Image Map











domingo, 14 de março de 2021

Criar no sentido bíblico é produzir algo do nada?

Criação de Adão.
Fonte: jw.org 

A respeito do artigo “Diferença entre ‘criar’ e ‘fazer’’’ , um leitor trouxe à atenção deste site a seguinte questão:

Fiquei com uma dúvida: O verbo ʽa·sáh (“fazer”), significa fazer as coisas com material já existentes, certo?! Mas, quanto ao verbo ba·ráʼ (“criar”), significa exclusivamente criar do nada, ou também pode significar criar algo com material pré-existente?

Pergunto isso porque Gênesis 1:27 diz que Deus criou (ba·ráʼ) o homem. E Gênesis 2:7 diz que Jeová formou o homem do pó do solo. Então parece que ba·ráʼ (criar) pode se referir a criar algo a partir de material existente, como no caso de ʽa·sáh. É isso mesmo ou estou fazendo confusão?

Abraços!

 

Resposta:

O artigo mencionado acima não fez esta distinção aludida pelo referido leitor. Apenas mostrou que as palavras hebraicas para “criar” e para “fazer” são distintas, e que seus sentidos também são diferentes. Citou a obra Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 1, p. 582), que explicou: “A palavra hebraica ba·ráʼ e a grega ktízo, ambas significando ‘criar’, são usadas exclusivamente com referência à criação divina.”

Inclusive, o artigo mostrou que “fazer” não implica necessariamente em produzir algo novo, mas apenas em realizar determinada ação em relação a algo já existente. Isto foi ilustrado pelo uso do verbo “fazer “ em Gênesis 1:16, que declara: Deus fez os dois grandes luzeiros.” Sobre isso, o referido artigo explicou:

Assim, o uso de ʽa·sáh (“fazer”) em Gênesis 1:16 com relação ao Sol e à Lua não significou a criação deles (pois haviam sido criados antes do 4.º “dia” criativo. O verbo (“fazer”) foi usado para descrever a ação divina de tornar tais corpos celestes visíveis na atmosfera extremamente gasosa daquela época. Até então, havia uma luz difusa; mas, a partir daquele ato divino, a fonte dessa luz tornou-se visível na expansão. Isso é indicado pelas palavras de Gênesis 1:17: “Assim, Deus os pôs na vastidão dos céus.” Dessa forma, tendo sido tornado visíveis, poderiam ‘servir de sinais para marcar épocas, dias e anos’. – Gênesis 1:14.

Também, “criar” no sentido bíblico parece não estar ligado necessariamente a produzir algo ‘exclusivamente do nada’. Afinal, Deus usou seu espírito santo (sua energia) para criar todas as coisas que existem. Lemos no Salmo 104:30: “Se envias teu espírito, são criados.” E Jó 33:4 declara: “Foi o espírito de Deus que me fez.” Mesmo num contexto puramente material, físico, “criar” não exige essa restrição de sentido, como o próprio leitor entendeu no caso da criação do ser humano a partir dos elementos do solo.

A diferença entre “criar” e “fazer” na Bíblia parece ser mais conceitual. A Bíblia diz que, após Jeová ter criado o Lógos (o pré-humano Jesus Cristo; Provérbios 8:22; Apocalipse 3:14), todas as demais coisas foram produzidas por meio do Lógos. (João 1:2, 3; Colossenses 1:15-20; Hebreus 1:2) A ação de “criar” tais coisas é atribuída a Jeová, o Pai, porque o espírito santo (sua força ativa) provém dele. Assim, mesmo o Lógos tendo a permissão de usar tal força ativa para a produção das coisas, o ato de criar é atribuído coerentemente e com justiça a Jeová.

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 

 


Um comentário:

  1. Boa tarde! Obrigado pelo retorno. Já era de se esperar que eu estava fazendo confusão, rs. Agora consegui entender o ponto.

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *