Image Map











domingo, 30 de agosto de 2020

Como sabemos que João 1:1 revela a natureza divina do Verbo?


Fonte: jw.org


Referente ao artigo “João 1:1 na Tradução do Novo Mundo revisada”, um leitor comentou o seguinte:

Muito obrigado, Apolo, pela matéria; me tirou muitas dúvidas. No entanto, me levantou outra. A matéria diz em seu final: “Jesus foi aludido pelo termo ‘deus’ no sentido de ter natureza divina.” […] O que, no texto em si, mostra ou prova que theós [“deus”], no caso de Jesus, significa “natureza divina”? Obrigado.

Resposta:

O termo “Deus” foi aplicado a Moisés, a anjos e a juízes humanos, conforme os textos abaixo:

“Ele [Arão] falará por você [Moisés] ao povo; ele [Arão] será seu porta-voz, e você [Moisés] lhe servirá de Deus.” – Êxodo 4:16.

“Tu o fizeste [o ser humano] um pouco menor que os seres divinos [hebraico: elohím; Septuaginta grega: “anjos”], e o coroaste de glória e esplendor.” – Salmo 8:5.

“Deus toma sua posição na divina assembleia; entre os deuses profere seu julgamento: ‘Até quando vocês continuarão julgando com injustiça e favorecendo os maus? Defendam o humilde e o órfão. Façam justiça ao desamparado e ao necessitado. Salvem o humilde e o pobre, livrem-nos da mão dos maus.’ Eles não sabem nem entendem nada; vagueiam na escuridão; todos os alicerces da terra são abalados. ‘Eu disse: “Vocês são deuses, todos vocês são filhos do Altíssimo.”’” – Salmo 82:1-6.

“Jesus lhes respondeu: ‘Não está escrito na sua Lei: “Eu disse: ‘Vocês são deuses’”? Se aqueles contra quem se dirigiu a palavra de Deus foram chamados de “deuses” — e as Escrituras não podem ser anuladas.’” – João 10:34, 35.

 Moisés e os juízes humanos de Israel receberam poder ou autoridade conferidos por Deus e agiram como Seus representantes. Os anjos, além de serem representantes de Deus, também possuem natureza divina. (Salmo 8:5) Por tais motivos, foram mencionados como sendo “Deus” ou “deuses”.

E quando tal termo foi aplicado a Jesus, sempre se esclareceu o sentido em que ele é referido como “Deus”. Por exemplo, em João 1:18 ele é referido como “Deus unigênito” (ARA, TB), literalmente, ‘o único Deus gerado’, o que indica que mesmo na sua divindade ele teve princípio. Isaías 9:6 refere-se a Jesus como “Deus forte” (ARA), ou “Deus poderoso” (NM), ao passo que somente Jeová é descrito como “Deus Todo-Poderoso”. – Gênesis 17:1.

Em João 1:1 Jesus é aludido como “Deus” sem o artigo definido, em contraste com Aquele com quem ele estava no princípio, que é descrito literalmente como “o Deus”. Assim sendo, tal uso do termo “Deus” descreve sua natureza e não identifica sua pessoa com o Deus Todo-Poderoso. Jesus é mencionado como “Deus” na Bíblia por ter natureza divina e por ser representante do Deus Todo-Poderoso.

(Comentário com base no artigo “‘Meu Senhor e meu Deus!’ – em que sentido?”.) 

Veja também os artigos:




Explicação das siglas usadas:

ARA: Almeida Revista e Atualizada.
NM: Tradução do Novo Mundo.
TB: Tradução Brasileira.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



domingo, 23 de agosto de 2020

“Filhos de Deus” ou “filhos dos poderosos”? (Salmo 89:6)

 

Fonte: jw.org

Um leitor perguntou: 

Qual é a tradução correta do Salmo 89:6 em hebraico? É “os filhos de Deus”? Ou, como a Reina Valera 1960 diz: “filhos dos potentados”?

Resposta:

 A tradução Reina-Valera 1960 (RVR1960) verte assim o Salmo 89:6: “Pois, quem no céu se iguala a Jeová? Quem será semelhante a Jeová entre os filhos dos potentados?” 

As traduções da Bíblia vertem de forma variada esse texto, conforme os exemplos abaixo: 

“Os filhos dos poderosos.” – Almeida Corrigida Fiel, Almeida Revista e Corrigida, New American Standard Bible, New King James Version, King James Bible, King James 2000, Almeida Atualizada, American Standard Version, English Version Revised, Webster Bible Translation, Young's Literal Translation. 

“Os filhos dos anjos.” – Aramaic Bible in Plain English (“Bíblia aramaica em inglês simples”). 

“Os filhos dos seres celestes.” – World English Bible. 

“Os seres divinos.” – International Standard Version, Bíblia Pastoral. 

“Os seres celestes.” – English Version Version, Berean Study Bible, Christian Standard Bible, Good News Translation, Holman Christian Standard Bible, NET Bible, God’s Word Translation. 

“Os seres celestiais.” – Almeida Revista e Atualizada, Nova Almeida Atualizada, Nova Tradução na Linguagem de Hoje, Nova Versão Internacional. 

“Os filhos de Deus.” – Almeida Revisada Imprensa Bíblica, Tradução Brasileira. New Heart English Bible, Brenton Septuagint Translation,  Douay-Rheims Bible. 

A palavra hebraica em questão, vertida “poderosos”, “seres celestiais” e “Deus” é elim. Sobre esta palavra, note o comentário feito pela obra Estudo Perspicaz das Escrituras: 


A forma plural, ʼe·lím, é usada com referência a outros deuses, tal como em Êxodo 15:11 (“deuses”). É também usada como plural de majestade e excelência, como no Salmo 89:6: “Quem entre os filhos de Deus [bi·venéh ʼE·lím] pode assemelhar-se a Jeová?” Que se usa a forma plural para denotar aqui uma única pessoa, e em numerosos outros lugares, é apoiado pela tradução de ʼE·lím pela forma singular The·ós na Septuaginta grega; igualmente por Deus na Vulgata latina. – Volume 1, p. 689, verbete “Deus”.

 

Em consonância com isso, a nota da Tradução do Novo Mundo Com Referências declara:

 

“Deus.” Hebr.: ’E·lím, pl. de ’El, para denotar majestade ou excelência; gr.: The·oú; lat.: Dé·i; TSy: “anjos”. Veja Jó 1:6 n.: “filhos” e “Deus”; Jó 38:7 n.

Além de a tradução de elim por “Deus” ser apoiada pelas versões da Septuaginta grega e pela Vulgata latina, a própria fraseologia do verso 6 indica que bi·venéh ʼE·lím deve ser traduzido, não “filhos dos poderosos”, e sim “filhos de Deus”. Observe que a primeira sentença faz a pergunta: “Pois quem nos céus pode ser comparado a Jeová?” A frase menciona os que estão “nos céus”. A referência evidentemente é a anjos. Portanto, a pergunta seguinte, que repete a mesma ideia da primeira pergunta, fica coerentemente traduzida assim: “Quem entre os filhos de Deus é semelhante a Jeová?” 

Adicionalmente, a expressão “os filhos de Deus” é aplicada aos anjos em Jó 1:6; 2:1 e 38:7, na expressão BËNEY HÅELOHYM. 

O que disseram os comentaristas bíblicos 

Ellicott's Commentary for English Readers (“Comentário de Ellicott para leitores ingleses”) declarou: “Filhos dos poderosos. – Antes, filhos de Deus, isto é, anjos. (Comp. Salmo 29:1.)” Pulpit Commentary (“Comentários do púlpito”) afirmou: “‘Os filhos dos poderosos’ são os anjos (comp. Salmo 29:1).” 

Brown-Driver-Briggs Hebrew and English Lexicon (“Léxico Hebraico e Inglês, de Brown-Driver-Briggs”) afirma: “anjos , Bnei Eliim. Salmos 29:1; Salmo 89:7 = Filhos de Deus.” 

Conclusão 

O paralelismo poético do próprio texto do Salmo 89:6 nas duas perguntas aponta para a tradução “filhos de Deus” para a expressão bi·venéh ʼE·lím. Isto é reforçado pela aplicação da expressão “os filhos de Deus” para os anjos no livro de Jó, e pelas traduções do Salmo 89:6 feitas pela Versão dos Setenta e pela Vulgata. 


Referências: 

Salmo 89:6. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/>. 

______. Bíblia Hebraica. Disponível em: <http://www.hebraico.pro.br/>. 

______. Bíblia Pastoral. Disponível em: <http://www.paulus.com.br/>. 

______. LXX. Disponível em: <https://www.academic-bible.com/>. 

______. Nova Tradução da Linguagem de Hoje. Disponível em: <https://www.bible.com/>. 

410. el. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/>. 

Salmo 89:6. Reina Valera. Reina-Valera 1960 (RVR1960). Versión Reina-Valera 1960 © Sociedades Bíblicas en América Latina, 1960. Renovado © Sociedades Bíblicas Unidas, 1988. Disponível em: <https://www.biblegateway.com/>. 

______. Tradução Brasileira. Disponível em: <https://bibliaonline.link/>.

 


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 



domingo, 16 de agosto de 2020

O Filho “subiu ao céu” como homem ou como espírito? (João 3:13)


O anjo de Jeová aparece a Moisés
Fonte: jw.org

O artigo “De que modo o Filho ‘subiu ao céu’?” deu consideração às palavras de Jesus Cristo em João 3:13, onde ele declarou: “Nenhum homem subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem.”

A respeito desse artigo, um leitor escreveu:

Amigo apologista, seus argumentos são cheios de contradição, que não vale a pena dar tanta atenção; veja o que você mesmo postou:

‘Já esse comentário traz à atenção que as palavras de Cristo indicavam que ele “havia estado no céu”. Há base para se concluir que Jesus, na sua existência pré-humana como poderosa pessoa espiritual, ERA O ANJO QUE GUIAVA ISRAEL no ermo. (Êx 23:20-23; Is 63:9) Assim, NÃO COMO HOMEM, mas como pessoa espiritual, ele vinha à Terra e ‘ASCENDIA’ ao CÉU. Nesse respeito, “NENHUM HOMEM ASCENDEU AO CÉU, senão aquele que desceu do céu, o FILHO DO HOMEM”, em sua existência pré-humana. “Aquele” NÃO SE REFERE AO HOMEM (JESUS CRISTO), e sim à sua pessoa como poderosa criatura espiritual antes de vir à Terra.’

Observe que você diz que foi na forma de ANJO que isso foi possível e não se refere a Jesus Homem, MAS JESUS foi que disse: SENÃO AQUELE QUE DESCEU DO CÉU, O FILHO DO HOMEM.

Então, apologista, você montar um enorme texto e se estribar em seu conhecimento, tome mais cuidado e estude com cautela, pois você está mergulhado em erros e não admite, seja humilde e reconheça os erros e os conserte.

Que Jeová te abençoe lhe concedendo conhecimento verdadeiro.

Resposta:

Acontece que a expressão “Filho do Homem”, assim como a expressão “Cordeiro” – expressões que descrevem o papel humano de Cristo – também são usadas para o Jesus espírito, conforme os textos abaixo:

“E [Estêvão] disse: ‘Estou vendo o céu aberto, e o Filho do homem em pé à direita de Deus.’” – Atos 7:56.

Quando Estêvão teve essa visão, Jesus já havia sido ressuscitado e ido ao céu como “espírito” (1 Coríntios 15:45; 1 Pedro 3:18). Mesmo assim, Estêvão o descreve como “o Filho do homem”.

“Diziam às montanhas e às rochas: ‘Caiam sobre nós e escondam-nos da face Daquele que está sentado no trono e da ira do Cordeiro.’” – Apocalipse 6:16.

“Eles batalharão contra o Cordeiro, mas, visto que ele é Senhor dos senhores e Rei dos reis, o Cordeiro os vencerá. Os que estão com ele, os chamados, escolhidos e fiéis, também vencerão.” – Apocalipse 17:14.

Jesus cumpriu figuradamente o papel de cordeiro quando, semelhante a um cordeiro, não apresentou resistência aos seus opositores que queriam matá-lo e pendurá-lo em um madeiro. Isaías 53:7 profetizou sobre isso, nestas palavras: “Ele foi oprimido e deixou-se atribular, mas não abriu a boca. Foi levado como um cordeiro ao abate, como uma ovelha que fica em silêncio diante dos seus tosquiadores; e ele não abriu a boca.”

Contudo, ele manteve a designação de “Cordeiro” mesmo após ter subido ao céu, após sua ressurreição. Isso não significa que, no céu, Jesus é de carne e osso, nem alguém indefeso como um cordeiro. Apenas que tais designações são mantidas para identificá-lo como aquele que já havia atuado em tais papéis.

De modo similar, quando Jesus disse que quem “subiu ao céu” e “desceu do céu” é o “Filho do homem”, ele estava simplesmente dizendo que o ser espiritual que  “subiu ao céu” no período pré-cristão havia se tornado humano, por ter nascido como tal. Conforme diz João 1:14: “De modo que a Palavra se tornou carne e residiu entre nós.”

Após esta resposta ao referido leitor, outro leitor, que acompanhou o assunto, comentou o seguinte:

“Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o FILHO DO HOMEM; e dirigiu-se ao ANCIÃO DE DIAS, e o fizeram chegar até ele. E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído”. Daniel 7:13, 14, Almeida Corrigida Fiel.

O FILHO DO HOMEM chegou-se ao ANCIÃO DE DIAS em CARNE E OSSO? É isso que teu argumento quer dizer??? Tome mais cuidado e estude com mais cautela, pois você está mergulhado em erros, é obstinado e não admite. Reconheça seu erro e os conserte: “SAÍ DELA, POVO MEU.” – Apocalipse 18:4.

Seja humilde, porque só assim Jeová lhe concederá conhecimento verdadeiro.

[Fim do comentário.]

Tudo o que foi escrito acima demonstra a importância de fazermos sempre uma análise profunda das Escrituras, para chegarmos a um entendimento correto. Ademais, sublinha a importância de sermos cuidadosos no modo em que apresentamos nossos questionamentos, fazendo isso sempre de modo respeitoso. Caso contrário, poderíamos incorrer no vexame descrito em Provérbios 18:13, que declara: “Responder antes de ouvir os fatos é tolice e resulta em humilhação.”


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




domingo, 9 de agosto de 2020

A blasfêmia pode ser perdoada?


Fonte: jw.org

Um leitor comentou o seguinte:

“Por essa razão, eu lhes digo: TODO TIPO de pecados e blasfêmias será perdoado aos homens, mas a blasfêmia contra o espírito não será perdoada.” (Mateus 12:31) Jesus falou de “todo tipo de blasfêmias”, o que inclui a [blasfêmia contra] Deus.

A obra “Estudo Perspicaz” (Volume 1, pp. 366-367) diz sobre Blasfêmia: “Esta é a forma aportuguesada da palavra grega bla·sfe·mí·a. O termo grego significa basicamente linguagem injuriosa, difamatória ou ultrajante, e era usado com referência a tal linguagem quer dirigida contra DEUS, quer contra humanos. (Veja Re 16:11; Mt 27:39.) A palavra portuguesa ‘blasfêmia’, porém, usualmente fica restrita a linguagem irreverente ou ultrajante contra Deus e contra coisas sagradas. É assim a antítese das palavras de adoração dirigidas ao Ser Divino.”

Quando Jesus cita ele próprio, ele diz: “Por exemplo...” Então ele citou a si próprio como exemplo; isso de maneira nenhuma significa que o Pai não poderia ser usado como exemplo. (Mateus 12:32) Não acredito na Trindade, mais acredito que blasfemar contra Deus é diferente de blasfemar contra sua “força ativa” em ação clara e evidente.

Resposta:

Naturalmente, é possível blasfemar, ou falar irreverentemente, contra Deus em casos à parte da clara manifestação do Seu espírito santo. Lemos em Apocalipse 16:11: “Mas blasfemaram contra o Deus do céu por causa das suas dores e das suas úlceras, e não se arrependeram das suas obras.” 1 Timóteo 1:19, 20 menciona uma “disciplina”, ou medida corretiva, contra a blasfêmia, indicando que tais blasfemadores poderiam ser recuperados espiritualmente.

Pessoas que passam por tragédias às vezes blasfemam contra Deus. O próprio Paulo havia sido blasfemador antes de se tornar cristão. (1 Timóteo 1:13) Ele admitiu candidamente: “Embora antes eu fosse blasfemador, perseguidor e insolente. Contudo me foi concedida misericórdia porque eu agia em ignorância e não tinha fé.” – 1 Timóteo 1:13.

Mas é diferente de blasfemar contra o espírito santo, pois a blasfêmia contra o espírito santo é uma negação consciente, determinada e com conhecimento de causa da evidente operação do espírito de Deus. É por isso que as blasfêmias sem conhecimento serão perdoadas, mas não a blasfêmia totalmente consciente, como disse Jesus.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



domingo, 2 de agosto de 2020

Leitores comentam sobre o tormento eterno


Fonte: jw.org

Dois leitores acompanharam os comentários de um defensor do tormento eterno, bem como as considerações do autor deste site, no artigo “Seol e Hades significam o inferno da cristandade?”. O texto-base avaliado nesse artigo foi Jonas 2:2, que declara: “Na minha aflição clamei a Jeová e ele passou a responder-me. Do ventre do Seol clamei por ajuda. Ouviste a minha voz.” Após isso, os referidos leitores extraíram trechos do citado comentarista e fizeram suas colocações. Seguem abaixo as colocações feitas por eles.

Comentarista: “E ainda outras traduções mais atuais traduzem [Seol] por ABISMO, o que para mim é a melhor tradução, pois Jonas estava em um lugar escuro e profundo, ou seja, ele tinha o conceito de Seol como sendo um lugar PROFUNDO, FORA DESTE MUNDO e de um terrível TORMENTO.”

Leitor 1: “Abismo”, “Além” e “Inferno” são três termos diferentes com sentidos diversos, até mesmo contraditórios; misturá-los não dá muito certo. O mesmo comentarista elogiou “Sepultura”. Ora, aí são quatro termos diversos com sentidos incoerentes entre si: “inferno” é “inferno”, “sepultura” é “sepultura”, “além” não é “inferno” e “sepultura” não é “abismo”.

Comentarista: “Olá, estudando Jonas 2.2 nas mais variadas traduções descobri que algumas traduzem Seol por ALÉM (lugar para onde vão as almas dos mortos), o que é uma boa definição do termo.”

Leitor 1: Engraçado que ele elogia todas as traduções, não importa pelo que vertam o termo, só critica a Tradução do Novo Mundo por transliterar Sheol por “Seol”. Todas estão ok, só a NM que falha.

Comentarista: “Outras traduzem por INFERNO, o que também é bem traduzido. Afinal de contas, Jonas não estava em tormentos?”

Leitor 1: Jonas não estava em tormentos; ele estava preso dentro do peixe, mas não estava em “tormentos” conforme se entende o tormento infernal do fogo do inferno. Será que Deus pegou seu profeta e cruelmente o castigou a queimar sadisticamente dentro do ventre do grande peixe sem morrer? Ou será que o pôs lá dentro para ser furado por tridentes, ou para devorado por presas de demônios ferozes que torturam as pobres “almas” ‘a serviço de Deus’?

A situação de Jonas era desagradável, mas ele estava ali protegido para refletir e meditar em sua desobediência – sem sofrer profundas e penosas dores excruciantes. Embora ele temesse a morte, Jeová tinha um tempo certo para libertá-lo. A restrição talvez cause certa aflição, mas não houve nenhum “tormento infernal” no peixe envolvendo fogo ardente ou cruéis torturas satânicas.

Comentarista: “Portanto, Seol não pode ser traduzido neste texto como uma ‘futura sepultura’; pois Jonas estava no Seol no TEMPO PRESENTE, e não se referindo ao futuro; pois, para ele, o Seol era um lugar de tormento CONSCIENTE, de atividade mental: pois ele até mesmo orou a Deus dentro do ventre do Seol.”

Leitor 1: Sobre o fato de Jonas estar vivo, o comentarista elogiou a tradução de Seol como sendo “O ALÉM” e como “INFERNO”. Para estar no “além” ou no “inferno” se precisa estar tão morto quanto para estar na “sepultura”, ou seja, no caso dessa sua zombaria de chamar de “FUTURA sepultura” daria na mesma chamar de “FUTURO além” ou “FUTURO inferno”; pois, para literalmente estar no inferno ou no além se necessita estar morto em primeiro lugar. No “tempo presente” ele não poderia estar nem no mitológico inferno e nem no fictício além.

Sobre a possibilidade de ele estar consciente, dizem as Escrituras sobre o estado dos mortos no Seol: “Pois os viventes estão cônscios de que morrerão; os mortos, porém, não estão cônscios de absolutamente nada, nem têm mais salário, porque a recordação deles foi esquecida.” – Eclesiastes 9:5.

Sobre a possibilidade de o Seol ser um lugar de tormento infernal para Jonas, o fiel Jó orou: “Quem dera que me escondesses no Seol, que me mantivesses secreto até que a tua ira recuasse, que me fixasses um limite de tempo e te lembrasses de mim!” (Jó 14:13.) Sobre a possibilidade de que Jonas pudesse falar, orar e louvar a Deus se estivesse literalmente no Seol, o Salmos 6:5 declara: “Porque na morte não há menção de ti; no Seol, quem te elogiará?” “​Os mortos não louvam o SENHOR, nem os que descem à região do silêncio.” (Salmo 115:17, Almeida Revista e Atualizada) Sobre a possibilidade de o Seol de Jonas não ser paralelo à Sepultura, Jesus fez o paralelo justamente com a Sepultura: “Porque, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do enorme peixe, assim estará também o Filho do homem três dias e três noites no coração da terra.” – Mateus 12:40.

Comentarista: “Jonas...tinha o conceito de Seol como sendo um lugar PROFUNDO, FORA DESTE MUNDO e de um terrível TORMENTO.”

Leitor 1: Como o ventre do peixe poderia estar “FORA DESDE MUNDO”??????? A tradução por “além” é autocontraditória: além de o peixe estar neste mundo, de o profeta estar vivo, ainda cabe citar que “além” comporta todos os que morrem, incluindo os servos de Jeová – como era o caso de Jonas –, mas “Inferno” só é usado para os ímpios. Então, “Inferno” não encaixa com “Além”; pois, “inferno” só comporta as ‘almas dos maus imortais’, e “além” comporta as ‘almas dos bons’ junto.

Comentarista: “… a ÚNICA tradução possível é INFERNO.”

Leitor 1: Sobre a possibilidade de a natureza do Seol-Hades ser o “Inferno” de eterno sofrimento literal em fogo, Jacó disse: “E todos os seus filhos e todas as suas filhas se levantavam para consolá-lo, mas ele se negava a ser consolado e dizia: ‘Pois descerei pranteando para meu filho [José] ao Seol!’ E seu pai continuava a chorar por ele.” (Gênesis 37:35)

Comentarista: “Hades é UM LUGAR DE TORMENTO.”

Leitor 1: Isso seria baseado em um único versículo [Lucas 16:23], em texto de parábola profética [do Rico e Lázaro], com a prosopopeia de seres inanimados em cenários de simbologia espiritual; em contrariedade a outros quase 80 versos, a maioria deles falando da realidade literal da morte e de seus cativos. Demonstraria um desejo muito forte de se crer no que se quer crer, pois se escolhe um texto conveniente a dedo e se ignora todos os outros por mero favoritismo parcial.

A pergunta é: Jesus esteve três dias no Hades de tormento consciente? Davi, que ainda não tinha subido ao céu no tempo dos Atos dos Apóstolos (Atos 2:34), ao morrer, esteve no mesmo lugar onde Jesus esteve o Seol-Hades. (Salmo 16:10 - Atos 2:31) Davi e Jesus estiveram sofrendo o tormento infernal no fogo eterno? Ao morrer, José do Egito iria ser atormentado no inferno ardente? Jacó queria ir até lá ver seu filho? Jó queria ficar um tempo morto para descansar de seus sofrimentos terrenos lá no sofrimento ardente do inextinguível fogo infernal?

Comentarista: “A boa interpretação bíblica é aquela em que a pessoa que a interpreta faz isso com o que chamo de HONESTIDADE INTELECTUAL, ou seja: extrair do texto o que ele realmente diz e não o que eu quero que ele diga; eu me esforço em praticar isso.”

Leitor 1: Ele se esforçou em modificar o sentido de Seol para termos de traduções incoerentes entre si, texto a texto, em vez de lhe dar um sentido determinado e coerente com todas as suas ocorrências, e especialmente em lhe dar a conotação de “Inferno”, sentido que Seol nunca teve desde sua primeira aparição até a última.

De toda forma, o sentido de “Além” ou “Inferno” para Seol dependeria primeiro de que a alma fosse imortal; como ela não é (Ezequiel 18:4), essas “opções” já são descartadas logo de cara sem necessidade de mais polêmica em cima, sem almas (note Gênesis 2:7) para estarem vivendo em imortalidade (note Ezequiel 18:4; 1 Coríntios 15:54), conscientes (note Eclesiastes 9:5) e barulhentas (note o Salmo 115:17) no Seol-Hades. A doutrina do Inferno e todas as outras doutrinas a respeito do além (Purgatório, Limbo, Indulgências, Reencarnação, Espiritismo, Necromancia) caem por não terem suporte bíblico nenhum para se sustentarem!

Não se pode isolar uma ou duas passagens e tentar enfiar o conceito de inferno dentro delas na base da incoerência de diferentes traduções bíblicas. Considere um horizonte mais amplo, de todas as passagens bíblicas referentes àquele assunto dentro de uma versão bíblica que faça tradução coerente dos termos-chave da maneira mais uniforme possível; depois veja se o conceito religioso popular se encaixa no que o consensual contexto bíblico de Gênesis a Apocalipse está demonstrando.

O segundo leitor também fez observações sobre algumas afirmações do referido comentarista:

Comentarista: “Obs.: a boa interpretação bíblica é aquela em que a pessoa que a interpreta faz isso com o que chamo de HONESTIDADE INTELECTUAL, ou seja: extrair do texto o que ele realmente diz e não o que eu quero que ele diga; eu me esforço em praticar isso. Um abraço, apologista.”

Leitor 2: Meu Deus, quanta hipocrisia! Se nem nas traduções que ele usa existe essa ‘honestidade intelectual’. Afinal, sabemos muito bem que, nos idiomas bíblicos originais hebraico e grego, nem encontramos a palavra inferno. Ela vem do latim infernus. Se pelo menos os tradutores traduzissem Seol (hebraico) e Hades (grego) em todas as ocorrências por “inferno”, aí sim seria mais honesto. Pelo menos assim os leitores iriam entender sobre o ‘inferno bíblico’ o seguinte:

1. É um lugar para onde vão tanto bons como ímpios (Salmo 9:17; Jó 14:13; 17:13). Jó era um homem bom, não merecia ser atormentado num mítico inferno de fogo;

2. Nele não existe atividade (Salmo 6:5; Eclesiastes 9:5, 6, 10);

3.  Até mesmo nosso Senhor Jesus, que não é mau, esteve no inferno bíblico (Salmo 16:10; Atos 2:27, 31);

4. Não é o lugar de julgamento final, já que os que estão no Hades (inferno bíblico) voltarão na ressurreição (Apocalipse 20:13, 14);

5. Será destruído, visto que será jogado dentro do lago de fogo, que representa a destruição eterna (Apocalipse 20:14, 15);

Sendo INTELECTUALMENTE HONESTO, será que as descrições destes textos dão a entender a existência de um lugar de tormento eterno? Ou será que esses textos bíblicos descrevem a sepultura comum da humanidade? Está vendo, senhor comentarista? Nem as traduções da Bíblia que o senhor usa foram produzidas por pessoas intelectualmente honestas; pois, se fossem, traduziriam de maneira correta, ajudando os leitores sinceros a compreender que a sepultura é o destino final da humanidade após a morte, sendo sua esperança a ressurreição. – João 5:28, 29; 11:25.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *