Image Map











quinta-feira, 26 de março de 2015

O que significa o texto de Mateus 8:11?


Fonte: jw.org

“Mas, eu vos digo que muitos virão das regiões orientais e das regiões ocidentais e se recostarão à mesa junto com Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus.” – Mateus 8:11.

Alguns religiosos, por não analisarem o contexto bíblico, concluem de prontidão que os mencionados nesse texto estarão todos no céu. No entanto, o Senhor Jesus Cristo, que trouxe a esperança de vida celestial, estabeleceu uma condição para ela. Lemos em João 3:5: “Jesus respondeu: ‘Eu te digo em toda a verdade: A menos que alguém nasça de água e espírito, não pode entrar no reino de Deus.’”

Esta é uma condição sine qua non: “A MENOS QUE …” O que significa nascer “de água e espírito”? A água se refere evidentemente ao batismo em água, ritual pelo qual todos os seguidores de Cristo deveriam passar. Jesus ordenou a seus discípulos: “Ide, portanto, e fazei discípulos de pessoas de todas as nações, BATIZANDO-AS em o nome do Pai, e do Filho, e do espírito santo, ensinando-as a observar todas as coisas que vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até à terminação do sistema de coisas.” – Mateus 28:19-20.

E o que significa ‘nascer do espírito’?

Significa receber a operação do espírito santo que gera a pessoa como filho espiritual de Deus, dando-lhe uma perspectiva de vida celestial. João Batista afirmou o seguinte sobre Jesus Cristo: “O que vem depois de mim é mais forte do que eu, não sendo eu nem apto para tirar-lhe as sandálias. Este vos batizará com espírito santo.”

Quando começaria esse batismo figurativo?

O próprio Jesus explicou, após sua ressurreição: “Porque João, deveras, batizou com água, mas vós sereis batizados em espírito santo, não muitos dias depois disso.” (Atos 1:5) Esses “não muitos dias depois” foi o Pentecostes (festividade judaica) do ano 33 EC, quando ocorreu o derramamento do espírito santo – e, por consequência, o batismo em espírito santo. Atos 2:1-4 descreve-nos o que ocorreu: “Então, estando em progresso o dia da festividade de Pentecostes, todos eles estavam juntos no mesmo lugar, e, repentinamente, ocorreu do céu um ruído, bem semelhante ao duma forte brisa impetuosa, e encheu toda a casa onde estavam sentados. E línguas, como que de fogo, tornaram-se-lhes visíveis e se distribuíram, e sobre cada um deles assentou-se uma, e todos eles ficaram cheios de espírito santo e principiaram a falar em línguas diferentes, assim como o espírito lhes concedia fazer pronunciação.” O que tudo isso significa?

Derramamento do espírito santo em Pentecostes de 33 EC
Fonte: jw.org

Que os que viveram em tempos anteriores a esse figurativo batismo e nascimento NÃO TÊM ESPERANÇA CELESTIAL, e não irão para o céu. A esperança deles é de viver aqui na Terra no Paraíso, conforme lemos no Salmo 37:29: “Os próprios justos possuirão a terra E residirão sobre ela para todo o sempre.”

Os antepassados de Cristo viverão no Paraíso na Terra
Fonte: jw.org

Em especial os que foram antepassados de Cristo, como Abraão, Isaque e Jacó (mencionados em Mateus 8:11) terão posições principescas aqui na Terra. O salmista bíblico profetizou:  “Em lugar de teus antepassados [do Messias] virá a haver teus filhos, os quais designarás para príncipes em toda a terra.” – Salmo 45:16.

Então, qual é o significado de Mateus 8:11?

Nessa passagem, Abraão, Isaque e Jacó são representativos do arranjo do “reino dos céus”. Abraão representa Jeová Deus, como na parábola do Rico e de Lázaro. (Lucas 16:22; veja o artigo O Rico e Lázaro – história real ou parábola?) Isaque, filho de Abraão, representa Jesus Cristo. O apóstolo Paulo explicou: “Ora, as promessas foram feitas a Abraão e a seu descendente. [O descendente direto era Isaque] Não diz: ‘E a descendentes’, como no caso de muitos, mas como no caso de um só: ‘E a teu descendente”, que é Cristo.’” – Gálatas 3:16.

A disposição de Abraão de sacrificar Isaque prefigurou a disposição e ação de Jeová em dar seu Filho em sacrifício pela humanidade. Gênesis 22:2 descreve as palavras de Jeová a Abraão: “E prosseguiu, dizendo: ‘Toma, por favor, teu filho, TEU ÚNICO FILHO A QUEM TANTO AMAS, Isaque, e faze uma viagem à terra de Moriá e oferece-o ali como oferta queimada num dos montes que te designarei.’” Com respeito à ação de Jeová, lemos as magnânimas palavras de João 3:16: “Porque Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, a fim de que todo aquele que nele exercer fé não seja destruído, mas tenha vida eterna.”

Abraão se dispôs a oferecer Isaque
Fonte: jw.org 

Jacó, filho de Isaque, teve seu nome mudado para Israel, nome dado à nação de seus descendentes. (Gênesis 32:28; 35:10; Êxodo 14:30, 31) Ele representa os cristãos, chamados no “Novo Testamento” de “Israel de Deus”. – Gálatas 6:16.

Quem são os “das regiões orientais e das regiões ocidentais”?

O que motivou Jesus a falar as palavras registradas em Mateus 8:11 foi a fé incomum de um oficial do exército romano, em contraste com a pouca fé, e até a falta dela, encontrada entre os israelitas. Leia abaixo o relato:

“Quando entrou em Cafarnaum, veio a ele [a Jesus] um oficial do exército, suplicando-lhe e dizendo: ‘Senhor, meu servo está de cama em casa, com paralisia, sendo terrivelmente atormentado.’ Disse-lhe ele: ‘Quando eu chegar lá, irei curá-lo.’ O oficial do exército disse, em resposta: ‘Senhor, eu não sou homem apto para entrares debaixo do meu teto, mas, dize apenas a palavra e meu servo estará curado. Pois eu também sou homem sujeito à autoridade, tendo soldados sob as minhas ordens, e digo a este: “Vai!” e ele vai, e a outro: “Vem!” e ele vem, e ao meu escravo: “Faze isto!” e ele o faz.’ Ouvindo isso, Jesus ficou pasmado e disse aos que o seguiam: ‘Em verdade vos digo: Em ninguém em Israel tenho encontrado tamanha fé. Mas, eu vos digo que muitos virão das regiões orientais e das regiões ocidentais e se recostarão à mesa junto com Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus; ao passo que os filhos do reino [os israelitas naturais sem fé] serão lançados na escuridão lá fora. Ali é que haverá o seu choro e o ranger de seus dentes.’”

Um centurião romano demonstra fé incomum
Fonte: jw.org

Portanto, os ‘muitos que viriam das regiões orientais e das regiões ocidentais’ seriam os gentios (os não judeus) que aceitariam o cristianismo já no primeiro século, recebendo o batismo e o nascimento à base da operação do espírito santo e, assim, passando a ter a perspectiva de viver no céu com Jeová e Cristo, como membros do “Israel de Deus”.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradaspublicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org










5 comentários:

  1. Ter de nascer de novo realmente é verdadeiro no entanto a aplicação dos nomes é especulação afinal Jesus quando citou Jonas fez referencia ai em verso 11 não faz referencia alguma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O “nascer de novo” somente ocorreu a partir do derramamento do espírito santo em Pentecostes de 33 EC. Portanto, todos os que morreram antes disso não nasceram de novo, e que forem considerados dignos da ressurreição terão a maravilhosa perspectiva de viver para sempre no paraíso na Terra. Visto que a Bíblia revela os nomes de muitos que morreram antes do derramamento do espírito santo, citar tais nomes não é especulação.


      Excluir
  2. Respostas
    1. A expressão “espírito santo” não é um título e sim uma descrição da força ativa, ou energia, proveniente de Deus. Por isso é escrita com letras iniciais minúsculas.

      Excluir
  3. Esse texto mais parece uma indireta aos judeus que independentemente do que faziam achavam que iriam para o reino prometido por serem descendentes de Abraão . Mas na verdade estavam perdendo seu privilégio por não terem fe. No entanto Jesus se referia as Nações fora de israel. Da pra perceber porque anteriormente ele elogiou a fé de um romano.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *