Image Map











domingo, 14 de fevereiro de 2021

Jesus foi criado? (Provérbios 8:22 – “possuiu” ou “produziu”?) – Parte 3

 


Esta é a terceira parte da série que considera uma conversa significativa sobre temas bíblicos que ocorreu entre o autor deste site e uma pessoa num grupo apologético do Facebook.

Alcinei:

Bom dia.

Em primeiro lugar, a palavra que as T. J. [Testemunhas de Jeová] traduzem por “produziu” e que algumas versões por “criou”, é qanáh em hebraico. Essa palavra é empregada frequentemente em Provérbios, nunca com o sentido de “CRIAR”, mas sempre com sentido de “adquirir” ou “comprar”. Ou seja: adquirir com dinheiro (Provérbios 1.5; 4.5,7; 8.22; 15.32; 16.16; 17.16; 18.15; 23.23). Esse também é o seu significado consistente em cerca de 70 outras ocasiões em que a palavra é empregada no restante do Antigo Testamento. Então, você não pode dizer que Jesus é uma criatura baseado nesta palavra.

Apologista da verdade:

Prezado Alcinei:

O verbo qanáh também tem o sentido de “criar”, “produzir”. Isto é evidente em Deuteronômio 32:6, onde lemos: “É a Jeová que persistis em fazer assim, ó povo estúpido e nada sábio? Não é ele teu Pai que te produziu, Aquele que te fez e passou a dar-te estabilidade?” Note que o verbo “produziu” está relacionado com o verbo “fazer” e com o substantivo “Pai”. Neste caso, qanáh é coerentemente vertido por “produzir”. Então, contrário ao que você afirmou, é possível “dizer que Jesus é uma criatura baseado nesta palavra”. Novamente, entramos no campo da hermenêutica, pois a linguística admite ambos os sentidos em qanáh, de “possuir” e de “produzir, criar”.

E, segundo a hermenêutica, qual seria a tradução mais coerente em Provérbios 8:22? A tradução “O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos” (Almeida Corrigida Fiel) dá a entender que a sabedoria já existia à parte de Deus, que veio a possuí-la depois. Isto seria um absurdo. Deus sempre foi sábio. Além disso, o contexto aponta para a tradução “me criou” para qanáh. O verso 24 diz a respeito da “sabedoria”:  ”fui gerada”; e o verso 25 diz: “eu nasci”. – Almeida Atualizada.

Alcinei:

Boa noite.

Qanáh nunca é usado no livro de Provérbios como CRIAR!!!!

O senhor não pode usar Deuteronômio 32.8 para definir o texto em apreço, pois a sua tradução não está PRODUZIU, e sim TROUXE A EXISTÊNCIA, e a minha “adquiriu”. Vamos voltar a Provérbios.

Apologista da verdade:

O fato de um escritor usar majoritariamente um termo em um sentido é significativo, mas não é conclusivo. Pois é possível um escritor usar o mesmo termo em sentidos diversos. Por exemplo, no próprio livro de Provérbios qanáh é usada como “adquirir” e como “comprar”. (Provérbios 19:8; 23:23) Embora tais significados tenham certa semelhança, evidentemente não significam a mesma coisa. E não faria sentido entender em Provérbios 8:22 o sentido de “comprar”, com a tradução “Jeová me comprou no princípio do seu caminho”. Além disso, uma palavra deve ser examinada à luz da Bíblia inteira, e não apenas de seu uso em um determinado livro. “Toda a Escritura é inspirada por Deus”. – 2 Timóteo 3:16.

Como já argumentei acima, o sentido de “criar”, ou “produzir”, está coerente com o contexto de Provérbios 8:22-31, O verso 24 diz a respeito da “sabedoria”:  ”fui gerada”; e o verso 25 diz: “eu nasci”. (Almeida Atualizada). Assim, a sabedoria figurada nesta passagem não foi possuída por Deus, mas criada: veio a existir.

O texto de Deuteronômio pode sim ser usado para demonstrar que qanáh não tem apenas o sentido de “possuir, adquirir”, mas também de “criar, produzir, trazer algo à existência”.

Alcinei:

Boa noite, estamos voltando aos mesmos textos bíblicos, mas vamos analisar novamente cada um.

Provérbios 8.22, 23: O senhor sabe que qanáh neste texto não pode ser usado como CRIAR, ou PRODUZIR, pois algo que é criado, ou produzido, ele tem um tempo em que não EXISTIA. Ora! É inadmissível dizer que Deus não tinha sabedoria; seria um Deus burro!!! OU SEJA, EXISTIA EM ALGUM TEMPO SEM SABEDORIA?

Então esta questão que o senhor disse que a SABEDORIA não foi possuída, e sim VEIO A EXISTIR, ESTÁ FORA DO CONTEXTO. Qanáh­, em todo livro de Provérbios, nunca é traduzido como “CRIAR” e sim “ADQUIRIR”, “COMPRAR” ou “POSSUIR”.

Apologista da verdade:

Prezado Alcinei:

É claro que é inadmissível achar que houve um tempo em que Deus não tinha sabedoria. Eu já disse isso. Por isso, tal “sabedoria” em Provérbios 8:22-31 não pode ser a qualidade abstrata da sabedoria. Mesmo que qanáh fosse traduzida como “possuiu”, daria a entender que Deus não tinha sabedoria antes de tê-la possuída. Já comentei isso antes. Por isso, tal texto faz referência a um ser que veio a existir num dado momento, e que participou com Deus na criação. Tal descrição se adequa somente ao Filho primogênito de Deus, Jesus Cristo. Diante dessa realidade, a tradução “produziu”, ou “criou” (Septuaginta) fica coerente.

Quanto aos demais textos do livro de Provérbios em que qanáh ocorre não ter o sentido de “criar”, ou “produzir”, já argumentei acima.

[Continua na parte 4.]

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová. 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 


2 comentários:

  1. Muchas gracias. W.E. VINE DICE: "En Deu 32:6 a Dios se le llama EL «PADRE» que «CREÓ» a Israel; ➡️♥️❗UN PADRE ENGENDRA O «CREA» HIJOS, NO LOS «ADQUIERE». EN LA VERSIÓN SAPIENCIAL DEL RELATO DE LA CREACIÓN (Pro 8:22-36), LA SABIDURÍA misma DICE QUE «JEHOVAH ME CREÓ … ANTES QUE SUS HECHOS MÁS ANTIGUOS» (rva). ✔❗LA TRADUCCIÓN «POSEER» (rvr, lba) NO PARECE SER ADECUADA AL CONTEXTO.♥️❗

    ResponderExcluir
  2. Bela explicação do apologista. Percebe-se a desonestidade do antagonista em não aceitar a explicação

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *