Image Map











quinta-feira, 15 de junho de 2017

Refutando ataque à Tradução do Novo Mundo por comentarista trinitário

Fonte da foto:
https://www.jw.org/pt/noticias/noticias/por-regiao/mundo/testemunhas-de-jeova-lancam-edicao-grande-da-biblia/

Certo leitor deste site apresentou uma argumentação em favor da tradução “a Palavra era um deus” (João 1:1, NM), utilizando uma frase do erudito bíblico William Barclay, frase essa que reza:

“Quando o grego se refere a Deus ele não diz simplesmente theós [“deus”]; ele diz ho theós [“o deus”]”[1].

Diante disso, tal leitor recebeu uma contra-argumentação de um trinitarista, a qual foi enviada a este site.

A matéria abaixo é uma refutação a algumas afirmações desse trinitarista, as quais estão em itálico. Ele afirmou:

“Acima citei um texto do NT [Novo Testamento] em que fica claro que isso [a declaração de Barclay] não procede. Eu disse: ‘2 Cor. 1:3 (é ele Deus de Consolação ou [um] Deus de consolação?). No grego consta: ‘και Θεος πασης παρακλησεως (Kaì Theós pasês parakleseôs [os erros de acentuação no grego são desse trinitarista]: e Deus de toda consolação). Pela lógica proposta pela TNM [Tradução do Novo Mundo] para Jo[ão] 1:1, deveríamos inserir na tradução [de 2 Cor 1:3] o artigo indefinido ‘um’ antes do substantivo ‘Deus’, porque no grego não consta o artigo defino ‘hó’ (‘o’), mas a TNM 2015, não só não faz isso, como INSERE UM ARTIGO DEFINIDO num texto que no grego NÃO TEM ARTIGO ALGUM, assim traduzindo: ‘O Deus de todo o consolo.’”

Resposta:

Barclay declarou: “Quando o grego se refere a Deus ele não diz simplesmente theós [“deus”]; ele diz ho theós [“o deus”]”.

Essa declaração de Barclay, a meu ver, só poderia ter sido feita dentro do contexto de João 1:1. Como o tal comentarista trinitário demonstrou com 2 Coríntios 1:3, há textos – e são diversos – que usam théos anartro (sem artigo) referindo-se ao Pai.

Contudo, tal trinitário peca em suas conclusões subsequentes, ao afirmar:

“Pela lógica proposta pela TNM [Tradução do Novo Mundo] para Jo[ão] 1:1, deveríamos inserir na tradução [de 2 Cor 1:3] o artigo indefinido ‘um’ antes do substantivo ‘Deus’, porque no grego não consta o artigo defino ‘hó’ (‘o’).”

Errado! A Tradução do Novo Mundo não insere artigo indefinido (“um”) por ser theós um substantivo anartro em João 1:1, e sim porque a passagem contém outro theós articulado – assim sendo, para distinguir um theós do outro theós e porque o contexto bíblico permite tal inserção.

Notadamente, as traduções usadas pela cristandade usam a expressão “um deus” em Atos 28:6:

“Mas eles esperavam que ele [Paulo] viesse a inchar ou a cair morto de repente. Mas, depois de muito esperar, vendo que nenhum mal lhe sucedia, mudando de parecer, diziam ser ele um deus.” – Almeida Revista e Corrigida; veja também ACF, ARIB, NVI, SBB, Ave Maria, ASV, KJ, Darby, Webster, Valera, BJ, NAB, Douay-Rheims, RSV.

As traduções da cristandade em geral vertem “um deus”, embora não ocorra o artigo definido “o” antes de theós:

ἔλεγον αὐτὸν εἶναι θεόν.
Dizendo-o     ser     deus.

Usando o argumento do comentarista trinitário acima, poderíamos afirmar, em função do uso universal de “um deus” pelas traduções da cristandade ao traduzir o theós anartro, que pela lógica deveriam igualmente traduzir o theós anartro em João 1:1c como “o Verbo era um deus”.

Mas sabemos que não é o caso de regra gramatical. O tradutor precisa determinar quando traduzir um theós anartro como “um deus” pelo contexto, não por regra gramatical. É o que a NM faz em João 1:1.

Vejamos outra afirmação do trinitário:

“Mas a TNM 2015 não só não faz isso [insere artigo indefinido], como INSERE UM ARTIGO DEFINIDO num texto que no grego NÃO TEM ARTIGO ALGUM, assim traduzindo: ‘… O Deus de todo o consolo’.”

Tal argumentação mostra que tal pessoa não entende mesmo de tradução da Bíblia. Afinal, não somente a NM, mas outras traduções acrescentam o artigo definido “o” antes de “Deus de todo o consolo”: ACF, KJ, NIV, Webster, Valera, La Sainte Bible de Augustin Crampon 1923, Douay-Rheims, Christian Community Bible, NJB.

O argumentador acima também mostra desconhecimento da língua grega usada na Bíblia, que é caracteristicamente elíptica. Assim, há casos em que o artigo (ou outra palavra) não precisa ser repetido na construção seguinte, mas já está subentendido, quando a conjunção copulativa kaí (“e”) liga dois nomes ou expressões, sendo o primeiro nome precedido pelo artigo ho. Isso pode ocorrer entre coisas ou seres distintos ou com a mesma identidade.

Exemplos dessa construção no texto grego são encontrados nas passagens abaixo:

Judas 4:

τὸν μόνον δεσπότην καὶ κύριον ἡμῶν Ἰησοῦν Χριστὸν 
o     único  dono         e   senhor de nós, Jesus Cristo

Óbvio que está subentendido o sentido de ‘o único dono e [o único] Senhor, Jesus Cristo’, não sendo necessário repetir a mesma expressão “o único” antes de “Senhor” por esta estar subentendida.

Εὐλογητὸς  θεὸς καὶ πατὴρ τοῦ κυρίου ἡμῶν Ἰησοῦ Χριστοῦ
Bendito     o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo

Novamente, é evidente que está subentendido o sentido de ‘o Deus e [o] Pai de nosso Senhor Jesus Cristo’.

Ninguém traduziria “o Deus e um Pai de nosso Senhor Jesus Cristo” pela ausência do artigo antes do segundo substantivo.

(Exemplos da elipse da repetição do artigo em casos de coisas ou seres distintos se encontram em Atos 17:18; 2 Coríntios 10:1; Efésios 3:18; Mateus 21:12. Veja o artigo “Jesus Cristo é o ‘grande Deus’ mencionado em Tito 2:13?”)

Nos casos acima, a elipse do artigo ou da expressão é suprida pela inteligência do leitor como estando subentendida.

O comentarista trinitário afirmou:

“Diversos textos da TNM DIVERGEM DO GREGO (com acréscimos e omissões).”

O comentarista não citou qualquer exemplo disso. Se ele está se baseando em textos no mesmo viés de 2 Coríntios 1:3, então não é caso de divergência com o texto grego, mas apenas de adaptação à língua portuguesa ou à outra língua, algo feito em geral pelas traduções usadas pela cristandade. Na realidade, a NM não diverge em nada do texto grego.

Ele afirmou:

“As traduções trinitaristas não alteram aqueles textos que parecem ser contrários ao credo trinitarista.”

Isso não é verdade. Pelo que parece, o argumentador trinitário desconhece as alterações feitas por traduções trinitaristas. Veja exemplos abaixo:

Mateus 24:36: omissão da expressão “nem o Filho”.

“A respeito daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas somente o Pai.” – NM.

Entre as traduções que fazem tal omissão estão ACF, Ave Maria, Darby, Webster, Valera, Elberfelder, Novo Testamento da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, La Sainte Bible de Augustin Crampon 1923, Douay-Rheims, KJ, Catholic Public Domain Version.

A nota de rodapé da Tradução do Novo Mundo Com Referências indica que os manuscritos e versões mais antigos colocam a frase “nem o Filho”:

א°: Códice Sinaítico, grego, quarto século EC, Museu Britânico, Escrituras Hebraicas, Escrituras Gregas.
B: Ms. Vaticano 1209, grego, quarto século EC, Cidade do Vaticano, Roma, Escrituras Hebraicas, Escrituras Gregas.
D: Códices Bezae, grego e latim, quinto e sexto séculos EC, Cambridge, Inglaterra, Escrituras Gregas.
Vg: Vulgata latina, de Jerônimo, originalmente produzida em c. 400 EC (Iuxta Vulgatam Versionem, Württembergische Bibelanstalt, Stuttgart, 1975).
Arm: Versão Armênia, do quarto ao décimo terceiro século EC; E.H., Escrituras Gregas.

1 João 5:7, 8: acréscimo.

“Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. 8 E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam num.” – Almeida Revista e Corrigida; veja também ACF, KJ, Webster, Catholic Public Domain Version, Douay-Rheims.

Sobre tal acréscimo, veja o artigo “1 João 5:7  inspirado por Deus ou acréscimo posterior? no blog Tradução do Novo Mundo Defendida.

Judas 4: acréscimo da palavra “Deus”.

No Texto Recebido ocorre a inserção da palavra “Deus”, fazendo o texto rezar:

tòn mónon despóten Theòn, kaì Kýrion hemõn Iesoûn Khristòn
o    único    Dono,         Deus (5) e Senhor de nós Jesus Cristo

Essa inserção do Textus Receptus foi adotada nas versões trinitárias abaixo:

“Negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.” – ARC, ACF.

“O único Deus e Mestre, o nosso Senhor Jesus Cristo.” – Diodati.

Sobre isso, comentou o artigo “Judas 4 apoia a Trindade? (Parte 1)”:

A própria história do Texto Recebido explica sua fragilidade, pois foi produzido às pressas com objetivos comerciais. Por essa razão, muitos erros foram inseridos nele. Um exemplo se encontra em Judas 4, que acrescenta a palavra “théos” (“deus”) antes de “despótes” (“dono”, “amo”). No entanto, o Mss Vaticano 1209, do 4.º século EC, no qual se baseia a The Emphatic Diaglott, não usa a palavra “théos”.


O mesmo comentarista trinitário afirmou:

“Observe que os textos que aparentemente referendam a doutrina da Trindade, nas Bíblias unicistas, costumam ser alterados, descaracterizando uma doutrina que seus tradutores rejeitam. Pense naqueles textos que os trinitaristas citam para defender que Jesus é Deus, ou é adorado. Na TNM, por exemplo, insere-se palavra entre colchetes, ou opta-se por um sentido menos contundente ou coisas do tipo. Basta comparar para perceber isso.”

Alterar um texto é dar um sentido diverso do objetivado pelo escritor bíblico, como demonstrado acima nas omissões e inserções trinitaristas. Esse não é o caso da NM. O verbo proskynéo, vertido “adorar” pelas versões trinitárias quando se refere a Jesus, tem primariamente sentido civil, não religioso. O contexto bíblico mostra que, no caso do uso para Jesus Cristo, tem o claro sentido de “prestar homenagem”. Veja o artigo “Proskyneo - Sempre ‘Adoração’?” no blog Testemunhas de Jeová Defendidas.

E os colchetes a que esse comentarista se refere evidentemente ocorrem em Colossenses 1:16. Contudo, o contexto imediato e da Bíblia como um todo mostra que tais colchetes apenas dão o sentido já implícito. Veja o artigo Jesus é o Criador ou um Ser criado? – Exame de Colossenses 1:15-20”.

Como se pode ver facilmente, as alegações trinitárias estão impregnadas de vícios conceituais, teológicos e violação gramatical do texto bíblico.

Explicação das siglas usadas:

ACF: Almeida Corrigida e Revisada Fiel.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
ARIB: Almeida Revista Imprensa Bíblica.
ASV: American Standard Version.
Ave Maria: tradução católica.
BJ: Bíblia de Jerusalém.
Catholic Public Domain Version: Versão Católica de Domínio Público da Bíblia, concluída em 2009, baseada principalmente na Vulgata.
Darby: The ‘Holy Scriptures’ (Edição de 1949), de John Nelson Darby.
Douay-Rheims: tradução da Bíblia da Vulgata latina  para o Inglês feita por membros do Colégio católico Inglês Douai. O Novo Testamento parte foi publicada em Reims , França, em 1582.
Elberfelder: tradução alemã.
KJ: King James Version.
La Sainte Bible, de Augustin Crampon; 1923.
NAB: The New American Bible.
NJB: New Jerusalem Bible
NM: Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada.
NVI: Nova Versão Internacional.
RSV: Revised Standard Version.
SBB: Bíblia da Sociedade Bíblica Britânica.
Trinitariana: Novo Testamento da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil.
Valera: versão em espanhol Reina-Valera, de Casiodoro de Reina e de Cipriano de Valera.
Webster: Tradução de Noah Webster, século 19.

Nota:
[1] Baclay, William. The Gospel of John, Revised Edition (1975), pp. 39, 74.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







Um comentário:


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *