Pular para o conteúdo principal

Judas 4 apoia a Trindade? (Parte 3, Final)


Fonte: jw.org

O artigo anterior mostrou que a inserção espúria da palavra “Deus” em Judas 4, visando apoiar a Trindade, resulta num golpe mortal à regra de Sharp, regra essa também produzida para tentar provar a Trindade. É a situação de a cobra morder a própria cauda!

A seguir, Saga alista abaixo diversas versões de Judas 4 e discorre sobre elas.

Saga:

“Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.” – ACRF.  

“For there are certain men crept in unawares, who were before of old ordained to this condemnation, ungodly men, turning the grace of our God into lasciviousness and denying the only Lord God, AND our Lord Jesus Christ” (“o único Senhor Deus, E nosso Senhor Jesus Cristo”). – KJ.

“Porque algunos hombres han entrado encubiertamente, los cuales desde antes habían estado ordenados para esta condenación, hombres impíos, convirtiendo la gracia de nuestro Dios en disolución, y negando á Dios que solo es el que tiene dominio, y á nuestro Señor Jesucristo” (“a Deus – que somente é ele que tem domínio, e a nosso Jesus Cristo”). – Reina-Valera.

“Perciocchè son sottentrati certi uomini, i quali già innanzi ab antico sono stati scritti a questa condannazione; empi, i quali rivolgono la grazia dell’Iddio nostro a lascivia, e negano il solo Dio e Padrone, il Signor nostro Gesù Cristo” (o único Deus e Mestre, o nosso Senhor Jesus Cristo”). Diodati.

“Car il s'est glissé parmi vous certains hommes, dont la condamnation est écrite depuis longtemps; des impies, qui changent la grâce de notre Dieu en dissolution, et qui renient Dieu, le seul Dominateur, et Jésus-Christ, notre Seigneur” (“Deus, o único soberano, e Jesus Cristo, nosso Senhor”). – Ostervald.

“Subintrojerunt enim quidam homines qui olim præscripti sunt in hoc judicium impii Dei nostri gratiam transferentes in luxuriam et solum Dominatorem et Dominum nostrum Jesum Christum negantes” (“e negando o único Senhor Deus e nosso Senhor Jesus Cristo”). – Vulgata.

“παρεισεδυσαν γαρ τινες ανθρωποι οι παλαι προγεγραμμενοι εις τουτο το κριμα ασεβεις την του θεου ημων χαριν μετατιθεντες εις ασελγειαν και τον μονον δεσποτην θεον και κυριον ημων ιησουν χριστον αρνουμενοι” (“e o único dono Deus e Senhor nosso Jesus Cristo negando”). – THE GREEK NEW TESTAMENT, 3RD EDITION © 1975, UNITED BIBLE SOCIETIES, LONDRES.

Em Grego Moderno:

“Διοτι εισεχωρησαν λαθραιως τινες ανθρωποι, οιτινες ησαν παλαιοθεν προγεγραμμενοι εις ταυτην την καταδικην, ασεβεις, μεταστρεφοντες την χαριν του Θεου ημων εις ασελγειαν, και αρνουμενοι τον μονον Δεσποτην Θεον και Κυριον ημων Ιησουν Χριστον” (“o único Dono Deus e Senhor nosso Jesus Cristo”).

A conclusão é que o texto é considerado de polêmica tradução e não apenas de variante de manuscritos, senão ele seria sempre vertido com um sentido claro e não ambíguo, se são uma ou duas pessoas. A famosa Vulgata não tem a palavra “Deus” ali no meio confundindo a passagem, tal como ela consta na ACRF.

O apologista da verdade:

De fato, Saga. Mas parece que a polêmica surgiu não por motivos gramaticais ou linguísticos, e sim por motivos teológicos ou doutrinais. A razão da polêmica evidentemente reside na tentativa de apoiar uma doutrina que não existe na Bíblia – a doutrina da Trindade. Esta é obviamente a razão da inserção da palavra espúria “Deus” no Texto Recebido.

Não obstante, nenhuma das duas formas de tradução do texto realmente fornece subsídios para a referida doutrina falsa. Alistam-se para isso os motivos abaixo:

1 – A versão em que “Dono” e “Senhor” são usados para Jesus Cristo não torna Cristo igual a seu Deus e Pai, Jeová.

2 – A versão que introduz a palavra “Deus” aplicando-a a Jesus Cristo também não o torna parte de uma deidade trina. Afinal, em outros textos Jesus Cristo é aludido ou referido como “Deus”. (João 1:1, 18; Isaías 9:6) Mas, isso não faz com que Jesus seja igual a Jeová, seu Pai. A palavra “Deus” aplicada a Cristo mostra que ele é poderoso, que tem natureza divina e que é o maior representante de Jeová. Mas não significa que ele esteja em pé de igualdade com Jeová em poder, autoridade e tempo de existência. Somente Jeová é o Deus Todo-poderoso (Gênesis 17:1), e Aquele que possui eternidade passada. – Salmo 90:2.


Siglas das traduções usadas:

ACRF: Almeida Corrigida e Revista Fiel.
Diodati: Versão italiana de Giovanni Diodati.
NM: Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas.
Ostervald: Bíblia em francês de Jean Frederic Ostervald (protestante).
Reina-Valera: Bíblia Reina-Valera (espanhol).
Vulgata: tradução latina feita por Jeronimo por volta de 405 EC. 




A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradaspublicada pelas Testemunhas de Jeová.

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org








Comentários

  1. Eu creio que a tradução errônea de Judas 4 na ACF daria sim apoio a ideia de que Jesus fosse Deus.

    Dizendo que "Negam a Deus, nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo", o que ficaria no ar é que Jesus de fato é o próprio Deus de que Judas fala em sua carta, neste caso "Deus" estaria substantivado e não adjetivado, e mesmo nos casos que Jesus é chamado de "D.E.U.S" isso era apresentado como um predicado, uma qualidade ou título e não como uma identidade, ou você está interpretando tomar a frase como "negam a um deus, nosso único amo e senhor, jesus" ?

    No caso de "τον μονον δεσποτην θεον" não seria um "theos" articulado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, a Almeida Corrigida e Revista Fiel (ACRF) dá apoio à Trindade. O objetivo dela é dar a entender que Jesus é Deus (coigual com seu Pai, Jeová). Acontece que a inserção da palavra "Deus" no Texto Recebido acaba negando a regra de Sharp, também feita para apoiar a Trindade. Além disso, mesmo que Jesus tivesse sido chamado de "Deus" nessa passagem, isso não o tornaria o Deus Todo-poderoso.

      Excluir
  2. parabéns apologista, continue com esse belo trabalho e divulgue rsrs. o Saga tbm ta de parabéns.abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

𝐄𝐒𝐓𝐄 É 𝐔𝐌 𝐒𝐈𝐓𝐄 𝐃𝐄 𝐍Í𝐕𝐄𝐋 𝐀𝐂𝐀𝐃Ê𝐌𝐈𝐂𝐎. 𝐀𝐎 𝐂𝐎𝐌𝐄𝐍𝐓𝐀𝐑, 𝐔𝐒𝐄 𝐋𝐈𝐍𝐆𝐔𝐀𝐆𝐄𝐌 𝐀𝐂𝐀𝐃Ê𝐌𝐈𝐂𝐀, 𝐒𝐄𝐌 𝐈𝐍𝐒𝐔𝐋𝐓𝐎𝐒, 𝐒𝐄𝐌 𝐏𝐀𝐋𝐀𝐕𝐑𝐀𝐒 𝐃𝐄 𝐁𝐀𝐈𝐗𝐎 𝐂𝐀𝐋Ã𝐎. 𝐍Ã𝐎 𝐑𝐄𝐏𝐈𝐓𝐀 𝐎𝐒 𝐀𝐑𝐆𝐔𝐌𝐄𝐍𝐓𝐎𝐒 𝐑𝐄𝐁𝐀𝐓𝐈𝐃𝐎𝐒, 𝐍Ã𝐎 𝐃𝐄𝐒𝐕𝐈𝐄 𝐃𝐎 𝐀𝐒𝐒𝐔𝐍𝐓𝐎. 𝐒𝐄 𝐄𝐒𝐓𝐀𝐒 𝐑𝐄𝐆𝐑𝐀𝐒 𝐍Ã𝐎 𝐅𝐎𝐑𝐄𝐌 𝐂𝐔𝐌𝐏𝐑𝐈𝐃𝐀𝐒, 𝐒𝐄𝐔 𝐂𝐎𝐌𝐄𝐍𝐓Á𝐑𝐈𝐎 𝐒𝐄𝐑Á 𝐑𝐄𝐏𝐑𝐎𝐕𝐀𝐃𝐎.

MAIS LIDOS

“Sinal dos pregos” no corpo de Jesus – o que indica?

Por que a ressurreição de Lázaro ocorreu no 4.º dia e a ressurreição de Jesus ocorreu no 3.º dia?

O que é Lilith em Isaías 34:14?

Diferença entre “criar” e “fazer”

O espírito volta a Deus – em que sentido? (Eclesiastes 12:7)

Quem são as “outras ovelhas”?

DIREITO OU “USURPAÇÃO”? (Filipenses 2:6)

Refutando acusações apóstatas (Parte 1)

Quanto tempo durou a escravidão dos israelitas no Egito?

Quem é o Criador – Jeová ou Jesus? (Parte 1)