Image Map











domingo, 24 de novembro de 2019

Respondendo a um leitor sobre a posição de Jesus no propósito de Deus

Pedro reconhece Jesus como sendo o Filho de Deus
Fonte: jw.org


A respeito do artigo “Duas regras – uma falsa e uma verdadeira”, um leitor comentou o seguinte:

Isto não é raciocínio, é falta de fé em Jesus Cristo! Confia em seus raciocínios, mas não confia em Jesus como seu salvador. Se é para usar o raciocínio, responda: Jeová deu autoridade a um homem que não é Deus, mas é o “anjo Miguel”, para tirar o pecado do mundo? Que Deus é este que divide sua glória na obra da salvação com um ser criado? Deus não divide glória com ninguém!!! Por isso, o Filho glorifica o Pai e o Pai, o Filho; e o Espirito Santo, o Pai e o Filho; pois a gloria está somente em Deus.

O que a Bíblia nos diz é: o Pai elege, o Filho paga o preço e o Espirito Santo converte os corações. E isto é obra de um só “Deus”.

Resposta:

Reconhecer e adotar a posição bíblica sobre o Senhor Jesus Cristo – de que ele é o Filho de Deus e não Deus-Filho (expressão que nem aparece na Bíblia) – não é falta de fé em Jesus. A Bíblia declara: “A fé segue ao que se ouve. E o que se ouve vem por meio da palavra a respeito de Cristo.” (Romanos 10:17) De modo que a fé se fundamenta em conhecimento exato da Palavra de Deus. E a Bíblia como um todo apresenta Jesus, não como o Deus Todo-Poderoso, mas sim como o Filho de Deus. Como o apóstolo Pedro afirmou sobre Jesus Cristo: “O senhor é o Cristo, o Filho do Deus vivente.” – Mateus 16:16.

Para tirar o pecado do mundo, Jesus não poderia ser Deus-Homem, visto que, para prover o resgate, ele tinha de corresponder ao primeiro homem, Adão, o qual evidentemente não era Deus-Homem. Esta clara verdade foi exposta pelo apóstolo Paulo em Romanos, livro no qual lemos:

“Ainda assim, a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo sobre os que não haviam cometido pecado semelhante à transgressão de Adão, o qual tem similaridade com aquele que viria.” – Romanos 5:14.

Assim, Adão “prefigurava aquele que havia de vir [Jesus Cristo]” (Romanos 5:14, Almeida Revista e Atualizada). Jesus foi mencionado como “o último Adão”. (1 Coríntios 15:45) Para pagar o resgate pela humanidade, Jesus teria que ser o equivalente exato de Adão. O papel de Jesus em contrabalançar os efeitos nocivos do pecado de Adão foi belamente explicado por Paulo no mesmo capítulo 5 de Romanos, onde lemos:

“Pois, se a morte reinou por meio de um só homem pela falha dele, quanto mais aqueles que recebem a abundância da bondade imerecida e da dádiva da justiça reinarão em vida por meio de um só, Jesus Cristo! Portanto, assim como uma só falha resultou em pessoas de todo tipo serem condenadas, assim também um só ato de justificação resulta em pessoas de todo tipo serem declaradas justas para a vida. Pois, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos serão feitos justos.” – Romanos 5:17-19.

Para uma explicação de como a Trindade nega a doutrina da Redenção, ou Resgate, veja o artigo “A Cristandade e a Doutrina da Redenção”.


Jesus Cristo é o equivalente perfeito de Adão
Fonte: jw.org

Quando Jeová disse “a minha própria glória não darei a outrem” (Isaías 42:8), ele está se referindo, como o próprio texto se autoexplica, à glória que pertence a ele, de ser ele o Criador, o Deus Todo-Poderoso, o Altíssimo – atributos que não pertencem a mais ninguém, nem ao Filho. Mas isso não significa que Jeová não glorifique suas criaturas. Lemos em Romanos 8:30: “Finalmente, aos que ele [Jeová] declarou justos, também glorificou.”

Jeová glorificou seu Filho unigênito acima de todos os demais seres criados, conforme a Bíblia declara: ‘O Deus de nossos antepassados glorificou o seu Servo, Jesus.’ – Atos 3:13.

Quanto ao que a Bíblia afirma sobre o espírito santo, veja o artigo “O ‘Espírito Santo’ é uma pessoa?”.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Um comentário:

  1. Trinitaristas são tão energúmenos e ignorantes que sequer percebem que o dogma da Trindade nega o sacrifício de Jesus Cristo, pois um ser eterno e infinito (Como Jeová) jamais poderia se esvaziar de seu poder para ser humano, e pior: é impossível o verdadeiro Deus morrer, ele é eterno e sua morte equivaleria a destruição de toda realidade. Logo, a Trindade nega a doutrina cristã da redenção.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *