Image Map











quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Expressões semelhantes provam que os 144.000 são o mesmo grupo chamado de “grande multidão”?

Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/w20150715/arrebatar-ungidos-grande-tribulacao/

Um leitor escreveu:

Prezado apologista, parece haver certas semelhanças entre os dois grupos (144 mil e grande multidão), e muitos têm usado essas semelhanças para provar que são o “mesmo grupo”. 

         Exemplo: Em Apocalipse 6:11, fala-se dos ungidos como recebendo uma comprida veste branca. Já no capítulo 7, verso 10, a grande multidão também é descrita como tendo compridas vestes brancas.

          Também, em Apocalipse 7:14, a grande multidão é descrita como tendo lavado as vestes compridas; e Apocalipse 22:14 (que é uma referencia aos ungidos), também diz que eles lavam as suas vestes compridas. Como então conciliar isso?

Resposta:

Os textos em apreço são os seguintes:

Apocalipse 6:11: “E a cada um deles [dos que recebem recompensa celestial] foi dada uma comprida veste branca, e lhes foi dito que descansassem mais um pouco, até que se completasse o número dos seus coescravos e irmãos que estavam para ser mortos assim como eles tinham sido.

Apocalipse 7:13, 14: “Em vista disso, um dos anciãos me disse: ‘Quem são esses [os da grande multidão] que vestem compridas vestes brancas, e de onde vieram?’ Assim, eu lhe disse imediatamente: ‘Meu senhor, é o senhor quem sabe.’ Ele me disse: ‘Esses são os que saem da grande tribulação; eles lavaram suas vestes compridas e as embranqueceram no sangue do Cordeiro.’”

Apocalipse 22:14: “Felizes os que lavam as suas vestes compridas, para que tenham a autoridade de ir às árvores da vida e para que entrem na cidade pelos portões dela.”

O fato de expressões e/ou símbolos semelhantes serem usados para mais de uma pessoa ou grupo não indica que os referidos por tais símbolos tenham a mesma identidade. Isso foi demonstrado no artigo “Duas regras – uma falsa e uma verdadeira”, neste site.

O contexto é que determina o significado do uso do referido símbolo e a identidade da pessoa ou do grupo aludido por tal símbolo. Por exemplo, tanto Jeová como Cristo são mencionados como sendo ‘o Primeiro e o Último’.

Isaías 44:6: “Assim diz Jeová, o Rei de Israel e seu Resgatador, Jeová dos exércitos: ‘Sou o primeiro e sou o último; além de mim não há Deus.’”

Apocalipse 1:17: “Então ele [Jesus] pôs a mão direita sobre mim e disse: ‘Não tenha medo. Eu sou o Primeiro e o Último.”

Contudo, o contexto de Isaías diz respeito à Divindade de Jeová, pois o mesmo texto (Isaías 44:6) acrescenta: “Além de mim não há Deus.” Por outro lado, o contexto de Apocalipse diz respeito à ressurreição de Jesus. Apocalipse 1:18 declara: “E aquele que vive. Estive morto, mas agora vivo para todo o sempre, e tenho as chaves da morte e da Sepultura.” Jesus foi “o Primeiro” humano a ser ressuscitado para a vida espiritual, imortal. Colossenses 1:18 o descreve como “o primogênito dentre os mortos”.

No caso da veste comprida (grego: stolé), aplicada tanto aos ungidos como à grande multidão, vale ressaltar que até mesmo um anjo foi visto com tal vestimenta. Lemos em Marcos 16:5:

“Quando elas entraram no túmulo, viram um jovem sentado à direita, usando uma veste comprida, branca, e ficaram espantadas.”

Tal criatura celestial não pertence a nenhum dos dois grupos. Assim, examinemos o contexto do uso a tais grupos distintos. No caso dos que têm esperança celestial, em Apocalipse 6:11 tal veste é dada a eles como evidência de sua aprovação e como indicação de sua ressurreição. É uma RECOMPENSA. Já no caso da grande multidão, eles JÁ POSSUEM tal veste, mas ela não estava branca. Para se habilitarem para a sobrevivência, precisam LAVAR tal veste já existente e a EMBRANQUECER no sangue do Cordeiro, evidentemente por exercerem fé em Cristo e viverem à altura de sua dedicação a Jeová Deus. – Apocalipse 7:14.

E que dizer de Apocalipse 22:14, que menciona os com esperança celestial como também ‘lavando as suas vestes compridas’? Note que precisam fazer isso, não como requisito para sobreviver à grande tribulação, mas para que possam ‘ir às árvores da vida e para que obtenham entrada na cidade pelos portões’ da Nova Jerusalém. Em ambos os casos (Apocalipse 7:14; 22:14) o ato de lavar tais vestes indica tornar-se digno (aprovado) perante Deus.

Mas, no caso da “grande multidão”, o resultado dessa aprovação é sobreviver – portanto, passar com vida – pela grande tribulação, permanecendo aqui na Terra. Provérbios 2:21 afirma: “Pois apenas os justos morarão na terra, e os irrepreensíveis permanecerão nela.Por outro lado, no caso dos que recebem a recompensa celestial, o resultado é a ressurreição celestial, que os habilita a ‘entrar’ na Nova Jerusalém no sentido de comporem o que ela representa – a noiva de Cristo. – Apocalipse 21:9, 10.

Assim, análise sóbria do contexto e da inteira fraseologia que permeia os textos em questão mostra que tais expressões e/ou símbolos não indicam que os aludidos por eles sejam necessariamente a mesma classe. E outros textos tornam claro que os 144.000 e a grande multidão são classes distintas, conforme a série de artigos, neste site, intitulada “A ‘grande multidão’ –qual é a sua identidade?”, partes 1 a 4. (Veja também a obra “Estudo Perspicaz das Escrituras”, volume 3, p. 777, sob o verbete “vestimenta”, e o livro “Apocalipse – Seu Grandioso Clímax Está Próximo”, pp. 102-103, § 11, ambos publicados pelas Testemunhas de Jeová.)



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org








3 comentários:

  1. É NO DETALHE QUE ESTÁ TODA A DIFERENÇA ! MUITO BOM O SEU TEXTO! E MUITO INTERESSANTE A INFORMAÇÃO QUE OS 144.000 RECEBEM A VESTE BRANCA E A GRANDE MULTIDÃO, POR OUTRO LADO, LAVA UMA VESTIMENTA QUE JÁ POSSUI! ISSO MOSTRA CLARAMENTE QUE SÃO DOIS GRUPOS DIFERENTES! OS QUE GANHAM UMA VESTIMENTA BRANCA SÓ A RECEBEM PORQUE NÃO TINHAM ANTES! E ELES NÃO TINHAM E PASSAM A RECEBER ESTA VESTIMENTA JUSTAMENTE PORQUE OS 144.000 SÃO OS ÚNICOS QUE TEM QUE MORRER COMO SERES HUMANOS A FIM DE SEREM RESSUSCITADOS COMO UMA NOVA FORMA DE VIDA, DESSA VEZ COMO SERES ESPIRITUAIS DOTADOS DE VIDA IMORTAL E TOTALMENTE PUROS E "INCORROMPÍVEIS"!! SENDO QUE PARA IR PARA O CÉU ELES TEM QUE MORRER ANTES, PODEMOS ATÉ DIZER QUE A MORTE DELES COMO FIÉIS SEGUIDORES DE CRISTO OS TORNA DIGNOS DE RECEBER ESTA ROUPA, JÁ QUE A PRÓPRIA BÍBLIA DIZ QUE "AQUELE QUE MORRE ESTÁ LIMPO DE TODOS OS SEU PECADOS". ENQUANTO ISSO, A GRANDE MULTIDÃO QUE SOBREVIVE À GRANDE TRIBULAÇÃO NÃO PASSA PELA MORTE! AFINAL ELES "SAEM DA GRANDE TRIBULAÇÃO COM VIDA! POR ISSO NÃO HÁ A PERDA DA VESTIMENTA! ELES SIMPLESMENTE PRESERVAM A VESTIMENTA QUE ELES JÁ TINHAM, POIS CONTINUAM SENDO SERES HUMANOS TERRÁQUEOS, PORÉM LAVAM ESSAS VESTIMENTAS NA MORTE DE ALGUÉM! DE QUEM ?! NO SANGUE DO CORDEIRO PARA SEREM CONSIDERADAS POR DEUS DIGNAS DE SEREM SALVAS! ENTÃO JÁ QUE A GRANDE MULTIDÃO NÃO É MENCIONADA COMO RECEBENDO UMA VESTE BRANCA, MAS JÁ APARECE VESTINDO UMA VESTE QUE FOI LAVADA, PODEMOS FACILMENTE ENTENDER QUE SÃO PESSOAS QUE FORAM ABSOLVIDAS DE SEUS PECADOS NÃO PELA PRÓPRIA MORTE, MAS PELA MORTE SACRIFICIAL DE OUTRA PESSOA QUE MORREU NO LUGAR DELAS. E ESTA PESSOA É JESUS, O CORDEIRO! A MORTE DE JESUS TANTO "COMPRA PESSOAS" DA TERRA PARA DEUS QUANTO SALVA TERRÁQUEOS AQUI MESMO NA TERRA PARA CONTINUAREM VIVOS COMO HUMANOS, POR TEREM DEMONSTRADO FÉ NA MORTE SACRIFICIAL DELE! PORTANTO, SÃO DOIS GRUPOS DISTINTOS QUE RECEBEM A SALVAÇÃO, MAS A ESPERANÇA É A MESMA: A VIDA SEM FIM!

    ResponderExcluir
  2. Excelente.

    A própria pergunta (7:11) "quem são estes e de onde vieram" já indica que é um grupi diferente do que havia sido apresentado no capítulo anterior.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *