…] “gênero” é um aspecto linguístico que permite classificar certas classes gramaticais (substantivos, verbos, adjetivos, etc.) em um número fixo de categorias. Trata-se de um recurso gramatical e não um indicador de personalidade. 

Por exemplo, a palavra “sol” em grego (hélios) é masculina, mas o sol não é uma pessoa. O amor (agápe) está no gênero feminino, mas se trata, não de uma pessoa, e sim de uma qualidade – algo abstrato. Por outro lado, “criança” (paidíon) está no gênero neutro, mas se refere a uma pessoa. A palavra “espírito” (pneúma) é gramaticalmente neutra, mas semanticamente pode se referir a uma pessoa, quando se aplica a Deus e a anjos, e pode se referir a algo impessoal, quando, por exemplo, se refere ao vento.[7] – João 3:8. (Negrito acrescentado.)

Portanto, o que prova que o espírito santo não é  uma pessoa espiritual não é o fato de a palavra “espírito” em grego estar no gênero neutro, e sim o conjunto de evidências bíblicas apresentadas no artigo supracitado (queira ler). Veja também o artigo “Mateus 28:19 apoia a Trindade?”.

2 Coríntios 3:17 chama o espírito santo de “Senhor”?

Observe como o texto grego verte 2 Coríntios 3:17:

 δ κριος τ πνεμ στιν: 

ho dè kýrios tò pneûma estin:

O Senhor o espírito é:

 

ο δ τ πνεμα   κυρου, λευθερα.

hou dè tò pneûma kyríou, eleuthería.

onde [está] o espírito do Senhor, [há] liberdade.

O leitor percebe que a palavra “espírito” ocorre duas vezes: quando se diz que “o Senhor é espírito”, e quando menciona “o espírito do Senhor”. A simples fraseologia já mostra que são usos diferentes da palavra “espírito”. Pois, se “o Senhor é espírito”, este mesmo “espírito” que se diz que o Senhor é não poderia ser “o espírito do Senhor”. Caso fosse, teríamos o sentido de que “o espírito [que é o próprio Senhor] seria do Senhor, isto é, pertencente ao Senhor. Teríamos um Senhor pertencente a outro Senhor! Então, qual é o sentido desta passagem bíblica?

A palavra “espírito” tem vários sentidos na Bíblia

O artigo Mateus 28:19 apoia a Trindade? explicou o seguinte em uma nota de rodapé:

A palavra “espírito” (hebraico rúahh e grego pneúma) é aplicada a (1) vento (Êxodo 10:13); (2) pessoa espiritual (1 Reis 22:21, 22; João 4:24); (3) força ativa de Deus (Salmo 104:30); (4) força de vida (Números 27:16; Salmo 104:29; 146:4; Eclesiastes 3:19;); (5) disposição mental (1 Reis 10:5; Daniel 5:20; Provérbios 29:11); e (6) declarações inspiradas. – 1 João 4:1.

Com base na explicação acima, percebemos claramente os dois usos de “espírito” em 2 Coríntios 3:17. O primeiro uso se refere a uma pessoa espiritual, quando afirma que “o Senhor é espírito”. O segundo uso diz respeito a algo que pertence ao Senhor, algo que o Senhor possui.

O artigo Falsa Exegese na interpretação do ‘Espírito Santo’” teceu um interessante comentário a respeito de 2 Coríntios 3:17, conforme pode ler abaixo:

Quanto a 2 Coríntios 3:17, o texto NÃO DIZ que ‘o Senhor [Jeová] é o espírito santo’. Antes, diz que “o Senhor é Espírito” (Al, ACRF), ou “o Senhor é o Espírito”. (ALA, IBB) Nessa acepção, “espírito” refere-se a uma pessoa espiritual. Contudo, o artigo definido mostra que Jeová não é apenas um ser espiritual, como suas criaturas celestiais. Ele é “O” Espírito num sentido único e singular, como o Deus Todo-poderoso e majestoso Criador. – Veja o artigo “Estudo sobre Pneumatologia– Parte 2”. 

Acontece que os trinitaristas deixaram de citar a continuação do versículo, que menciona o “Espírito do Senhor”. (Al, ACRF, IBB, ALA) Uma vez que este segundo espírito é do Senhor – ou seja, a ele pertence; é sua propriedade – tal “Espírito” (ainda que colocado com inicial maiúscula) não pode ser o próprio Senhor (Deus). Atos 2:17 declara: “E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor [“Deus”; Al, ACRF] , que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne.” (ALA, IBB) Uma vez que Deus diz “do MEU Espírito”, ele está se referindo a algo dele, que lhe pertence, mas não a ele próprio, pois ele não disse: ‘derramarei a mim mesmo’. Pelo visto, por essa razão, há traduções que colocam “espírito” com inicial minúscula nesse texto. (The New American Bible; Sociedade Bíblica Britânica) Trata-se cristalinamente da energia que dele emana, Seu espírito santo ou força ativa.

Portanto, 2 Coríntios 3:17 não chama o espírito santo de Senhor, mas afirma que o espírito santo pertence ao Senhor.

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 

 

 

 



domingo, 16 de janeiro de 2022

O gênero gramatical aplicado ao “Espírito Santo” prova que ele é uma pessoa?



Fonte: jw.org

 Um leitor comentou:

Eu coloco a questão na seguinte linha: o gênero gramatical de um substantivo prova que o ser a que se refere é uma pessoa ou não? Claro que não, independentemente do gênero gramatical de que estamos falando. É verdade que o gênero gramatical de um substantivo determina inevitavelmente o sexo biológico do ser que ele nomeia?

Um abraço. 

Resposta:

O artigo O ‘Espírito Santo’ é uma pessoa?” (8 de julho de 2012) teceu o seguinte comentário:

Vale ressaltar em tudo isso que “gênero” é um aspecto linguístico que permite classificar certas classes gramaticais (substantivos, verbos, adjetivos etc.) em um número fixo de categorias. Trata-se de um recurso gramatical e não um indicador de personalidade. 

Por exemplo, a palavra “sol” em grego (hélios) é masculina, mas o sol não é uma pessoa. O amor (agápe) está no gênero feminino, mas se trata, não de uma pessoa, e sim de uma qualidade – algo abstrato. Por outro lado, “criança” (paidíon) está no gênero neutro, mas se refere a uma pessoa. A palavra “espírito” (pneúma) é gramaticalmente neutra, mas semanticamente pode se referir a uma pessoa, quando se aplica a Deus e a anjos, e pode se referir a algo impessoal, quando, por exemplo, se refere ao vento.[7] – João 3:8. 

[…] 

Não podemos confundir gênero gramatical com semântica. O primeiro conceito está ligado à flexão de categorias de palavras, ao passo que o segundo, ao significado ou sentido das palavras dentro do contexto em que são empregadas. Assim, como já demonstrado, uma palavra gramaticalmente masculina (ou feminina) pode semanticamente se referir a algo impessoal (como é o caso do substantivo masculino parákletos), ao passo que uma palavra neutra, se o contexto permitir, pode se aplicar a seres pessoais. 

No caso do espírito santo, o contexto bíblico o apresenta uniformemente como sendo impessoal, e o uso de atributos pessoais com referência a ele não passam de personificação, figura de estilo que consiste em atribuir sentimentos e ações próprias de seres humanos a seres inanimados, impessoais e a conceitos abstratos.[8] (Negrito acrescentado.)

O referido leitor perguntou: “O gênero gramatical de um substantivo prova que o ser a que se refere é uma pessoa ou não?Com base na explicação acima, fica claro que o gênero gramatical (masculino, feminino ou neutro) não determina personalidade, ou pessoalidade. Palavras gramaticalmente masculinas (a exemplo de hélios, palavra grega para “sol”), e palavras gramaticalmente femininas (a exemplo de agápe, palavra grega paraamor”) podem se referir a coisas impessoais.

O mesmo leitor também perguntou: “É verdade que o gênero gramatical de um substantivo determina inevitavelmente o sexo biológico do ser que ele nomeia?” Com base nos exemplos acima, a resposta é “não”. Coisas impessoais não têm sexo.

A diferença entre gênero e sexo foi bem explanada por José Maria da Costa, Mestre e Doutor em Direito e ex-Professor de Língua Latina:

2) Uma primeira distinção deve ser feita: a) quando se fala em sexo, quer-se referir à "conformação particular que distingue o macho da fêmea, nos animais e nos vegetais, atribuindo-lhes um papel determinado na geração e conferindo-lhes certas características distintivas" (FERREIRA, 2010, p. 1.927); b) já quando se fala em gênero, está-se no campo da estruturação que dispõe os nomes de determinada língua em classes (masculino, feminino e neutro), classifica-os de acordo com a referência pronominal (o menino/ele, a casa/ela) […] 

3) Em suma: sexo é questão biológica; gênero é classificação gramatical.[1]

Ou seja, seres biológicos sexuados podem ser caracterizados como macho e fêmea, e mesmo isso não prova personalidade, haja vista que os termos “macho e fêmea” são aplicados a animais irracionais, além de aos seres humanos. Por outro lado, gênero constitui, como explicado acima, uma classificação gramatical, a qual não tem necessariamente a ver com seres racionais (que têm personalidade), mas também podem ser aplicados a coisas impessoais (exemplos: o livro [palavra masculina], a cadeira [palavra feminina]); e também a seres irracionais, que não são seres pessoais (exemplos: o jacaré, a onça).

Portanto, a discussão em torno do gênero gramatical para tentar provar a personalidade do espírito santo é inútil, do mesmo modo como usar a personificação como prova de personalidade. A evidência quanto à natureza do espírito santo é contextual, baseada no que a Bíblia diz sobre tal espírito, e não na gramática.


Nota:

[1] COSTA, José Maria da. Gênero ou sexo - De onde vem? Gramatigalhas. 14/8/2018, às 14:07h. disponível em: <https://www.migalhas.com.br/coluna/gramatigalhas/285559/genero-ou-sexo---de-onde-vem>. 


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 

 


 


domingo, 9 de janeiro de 2022

Conversa com um leitor sobre 1 Coríntios 7:36-38 – texto que poucas traduções vertem corretamente

 

Em janeiro de 2015, este site promoveu, por meio de cinco artigos, um desafio saudável com relação a se encontrar traduções que vertam corretamente o texto de 1 Coríntios 7:36-38.

A forma em que algumas traduções vertem acaba por recomendar o incesto – o casamento de pai com filha! Veja como verte esta tradução: “Entretanto, se alguém julga que trata sem decoro a sua filha, estando já a passar-lhe a flor da idade, e as circunstâncias o exigem, faça o que quiser. Não peca; que se casem.” – 1 Coríntios 7:36, Almeida Atualizada.

Outra forma de traduzir adota uma posição altamente machista e insensata, dando ao pai a decisão sobre se sua filha deveria ou não se casar, incentivando o pai a mantê-la solteira, afirmando que tal decisão é a “melhor”. Exemplo deste modo de traduzir encontra-se na Tradução Almeida Revisada Imprensa Bíblica: “Mas, se alguém julgar que lhe é desairoso conservar solteira a sua filha donzela, se ela estiver passando da idade de se casar, e se for necessário, faça o que quiser; não peca; casem-se. Todavia aquele que está firme em seu coração, não tendo necessidade, mas tendo domínio sobre a sua própria vontade, se resolver no seu coração guardar virgem sua filha, fará bem. De modo que aquele que dá em casamento a sua filha donzela, faz bem; mas o que não a der, fará melhor.”

Outra maneira de traduzir coloca sobre o noivo a autoridade e poder de decisão romper o noivado, simplesmente porque ele (o noivo) não sente a necessidade de se casar! Veja como verte a Nova Versão Transformadora: “Se, contudo, um homem acredita que está tratando sua noiva de forma inapropriada e que seus impulsos vão além de suas forças, que se case com ela, como é desejo dele. Não é pecado. Mas, se tiver assumido um compromisso firme, e não houver urgência, e ele for capaz de controlar sua paixão, faz bem em não se casar. Portanto, quem se casa com sua noiva faz bem, e quem não se casa faz melhor ainda.”

Poderá ler as outras 5 partes clicando nos textos linkados abaixo:

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5 (Final)

Conversa com um leitor

Um leitor teceu alguns comentários sobre a referida passagem, obtendo as respostas do autor deste site. Segue abaixo a conversa, para o proveito de todos os leitores.

Leitor:

Boa tarde. Respondo ao seu pedido, não quero considerar desafio, não sou católico nem doutra religião, e sou crente no “Deus que Fez os Homens”, e não no “Deus que os Homens Fizeram”. A Bíblia do Padre Matos Soares, edição de 1960, com o título “Algumas regras práticas para os pais”, diz assim: “Mas se algum julga que parece ser desonra, quanto à sua filha donzela, o ir-lhe passando a idade de casar, e que assim convém fazer-se-lhe o casamento, faça o que quiser, não peca, se a casar. Mas o que resolveu fazer dentro de si, não o obrigando a necessidade, mas podendo dispor à sua vontade, e determinou no seu coração conservar virgem a sua (filha) faz bem. Aquele, pois, que casa a sua (filha) virgem faz bem, e o que a não casa, faz melhor.”

E tenho uma versão do mesmo autor em português antigo, datada de 1930, que diz o mesmo. Queira fazer o favor de apreciar.

Apologista da verdade:

Prezado leitor:

A tradução que você citou confere ao pai todo o direito de decidir se sua filha irá ou não se casar, e ainda incentiva que o pai mantenha a filha solteira. Isto seria um absurdo, pois não considera os direitos e necessidades da filha.

Por gentileza, leia todos os artigos desta série para ver o quadro completo.

Abraços!

Leitor:

Parece que correu bem. Então, para já, por favor, diga-me quais são os artigos desta série, pois este diz que é o 1º. Lendo a Tradução NM [Tradução do Novo Mundo] que reproduz acima, vejo, ao que me parece, (pois não sou professor de português nem percebo nada de hebraico, aramaico, grego, e semelhantes) existe um erro neste ponto: “Mas, se alguém pensa que se está comportando de modo impróprio para com a sua virgindade, se esta estiver além da flor da juventude, e este é o modo em que deve ocorrer, faça ele o que quiser; ele não peca. Casem-se.”
Então, principia-se a falar no modo (?) singular e depois “casem-se” está no plural?

Apologista da verdade:

Não há necessidade de concordância verbal, pois são frases distintas. O verbo “casem-se” (plural) está de acordo com todo o contexto da explanação de Paulo, onde ele incentiva os “não casados e às viúvas” (plural) a permanecerem sem se casar, se isto for possível. (Versículos 8 e 9) Por outro lado, no verso 36 ele considera a falta de autocontrole e a necessidade de se casar; e menciona que o melhor, neste caso, é o casamento.

O verbo foi traduzido no plural – “casem-se” – porque, no texto grego, o verbo gameítosan é o verbo gaméo (“casar”) no presente do imperativo ativo na terceira pessoa do plural.

Abraços.

Leitor:

Bom dia. Já li os seus outros artigos sobre isto. Se nestes tempos há quem faça isso, que fará naqueles tempos. Por isso há jovens que fogem de casa. Tantas princesas e príncipes foram obrigados a casar, contra a sua vontade, por motivo de alianças entre os Reinos. Em Portugal creio que o mais famoso foi o de Pedro e Inês. Outras, por não fazerem a vontade do pai ou dos pais, meteram-nas em conventos. Sei de casos de jovens que estão ou estiveram apaixonados e um deles é TJ [Testemunha de Jeová], e lá vem o imperativo para casar-se só no Senhor; e depois, ficarão felizes ou infelizes? Não há divórcios quando ambos são TJ’s? Conheço vários e leio nas revistas também. Conheço um casal – um é TJ e o outro é evangélico, e estão casados há 50 anos. Paulo ensinou que entre “fé, esperança e o amor (..) o maior [deles] é o amor” (1 Coríntios 13:13) Quem arranjou mulher para Isaac e Jacob? Não foram os pais?

Mas o verbo casar, como qualquer outro, também tem a 3.ª pessoa do singular: “case-se”. Nada tem a ver com os versos 8 e 9, onde se fala no plural: “casados” e “viúvas”. O que está em causa (versos 36-38) está no singular. Fala em “aquele” e “alguém”. Não estão no plural, não é assim? Fique cada um na sua.

Eu estive a ver no Google Tradutor a tradução do grego a palavra para virgem e para virgindade. Pode argumentar que não é este o grego que foi traduzido aqui, ok. Mas veja por favor o que deu:

παρθένα – virgem

παρθενιά – virgindade

parthéna – virgem

partheniá- virgindade

Já agora também lhe envio uma notícia de hoje que está pelo menos num jornal português – o “Público”, sobre a situação duma princesa nos Emirados Árabes Unidos: “O tribunal julgava as queixas feitas pela ex-mulher do xeque, a princesa Haya bin al-Hussein, irmã do rei da Jordânia, que em Abril de 2019 viajou com os filhos para o Reino Unido e abriu um processo de divórcio onde pedia a guarda dos filhos, dizendo temer pela sua vida e precisar de proteger a filha, Jalila, então com 12 anos, que estaria prometida em casamento ao príncipe herdeiro saudita, Mohamed bin Salman.”

O Apologista da verdade:

Prezado leitor:

A citação dos versos 8 e 9 foi feita visando harmonizar o verbo grego, que está no plural (“casem-se”), sendo um plural contextual.

Pois, se os versículos 36-38 falassem de duas pessoas – o pai e a filha, ou o noivo e a noiva – isto iria contra os princípios do cristianismo e até contra o bom senso, pois colocaria todo o poder de decisão no pai ou no noivo, desconsiderando totalmente os interesses da parte feminina.

Assim, o plural “casem-se” não poderia ser usado para presumir a identificação de duas pessoas em 1 Coríntios 7:36-38. Logo, o plural de contexto parece ajustar-se ao conteúdo do texto.

Leitor:

Desculpe se me vou exceder, acho que não, mas cada qual tem a sua maneira de ser. Você diz: “parece”. “Parece”, “talvez”, são frases normais na literatura TJ. Por isso eu disse que cada um ficava na sua. No 2.º parágrafo, “isto iria contra ... parte feminina”. Quando a Organização [das Testemunhas de Jeová] aconselha “que se casem no Senhor” (sim, eu sei que está na Bíblia), isso não pode ir contra os interesses duma parte ou da outra? Isso evita divórcios entre as TJ’s? Porque não comentou os exemplos que dei acima, acerca de Jacob e Isaac?

O Apologista da verdade:

Prezado leitor:

Os direitos das mulheres eram respeitados nos casamentos entre os servos fiéis de Deus. Notamos isso no caso envolvendo Rebeca. Mesmo reconhecendo que o arranjo de casamento de Isaque e Rebeca vinha de Jeová, seu pai e seu irmão perguntaram a ela se ela concordava com tal arranjo. O casamento ocorreu porque ela mostrou-se disposta a aceitar tal arranjo. – Gênesis 24:50-58.

É inadmissível um Deus de amor ter inspirado o apóstolo Paulo a dar aos pais ou aos noivos o poder de decisão sobre o casamento quer da filha quer da noiva. Logo, as traduções que expressam esse conceito vão totalmente contra o amor e a consideração pela outra pessoa.

Quanto a casar-se no Senhor, é uma recomendação sábia para evitar conflitos de crenças e de comportamento.

Leitor:

Bem, para mim, Rebeca disse que sim (verso 58) para partir naquele momento, mas o verso 51 (antes da consulta a Rebeca), na resposta de Labão e Betuel, diz que estes responderam ao pedido do servo de Abraão: “Aqui está Rebeca, toma-a e parte, e que ela seja a mulher do filho do teu amo”. Sobre o seu comentário “quanto a casar-se no Senhor, é uma recomendação sábia para evitar conflitos de crenças e de comportamento”, pergunto outra vez: E apesar disso não há divórcios entre as TJ’s?

O Apologista da verdade:

O ponto é que a decisão ficou nas mãos de Rebeca. E volto a ressaltar: É inadmissível um Deus de amor ter inspirado o apóstolo Paulo a dar aos pais ou aos noivos o poder de decisão sobre o casamento quer da filha quer da noiva. Logo, as traduções que expressam esse conceito vão totalmente contra o amor e a consideração pela outra pessoa.

Quanto a haver divórcios entre os que acatam a admoestação de se casar somente no Senhor, isto não invalida tal admoestação.

Abraços.

[Fim da conversa.]

Veja também os artigos abaixo:

Destaques da Tradução do Novo Mundo revisada (Parte 3): 1 Coríntios 7:36-38

παρθένος (“Parthénos”) em 1 Coríntios 7:36-38 – “virgem” ou“virgindade”?

Que dizer de 1 Coríntios 7:36-38 na nova Tradução do Novo Mundo daBíblia Sagrada?

1 Coríntios 7:36-38 – “virgem” ou “virgindade”?


Referências:
1 Coríntios 7:36-38. Almeida Revisada Imprensa Bíblica. Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/aa/1co/7>.

______. Nova Versão Transformadora. BibleGateway. Disponível em: <https://www.biblegateway.com/passage/?search=1%20Cor%C3%ADntios%207&version=NVT>.

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 

 


domingo, 2 de janeiro de 2022

Qual é a tradução correta de Atos 2:26?

 
 

Este site recebeu a seguinte indagação:

Olá! Como é meu irmão, é um prazer cumprimentá-lo.

Há uma pergunta muito interessante a respeito da atual Tradução do Novo Mundo. Em Atos 2:26 lemos: “Por essa razão, meu coração ficou animado e minha língua se alegrou muito. E eu viverei em esperança.” (Study Edition, TNM2021) A palavra grega que foi traduzida na TNM “eu viverei” em grego é σάρξ μου [he sárx mou], que é literalmente “minha carne”, de acordo com os trinitários, que negam a ressurreição espiritual de Jesus Cristo. Dizem que a comissão atual [da Tradução do Novo Mundo] é negligente por traduzir incorretamente “eu viverei”; porque, primeiro: não é uma tradução correta; e, segundo: porque esconde a ressurreição corporal de Jesus. Porque sua carne, estando com esperança, é a prova de que Jesus ressuscitou com o mesmo corpo físico. Na edição da NWT 1987 [Tradução do Novo Mundo Com Referências] (eles dizem) que o comitê traduz “minha carne”, mas depois mudou para “eu viverei” para ocultar a ressurreição do corpo físico de Jesus. O que o irmão pensa sobre essa objeção? Agradeço sua atenção à minha pergunta, meu irmão.

Resposta:

Vejamos o texto de Atos 2:26 nas duas traduções citadas pelo leitor acima:

“Por essa razão, meu coração ficou animado e minha língua se alegrou muito. E eu viverei em esperança.” – Tradução do Novo Mundo Revisada 2015.

“Por esta razão, meu coração ficou animado e a minha língua se alegrou muito. Além disso, até mesmo a minha carne residirá em esperança.” – Tradução do Novo Mundo Com Referências 1986.

O texto grego está conforme abaixo:


δι τοτο ηφρνθη  καρδα μου 

dià toûto eufránthe he kardía mou

por isso se alegrará o meu coração

 

κα γαλλισατο  γλσσ μου, 

kaì egalliásato he glõssá mou,

e exultará a minha língua

 

τι δ κα  σρξ μου κατασκηνσει π' λπδι

éti dè he sárx mou kataskenósei ep’elpídi

ainda, pois, também a minha carne habitará em esperança

 

Atos 2:26 é citação do Salmo 16:9. O texto grego do Novo Testamento cita exatamente como está na Septuaginta grega (Salmo 15:9). Veja como a Septuaginta verte:

δι τοτο ηφρνθη καρδα μου,

κα γαλλισατο γλσσ μου,

τι δ κα σρξ μου κατασκηνσει π λπδι,

 

O texto hebraico usa a palavra hebraica ba·sár, que significa “carne”. Assim, caso o escritor de Atos citasse quer do Velho Testamento quer do Novo Testamento, ele encontraria a palavra “carne”. Então, por que a Tradução do Novo Mundo Revisada 2015 traduz por “eu” em vez de por “minha carne”?

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras, da mesma editora que produziu a Tradução do Novo Mundo Revisada 2015, teceu o seguinte comentário sobre um dos sentidos bíblicos da palavra “carne”:

Também é usada para se referir à pessoa, ou ao indivíduo, como humano de carne. (Ro 7:18; Col 2:1, 5) Toda a humanidade, em especial do ponto de vista de Deus, o Espírito, é descrita como “carne” (Gên 6:12; Is 66:16; Lu 3:6). (Volume 1, p. 434, verbete “Carne”. Negrito acrescentado.)

 

Veja os textos bíblicos citados na referida obra para mostrar que “carne” pode se referir à pessoa, ao próprio ser humano:

“Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não mora nada de bom; pois tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não tenho a capacidade de realizá-lo.” – Romanos 7:18.

“Pois eu quero que vocês se deem conta de como é grande a luta que tenho a favor de vocês, a favor dos de Laodiceia e a favor de todos os que não me viram pessoalmente” [literalmente: “não viram o meu rosto em carne”]. – Colossenses 2:1.

“Sim, Deus olhou para a terra e viu que estava arruinada; toda a humanidade [lit.: “toda a carne”] havia arruinado seu caminho na terra.” – Gênesis 6:12.

“Pois Jeová executará o julgamento com fogo, sim, com sua espada, contra todos os humanos [lit.: “contra toda a carne”]; e os mortos por Jeová serão muitos.” – Isaías 66:16.

“E todos verão a salvação por Deus” [lit.: “e toda a carne verá”]. – Lucas 3:6.

Traduções que vertem “carne” por outro termo que mantém o mesmo sentido

“Por isso o meu coração está feliz, e as minhas palavras são palavras de alegria; e eu, um ser mortal, vou descansar cheio de esperança.” – Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

 “Por causa disso, meu coração ficará feliz, minhas palavras serão alegres e eu viverei na esperança.” – Contemporary English Version.

E por isso estou cheio de alegria e minhas palavras estão cheias de alegria. E eu, embora eu seja mortal, terei a certeza de ter esperança.” - Good News Translation.

Entendendo os métodos de traduzir

Tradução por Equivalência Formal ou literal

Este é um método no qual o tradutor procura seguir fielmente a estrutura gramatical do idioma original, apesar de a tradução geralmente ficar mais difícil de compreender em alguns trechos, ou a linguagem ficar um tanto estranha em relação à linguagem comum do idioma no qual foi feita a tradução. Um exemplo de tradução literal é a Tradução do Novo Mundo Com Referências, edição de 1986; também o é a Tradução de João Ferreira de Almeida, edição Revista e Corrigida.

Tradução por Equivalência Dinâmica ou Funcional

Este é um método no qual o tradutor não se prende à estrutura gramatical do texto original, ou seja, não traduz necessariamente palavra por palavra, mas usa termos que deem o sentido das palavras originais. Este método procura verter o mesmo sentido, apegando-se o mais próximo possível ao texto original, ao mesmo tempo em que usa às vezes termos e expressões diferentes com o mesmo sentido para tornar a linguagem mais compreensível ao leitor. É diferente da paráfrase, na qual o tradutor pode fazer alterações no sentido da mensagem, acrescentando ou retirando elementos do texto original. A Tradução do Novo Mundo Revisada, edição de 2015, é um exemplo de equivalência dinâmica. Visto que a palavra “carne” também se refere à própria pessoa, verter “minha carne” por “eu” mantém o sentido do texto de Atos 2:26.

O que significa a expressão “minha carne residirá em esperança”?

A obra Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 1, p. 434, verbete “Carne”) teceu o seguinte comentário:

Durante o ministério terrestre de Jesus, embora ele soubesse que seria morto como sacrifício resgatador, sua carne ‘residiu em esperança’. Isto se deu porque sabia que seu Pai o ressuscitaria, que seu sacrifício serviria com bom êxito ao propósito do resgate e que sua carne não veria a corrupção. (At 2:26, 31) – Negrito acrescentado.

Portanto, de acordo com o comentário acima, o fato de a carne de Jesus Cristo residir em segurança tinha a ver com a expectativa e certeza de Jesus, de que seria ressuscitado. A expressão diz respeito à atitude de Jesus antes de sua morte e ressurreição. Não está afirmando que Jesus seria ressuscitado em corpo carnal. Em outras palavras: Jesus, em sua carne – enquanto humano na Terra – tinha a esperança de ser ressuscitado. Por outro lado, com relação ao corpo em que Jesus seria ressuscitado, observe os textos abaixo:

“Pois Cristo morreu de uma vez para sempre pelos pecados, um justo pelos injustos, a fim de conduzir vocês a Deus. Ele foi morto na carne, mas recebeu vida no espírito.” – 1 Pedro 3:18.

“Semeado corpo físico, é levantado corpo espiritual. Se há corpo físico, há também um espiritual. Assim está escrito: ‘O primeiro homem, Adão, se tornou um ser vivente.’ O último Adão [Jesus Cristo] se tornou um espírito que dá vida.” – 1 Coríntios 15:44, 45.

(Para uma explicação de 1 Pedro 3:18, veja o artigo “Como 1 Pedro 3:18 deve ser traduzido?”) 

Gill's Exposition (“Exposição de Gill da Bíblia inteira”) mostra este mesmo entendimento:

Além disso, minha carne repousará na esperança, ou “com segurança”; significando que seu corpo deveria repousar quietamente na sepultura, como em seu lugar de descanso de todas as labutas e labor, dores e tristezas, e estar protegido de vermes, ou qualquer corrupção. Ou isso pode ser entendido por sua pessoa estar em uma esperança tranquila, firme e plena da ressurreição dos mortos e da vida e glória eternas. – Negrito acrescentado.

Conclusão

As traduções que vertem a expressão “minha carne” por “eu” não estão incorretas, pois elas mantêm o mesmo sentido, utilizando a tradução por equivalência dinâmica. A expressão “minha carne residirá em esperança” diz respeito, não a como Jesus seria ressuscitado, mas à esperança que Jesus tinha enquanto estava na carne (como ser humano), de que seria ressuscitado, cumprindo assim o Salmo 16:9.

Veja também os artigos abaixo:

“Jesus Cristo é humano no céu?”

“Possui Jesus no céu um corpohumano? É Jesus homem eternamente?”

“Jesus foi ressuscitado no mesmo corpo carnal?”


Referências:

Atos 2:26. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/acts/2-26.htm>.

______. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/commentaries/acts/2-26.htm>.

______. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/parallel/acts/2-26.htm>.

______. Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Disponível em: <https://www.bible.com/pt/bible/211/ACT.2.26-47.NTLH>.

Online Greek Bible. Disponível em: <https://www.greekbible.com/>.

Salmo 16:9. Bíblia Hebraica. Disponível em: <https://hebraico.pro.br/>.

Salmo 16:9 [15:9]. Septuaginta grega. Disponível em: <https://www.academic-bible.com/>.

Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada – Paráfrase ou equivalência dinâmica? Queruvim.  31 mar 2015. Disponível em: <https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2015/03/31/traducao-do-novo-mundo-da-biblia-sagrada-parafrase-ou-equivalencia-dinamica/>.

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com 


Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 



Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *