Image Map











domingo, 17 de novembro de 2019

Jeová pode ser chamado de Pai eterno?


Fonte: jw.org

Um leitor trouxe a seguinte questão:

Meus cumprimentos, Apologista!

Como sabemos, o título “Pai Eterno” biblicamente só é aplicado a Jesus. Contudo, já ouvi muitas Testemunhas de Jeová, pelo menos aqui da região, referirem-se ao Deus Supremo por esse nome, principalmente em suas orações. Tal prática seria correta, dada a exclusividade com que a Palavra de Deus emprega o título em questão?

Um abraço de seu irmão na fé que lhe deseja cada vez mais êxito em seu empenho apologético!

Resposta:

A profecia de Isaías 9:6 declara o seguinte a respeito do Messias: “Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; e o reinado estará sobre os seus ombros. Ele receberá o nome de Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz.”

Como vemos pela passagem acima, um dos títulos que o Messias, o nosso Senhor Jesus Cristo, teria é o de “Pai Eterno” (hebraico ’Avi·‛ádh). Não encontramos esse título na Bíblia com referência a Jeová, o Deus e Pai.

Mas, vejamos primeiro qual é o sentido da expressão “Pai Eterno” aplicada a Jesus.


[…] todos os títulos usados em Isaías 9:6 para o Filho têm a ver com sua atividade messiânica, a partir de sua existência humana, pois tais títulos são prefaciados pela frase “e será chamado …”.

Assim, por se tornar o Messias, Jesus se tornou também o “Pai Eterno”. Mas o “Pai Eterno” de quem? Curiosamente, outra profecia referente ao Messias menciona que ele teria ‘filhos’. Lemos em Isaías 53:10: “Ele verá a sua descendência, prolongará os seus dias E por meio dele será realizado o que agrada a Jeová.” Ademais, Isaías 8:18, citado em Hebreus 2:13, mostra o mesmo fato. Lemos o seguinte em tais textos:

“Eis que eu e os filhos que Jeová me tem dado, são para sinais e para portentos em Israel da parte de Jeová dos exércitos, que habita no monte de Sião.” – Isaías 8:18, Sociedade Bíblica Britânica.

“E outra vez: Eu porei a minha confiança nele; e de novo: Eis aqui estou eu e os filhos que Deus me deu.” – Hebreus 2:13, Sociedade Bíblica Britânica.

Como se dará isso?

O periódico A Sentinela (1.º de maio de 1984, p. 21) explica:

Adão foi o primeiro pai da raça humana. Entretanto, ele perdeu a oportunidade de ser “pai eterno” quando pecou. Não mais podia dar aos seus filhos vida eterna por herança. Jesus, por outro lado, não pecou. E, por sacrificar sua vida sem pecado a favor da humanidade, abriu o caminho para a vida eterna àqueles que exercessem fé. (João 3:16; 1 João 2:2) Deste modo, ele lhes dará a vida eterna que Adão fracassou em dar-lhes. Portanto, a Bíblia chama-o de “o último Adão”, “espírito vivificante”. (1 Coríntios 15:45) Ele é apropriadamente chamado “Pai Eterno” da futura raça humana perfeita.[1]

Em harmonia com a explicação acima, os textos abaixo mostram que Jesus assume o papel de Adão:

“Porque, assim como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos receberão vida.” – 1 Coríntios 15:22.

“Assim está escrito: ‘O primeiro homem, Adão, se tornou um ser vivente.’ O último Adão se tornou um espírito que dá vida.” – 1 Coríntios 15:45.

Devido a ter pecado e ter trazido a morte para a humanidade, Adão não é mais o pai eterno da humanidade. E pelo fato de Jesus ter morrido por nós, podemos ter vida eterna. Portanto, Jesus se torna o “Pai Eterno” da humanidade. Assim, é neste sentido que ocorre o título de “Pai Eterno” aplicado a Jesus Cristo.

Por outro lado, quando um cristão se refere a Jeová como “Pai eterno”, ele evidentemente o faz em outro sentido. A Bíblia se refere a Jeová, o Criador de todas as coisas, como “Pai”. Observe os textos abaixo:

“Mas agora, ó Jeová, tu és o nosso Pai. Somos o barro, e tu és o nosso Oleiro; todos nós somos trabalho das tuas mãos.” – Isaías 64:8.

“Por isso, eu me ajoelho diante do Pai, a quem toda família no céu e na terra deve o seu nome.” – Efésios 3:14, 15.

“Portanto, orem do seguinte modo: ‘Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.’” – Mateus 6:9.

Também, Jeová é eterno, possuindo eternidade passada e eternidade futura. Lemos no Salmo 90:2: “De eternidade a eternidade, tu és Deus.”

Assim, não parece biblicamente objetável se referir a Jeová como “Pai eterno”, tendo em vista que os cristãos que assim o fazem não usam essa expressão no sentido messiânico que foi aplicado a Jesus Cristo. Mesmo quando a Bíblia aplica os mesmos títulos a Jeová e a Jesus Cristo, ela o faz em contextos e sentidos diferentes. Sobre isso, veja os artigos abaixo:




Nota:
[1] Produzido pelas Testemunhas de Jeová.


Referências:

Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/tb/hb/2>.

“O que significa Jesus ser chamado de ‘Pai da Eternidade’?” Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8me27PG1DNA>.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.
  


Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *