Image Map











quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Encontramos vestígios do Filho e de sua relação com o Pai no “Velho Testamento”?

          Fonte da foto: sobiologia.com.br  

Certo leitor trouxe a seguinte pergunta de um trinitarista: “Onde vemos no Velho Testamento Jesus adorando e orando ao Pai?”

Junto com essa pergunta, o mesmo leitor enviou uma consideração do assunto feita por um cristão experiente em pesquisa bíblica. Seguem abaixo as observações do referido cristão:

Esta é uma pergunta absurda construída em torno de um jogo de palavras; é uma cortina de fumaça. O crítico está a tentar distanciar-se daquilo que o “Novo Testamento” diz de Jesus e de seu relacionamento com Deus, seu Pai. O “Velho Testamento” não lida com tal noção, uma vez que lida principalmente com o profético. Mas, podemos chegar perto do que o crítico pergunta, como pode ser visto em Provérbios 8:22-31:

“O Senhor me criou, no início de sua obra, o primeiro de seus atos de há muito tempo. Eras atrás eu fui formada, no princípio, antes do início da terra. Quando ainda não havia abismos, eu nasci; quando ainda não havia fontes carregadas de águas. Antes que os montes tivessem sido moldados, antes dos outeiros, eu nasci; quando ele ainda não tinha feito a terra e os campos, ou as primeiras partículas do solo do mundo. Quando ele preparava os céus, eu estava lá, quando ele desenhou um círculo sobre a face do abismo, quando ele fez firme os céus, quando estabeleceu as fontes do abismo, quando ele atribuiu ao mar o seu limite, para que as águas não transgredissem o seu comando, quando traçava os fundamentos da terra, então eu estava ao seu lado, como um mestre de obras; e era cada dia as suas delícias, regozijo diante dele sempre, de júbilo no seu mundo habitado e deliciando-se com a raça humana.” – New International Version. (Tradução livre da versão em inglês.)

Aqui vemos que o Filho de Deus, conhecido como “Sabedoria”, foi uma criação (Apocalipse 3:14, King James Version); que ele estava ao lado de Seu Pai e Deus, Jeová, como um “mestre de obras”. Aqui nós vemos – não um Deus Todo-Poderoso, um Deus igual, juntamente com o Pai – mas a descrição de uma ‘criança’ aprendendo com seu Pai.

Comentário do apologista da verdade:

De fato, esse texto de Provérbios 8:22-31, bem como o de Provérbios 30:4, e as alusões a Jesus quando a ele se aplica a expressão “anjo de Jeová” mostram a relação de subordinação do Filho ao seu Deus e Pai, Jeová, e também que o Filho é uma criação de Deus.

 ”Quem subiu ao céu para descer? Quem ajuntou o vento na concavidade de ambas as mãos? Quem embrulhou as águas numa capa? Quem fez todos os confins da terra levantar-se? QUAL É SEU NOME E QUAL É O NOME DE SEU FILHO, caso o saibas?” – Provérbios 30:4.

E você, leitor, sabe a resposta a essas perguntas – principalmente à última?


Veja os artigos relacionados:




A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradaspublicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *