Image Map











quarta-feira, 4 de abril de 2018

Montes eternos podem ser despedaçados? (Habacuque 3:6)



Um leitor trouxe a este site a seguinte questão:

Caro apologista, como conciliar em Habacuque 3:6, que contém a expressão “montes eternos”, e diz que eles “foram despedaçados”. Parece contraditório. 

Resposta:

As traduções vertem por “montes eternos” (SBB, TB), “montes perpétuos” (ARC, ACF, ARIB) e “montanhas eternas” (Ave Maria), “montes primitivos” (ARA, NAA). Traduções livres vertem por “montes antigos” (NVI, NTLH).

A Bíblia associa aos montes e montanhas a ideia de estabilidade e permanência. Por isso, é uma forte figura de linguagem a Bíblia afirmar que, em comparação com a imutabilidade da lealdade de Jeová, até “os montes podem ser removidos, e as colinas podem ser abaladas”. (Isaías 54:10) Tendo Deus como nosso refúgio, não teremos medo, ainda que aconteça algo tão extraordinário, como ‘os montes caírem nas profundezas do mar’. – Salmo 46:1, 2.

A palavra hebraica para “eterno” em Habacuque 3:6 é ʽadh, a qual, de acordo com o dicionário bíblico Estudo Perspicaz das Escrituras, “indica ilimitado tempo futuro, sempiternidade ou eternidade”[1]. Dependendo do contexto e aplicação, como no caso dos montes e montanhas, tem o sentido de continuidade, longa duração.







O Léxico Hebraico e Caldeu, de Gesenius, define “montanhas eternas” por “aquelas que devem durar continuamente”.


De acordo com a orogênese (parte da Geologia que estuda a formação das montanhas), as elevações formam-se ao longo de muitos milênios, sofrem processo de crescimento, e são muito pouco moldadas pelos agentes externos de formação do relevo, como a água e os ventos, o que explica a sua simbologia ligada à permanência.

Por outro lado, uma ação inteligente e direcionada, quer da parte do homem, quer divina, pode “despedaçar”, ou destruir grandes elevações. Exemplo da atividade humana foi a noticiada explosão no pico do Cerro Armazones, no Chile, a qual, segundo se afirma, retirou 5 mil metros cúbicos de rocha.

Fonte da foto: g1.globo.com

Com relação à ação divina, lemos em 1 Reis 19:11:

“E Jeová estava passando, e um vento muito forte partia montes e despedaçava rochedos diante de Jeová.” É sobre ações dessa natureza que Habacuque 3:6 faz referência. Portanto, não há nenhuma contradição entre a expressão “montes eternos” (indicando a sua durabilidade natural) e a expressão “foram despedaçados” (indicando uma ação inteligente e divina).

Referências:

Conceito de orogênese. 28 de dezembro de 2014. Disponível em: <https://conceito.de/orogenese>.

Estudo indica o quão rápido cresce uma montanha. 15 de setembro de 2010. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/ciencia/pesquisa/estudo-indica-o-quao-rapido-cresce-uma-montanha>.

Globo.com. Ciência e Saúde: Montanha é nivelada com explosões para abrigar megatelescópio no Chile. 19 de junho de 2014. Disponível em: <http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/06/montanha-e-nivelada-com-explosoes-para-abrigar-megatelescopio-no-chile.html>.


Pena, Rodolfo F. Alves. Alunosonline. Como se formam as montanhas? Disponível em: <http://alunosonline.uol.com.br/geografia/como-se-formam-as-montanhas.html>.

SANTIAGO, Emerson. InfoEscola. Orogênese. Disponível em: <https://www.infoescola.com/geologia/orogenese/>.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagradapublicada pelas Testemunhas de Jeová.


A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org








Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *