Image Map











sexta-feira, 29 de maio de 2020

A frase “somente o Pai” não exclui o “Espírito Santo”? (Mateus 24:36)


Fonte: jw.org

Jesus declarou: “A respeito daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas somente o Pai.” (Mateus 24:36) Um trinitário afirmou que a frase “somente o Pai” não exclui o “Espírito Santo”. E, para dar sustentação à sua afirmação, ele cita alguns textos bíblicos, os quais serão examinados neste artigo.

Dois textos citados em apoio de sua declaração são Mateus 11:27 e 1 Coríntios 2:10, 11. Em Mateus 11:27 lemos a declaração de Jesus: “Ninguém conhece plenamente o Pai, exceto o Filho.” E em 1 Coríntios 2:10, 11 temos a declaração do apóstolo Paulo, nestas palavras: “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus.” – ARC.

À base dessas duas passagens, o referido trinitário afirmou que haveria contradição na Bíblia se entendêssemos literalmente o que Jesus disse em Mateus 11:27 – que somente ele conhece plenamente o Pai, e se entendêssemos literalmente 1 Coríntios 2:10, 11, que afirma que somente o “Espírito Santo” conhece plenamente as coisas de Deus. Segundo o trinitário, Mateus 11:27 inclui o “Espírito Santo” e 1 Coríntios 2:10, 11 inclui o Filho, Jesus Cristo. Com base nisso, ele afirma que a declaração de Jesus em Mateus 24:36 – “somente o Pai – inclui também o “Espírito Santo”.

Contudo, um exame mais detido de 1 Coríntios 2:10, 11 revela que tal argumento não procede. Neste texto, o apóstolo Paulo explica a relação do “Espírito Santo” com Deus usando a relação do espírito do homem com o homem. Paulo argumenta que, assim como somente o espírito do homem sabe as coisas do homem, do mesmo modo somente o “Espírito de Deus” sabe as coisas de Deus. O que é o “espírito do homem”? Algum ser pessoal separado do homem? Não. Trata-se evidentemente de algo impessoal dentro do próprio homem, que envolve sua mente, seus sentimentos e suas emoções. Semelhantemente, o chamado “Espírito de Deus” não é uma Pessoa espiritual, e sim algo do próprio Deus, envolvendo sua mente, bem como seus sentimentos e suas emoções. Prova disso é o fato de o verso 10 falar de “seu Espírito”, e o verso 11 menciona tal “Espírito” como “o Espírito de Deus”. Assim, trata-se de algo pertencente a Deus, de algo que é parte do próprio Deus. 

E quem é o “Deus” a quem Paulo se refere em sua carta? Lemos no primeiro versículo de sua Primeira Carta aos Coríntios: “Paulo, chamado para ser apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de Deus.” (1 Coríntios 1:1, ARIB) Evidentemente, Paulo usa o termo “Deus” para se referir ao Pai. Logo, o “Espírito de Deus” é o “Espírito” do Pai. Tal “Espírito” não é uma Pessoa à parte do Pai, do mesmo modo que o “espírito do homem” não é uma pessoa à parte do homem, mas representa o homem no íntimo. Logo, o “Espírito” do Pai representa o Pai no íntimo. Evidentemente que somente o íntimo do Pai – que envolve seus pensamentos, sentimentos e emoções – o conhece, pois se trata Dele mesmo. Não está fazendo alusão a uma Pessoa separada dele. Trata-se de uma figura de linguagem que mostra que o íntimo de cada ser é o que mais conhece tal ser – seja o íntimo do homem em relação ao próprio homem, seja o íntimo de Deus, o Pai, em relação a Ele mesmo.[1]

Por outro lado, tanto o texto de Mateus 11:27 quanto o texto de Mateus 24:36 dizem respeito a pessoas distintas do Pai. Mateus 24:36 cita os anjos do céu e o Filho. Jesus afirmou que nenhum destes sabia algo que somente o Pai sabia. Isto gera uma dificuldade para os trinitários. Pois, se o “Espírito Santo” é uma pessoa distinta do Pai, ele também não sabia. E se ele é algo impessoal dentro do próprio Deus, o Pai, isso explica porque tal “Espírito”, figuradamente, sabe as coisas de Deus.

Outro texto citado pelo referido trinitário é Apocalipse 19:12, que declara o seguinte a respeito do glorificado Senhor Jesus Cristo: “E tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão ele mesmo.” (ARC) O supracitado trinitário argumenta então: ‘Será que o Pai não conhece também esse nome?’

Neste caso, o trinitário confunde o uso absoluto com o uso relativo das palavras. Podemos afirmar que ninguém conhece algo nos referindo a um contexto específico de pessoas, e não a todos os seres pessoais que existem. Um exemplo deste uso relativo das palavras se encontra em Deuteronômio 34:6, que afirma sobre Moisés: “Ninguém sabe onde está sua sepultura.” Neste caso, o pronome indefinido “ninguém” está num sentido relativo. Pois Deus sabia, visto que o mesmo texto afirma que foi Jeová quem enterrou Moisés. Miguel, o arcanjo, evidentemente também sabia, pois Judas 9 afirma que ele “disputava [com o Diabo] a respeito do corpo de Moisés”.

O mesmo sentido relativo é encontrado em Apocalipse. Os fieis vencedores recebem de Jesus uma simbólica “pedra branca”, na qual “está escrito um novo nome, que ninguém conhece, exceto aquele que a recebe”. (Apocalipse 2:17) Evidentemente, o próprio Jesus conhece tal “novo nome”, pois é ele quem concede tal “pedra” onde está tal novo nome. E o próprio Deus, que “sabe todas as coisas”, também conhece tal nome. (1 João 3:20) “Ninguém”, neste caso, refere-se a outros além de Deus, de Jesus e dos fieis vencedores que recebem tal “pedra”.

Do mesmo modo, Apocalipse 19:12 faz uso relativo das palavras. No verso 13 Jesus é referido como “a Palavra de Deus”. Portanto, ele é propriedade de Deus. Tudo ele recebeu de Deus, inclusive o mencionado “nome” do verso 12.

Porém, em Mateus 24:36 encontramos um sentido absoluto dos termos. Em vez de usar apenas o termo genérico e indefinido “ninguém”, essa passagem menciona personagens específicos que não sabiam o dia e a hora: os anjos e Jesus Cristo. “Somente o Pai” sabe de algo num contexto em que Jesus citou a si mesmo e os anjos. Além disso, encontramos uma progressão, ou gradação, na menção desses personagens: “ninguém”, “nem os anjos dos céus, nem o Filho”. O “Espírito Santo” não é mencionado entre esses seres pessoais porque não é uma pessoa, e sim a energia que emana do próprio Deus. Portanto, nenhum outro ser além do Pai sabia “daquele dia e daquela hora”.


Nota:



Explicação das siglas usadas:

ARC: Almeida Revista e Corrigida.
ARIB: Almeida Revisada Imprensa Bíblica.


Referências

Apocalipse 19:12. Almeida Revista e Corrigida. Disponível em: <https://www.bible.com/pt/bible/212/REV.19.ARC>.

1 Coríntios 2:10, 11. Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/acf/1co/2/10,11>.

1 Coríntios 1:1. Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/aa/1co/1>.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Um comentário:

  1. Mano que resposta em? Depois dessa se eu fosse o trinitarista que usou essa linha de argumentação pegava meu cérebro e deixava de quarentena.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *