Image Map











terça-feira, 19 de novembro de 2019

O fato de o “Espírito Santo” convencer prova que ele é uma pessoa?


Fonte: jw.org

Falando a respeito do “Espírito Santo” no papel de “Consolador”, Jesus declarou: “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.” (João 16:8, Almeida Corrigida Fiel) Os trinitários usam esse exemplo de personificação do “Espírito Santo” como argumento de que ele é uma pessoa – a suposta terceira pessoa da Trindade. Mas, sobre esse texto bíblico, o Professor de Hebraico e Grego, Rubens D. Oliveira, teceu um interessante comentário. O que segue a partir daqui é o esclarecedor comentário do referido professor. Queira ler com mente aberta e a máxima atenção.

Alguns citam João 16:8, onde diz que ‘o espírito convence as pessoas a respeito do pecado’, a fim de tentar “provar” que este espírito é alguém. Contudo, a palavra “convencer” usada em João 16:8, onde diz que o espírito santo “convence” a pessoa do pecado, é ἐλέγχω (el-eng’-kho), que significa “repreender”, “expor”, “convencer”. O próprio Jesus disse que as pessoas que praticam pecado “não se chegam à luz a fim de que suas obras não sejam repreendidas”. (João 3:20) Usa-se aqui a mesma palavra grega, que pode ser vertida “convencer” ou “repreender”. E quem faz isso, de acordo com Jesus? A luz! É ela alguém? Efésios 5:13 diz que as coisas “são tornadas manifestas” ou “repreendidas” pela luz.

Em todos estes textos, usa-se a mesma palavra grega que o texto onde diz que o ‘espírito santo convence a pessoa do pecado’. Esta é vertida CONVENCER em João 16:8! Ou seja, a luz não é alguém; contudo, ela também CONVENCE ou EXPÕE, REPREENDE pessoas!

Tiago 2:9 fala de os cristãos serem “repreendidos” (ἐλεγχόμενος [elegkhómenos]) pela Lei”. É a lei alguém? No entanto, ela também “convence” ou “repreende”, que é a mesma palavra grega usada. É claro que, se tomarmos o texto de João 16:8 de modo isolado, poderemos citá-lo a fim de promover uma doutrina particular e tradicional, mas não globalmente bíblica.

É típico dos que não estudam com afinco e dedicação se apegarem a textos esporádicos a fim de promover alguma doutrina para a qual procuram prova. Esta não é a maneira correta de pesquisar as Escrituras. É o mesmo que uma pessoa viajar para Curitiba e fotografar somente os lugares de menos destaque e até mesmo assustadores, a fim de criar um blog dizendo que a “cidade inteira” é aquilo que ele quer representar. Não seria a realidade sobre o panorama geral. Assim é a doutrina da personalidade do espírito santo.

[Fim do comentário.]

Para uma consideração das personificações atribuídas ao espírito santo em João, capítulos 14 a 16, veja o artigo “Personificação prova personalidade?”.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *