Image Map











terça-feira, 16 de maio de 2017

Ser Jesus chamado de Deus prova que ele é coigual ao Pai?


Fonte da ilustração:
https://www.jw.org/pt/ensinos-biblicos/perguntas/nome-de-deus-jesus/


Os trinitaristas citam textos bíblicos em que Jesus Cristo é chamado de “Deus” para tentar provar que ele é parte de uma Trindade junto com o Pai e o “Espírito Santo”, e que é coigual a eles. Seguem abaixo esses textos:

Isaías 9:6, ARC: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”

João 1:1, ARA: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.”

João 5:18, TB:  Por isso, pois, os judeus procuravam com maior ânsia tirar-lhe a vida, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.”

João 10:33, ACF: “Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.”

João 20:28, ARIB: “Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu, e Deus meu!”

Romanos 9:5, ARC: “Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém!”

Tito 2:13, ARA: “Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus.”

1 João 5:20, ARIB: Sabemos também que já veio o Filho de Deus, e nos deu entendimento para conhecermos aquele que é verdadeiro; e nós estamos naquele que é verdadeiro, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.”

Dois desses textos – Isaías 9:6 e João 1:1 – usam o título “Deus” para Jesus Cristo. Outro texto que também chama Jesus de Deus, e que não é citado pelos trinitaristas por atentar contra a Trindade, é João 1:18[1]. Fora esses três, os demais ou não se referem a Jesus (Romanos 9:5[2]; Tito 2:13[3]; 1 João 5:20[4]) ou refletem a opinião distorcidas dos opositores contemporâneos de Jesus. – João 5:18; 10:33[5].

Mas, o ponto em questão é: o fato de Jesus ser descrito como “Deus” prova que ele seja parte de uma Trindade, coigual ao Pai e ao “Espírito Santo”?

O desmantelamento da falsa premissa

Biblicamente, não há nenhuma fundamentação que produza essa consequência. Isso só está na cabeça dos trinitaristas. Inversamente, há na Bíblia prova do contrário – de que ser alguém chamado de “Deus” não faz dele uma parte de um Deus trino.

1.  Moisés foi chamado de “Deus”.

Êxodo 4:16, ACF: E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus.”

Êxodo 7:1, ARC: Então, disse o SENHOR a Moisés: Eis que te tenho posto por Deus sobre Faraó; e Arão, teu irmão, será o teu profeta.

2.  Os santos anjos foram chamados de elohim no Salmo 8:5 (a mesma palavra hebraica usada para descrever o Deus Todo-Poderoso em Gênesis 17:1):

Salmo 8:5, ARIB: Contudo, pouco abaixo de Deus o fizeste; de glória e de honra o coroaste.”

Hebreus 2:7, ARIB: (citando o Salmo 8:5): “Fizeste-o um pouco menor que os anjos, de glória e de honra o coroaste.”

3.  Os juízes humanos também foram chamados de elohim, no Salmo 82:1, 6.

“Deus está na congregação dos poderosos; julga no meio dos deuses. Até quando julgareis injustamente, e aceitareis as pessoas dos ímpios? Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo. Todavia morrereis como homens, e caireis como qualquer dos príncipes.” – Salmo 82:1, 2, 6, 7, ARC.

Em todos os casos acima, o título “Deus” foi dado a eles pela inspirada Palavra de Deus sem nenhuma conotação adorativa, e nos dois primeiros casos com a aprovação divina. Mas nem Moisés, nem os anjos e nem os juízes humanos fazem parte de uma deidade coigual ao Pai e ao “Espírito Santo”.

O termo “Deus” não é sinônimo de coigualdade com Deus, o Pai

As passagens que descrevem Jesus como “Deus” (João 1:1, 18; Isaías 9:6) e os outros citados com aplicação distorcida a ele pelos trinitaristas (mesmo que usassem o título “Deus” para Jesus) não tornam Jesus coigual ao Pai e nem parte de uma Trindade.

Pois, diversos são os textos que mostram a relação de inferioridade do Filho, Jesus Cristo, em relação ao seu Pai:

1.    Jesus ainda no céu foi ENVIADO por seu Pai. (Gálatas 4:4) O Pai nunca foi enviado.
2.  Mesmo no céu, o Filho é SUJEITO ao Pai (1 Coríntios 15:28). O Pai não é e nunca foi sujeito a ninguém.
3.  Mesmo no céu, o Pai é DEUS do Filho. Mas o Pai não tem nenhum Deus sobre si mesmo. – Apocalipse 3:2, 12.

Quanto ao “Espírito Santo”, as Escrituras tornam evidente que se trata, não de uma pessoa espiritual, mas de uma energia emanada por Deus. Veja o artigo O ‘Espírito Santo’ é uma pessoa?”.

Em que sentido Jesus é “Deus”?

Os que foram aludidos como “Deus” sem conotação adorativa e de modo aprovativo (Moisés e os anjos) o foram por serem representantes de Deus, tendo recebido poder e autoridade da parte dele. No caso dos anjos, foram chamados de elohim também por terem natureza divina. Assim sendo, tendo em vista que o Filho é o maior representante de Deus (sendo o Lógos – o “Verbo”) e tem natureza divina, ele pode corretamente e com muito mais propriedade ser chamado de “Deus” sem ser, contudo, o Deus Todo-Poderoso.

Explicação das siglas usadas:

ACF: Almeida Corrigida e Revisada Fiel.
ARA: Almeida Revista e Atualizada.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
ARIB: Almeida Revista Imprensa Bíblica.
TB: Tradução Brasileira.


Notas:







A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org


















Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *