Image Map











quarta-feira, 28 de março de 2018

João 10:27-30 e a doutrina da predestinação

Fonte da ilustração: jw.org


Um leitor escreveu:

Olá, apologista. Conversando com um batista, eles usam como base João 10:27-30 para apoiar a doutrina de que “uma vez salvo, salvo para sempre”.  Como posso refutar esse raciocínio?  
Desde já, um muito obrigado.

Resposta:

Lemos em João 10:27-30: “Minhas ovelhas escutam a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou vida eterna, e elas jamais serão destruídas, e ninguém as arrancará da minha mão. O que o meu Pai me deu é maior do que todas as outras coisas, e ninguém pode arrancá-las da mão do Pai. Eu e o Pai somos um.”

O que Jesus quis dizer é que ele se responsabiliza pelas pessoas que são realmente ovelhas dele, não permitindo que sejam destruídas em sentido espiritual, ou desviadas do rebanho.

Por outro lado, diversos textos mostram que os discípulos de Cristo precisam perseverar até o fim para serem salvos, o que seria desnecessário se não houvesse possibilidade de desvio:

“Mas quem perseverar até o fim será salvo.” – Mateus 24:13.

“E vocês serão odiados por todos, por causa do meu nome. Mas quem perseverar até o fim será salvo.” – Mateus 10:22.

“Pela sua perseverança, vocês preservarão a sua vida. – Lucas 21:19.

“Pois vocês precisam de perseverança, a fim de que, depois de terem feito a vontade de Deus, recebam o cumprimento da promessa.” – Hebreus 10:36.

“Feliz aquele que continua a perseverar em provação, porque ao ser aprovado receberá a coroa da vida, que Jeová prometeu aos que continuam a amá-lo.” – Tiago 1:12.

“Não tenha medo das coisas que você está para sofrer. O Diabo continuará lançando alguns de vocês na prisão, para que sejam plenamente provados, e vocês terão tribulação por dez dias. Mostre-se fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida.” – Apocalipse 2:10)

“Venho depressa. Persista em se apegar ao que você tem, para que ninguém tome a sua coroa.” – Apocalipse 3:11.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




domingo, 25 de março de 2018

Adão e Eva tinham umbigo?


Fonte da ilustração: jw.org

Recebi a seguinte e curiosa indagação de um leitor:

Saudações, meu irmão!
Sou o Tomé, uma testemunha de Jeová em Angola, e tenho acompanhado os teus posts; e desde já agradeço pelos esclarecimentos.
Gostaria, por favor, que me ajudasses a saber se Adão e Eva tinham umbigo... assim como nós!

Resposta:

Embora tal assunto pareça de pequena monta, e até simplista, os fatos é que existem grandes implicações por trás dessa pergunta.

A questão sobre se Adão tinha umbigo levou a debates entre os bizantinos durante o período da Idade Média e o do Renascimento, no Ocidente. Com o advento do Iluminismo, em especial em meados do século XVIII, começaram os questionamentos sobre a raça humana ter se originado de Adão.

A Criação de Adão,  afresco pintado por Michelangelo. Localizado no teto da Capela Sistiena, em Roma, Itália.

Para o evolucionismo é evidente que Adão tinha um umbigo; pois, mesmo que ele retrate a humanidade inteligente – o homo sapiens –  ele seria um ser evoluído de primatas, tendo sido assim gerado no útero de uma progenitora, com a necessária alimentação por meio do cordão umbilical. O corte deste cordão após o nascimento resultaria no umbigo.

Assim, os evolucionistas tentam colocar os criacionistas num dilema biológico: se Adão tinha umbigo, ele não era o primeiro homem; se não tinha umbigo, ele não seria um humano normal.

No entanto, tal argumentação não tem procedência. Vejamos por quê.

O umbigo é a cicatriz resultante da queda natural do cordão umbilical do bebê. O cordão umbilical resultante do parto costuma cair entre uma a duas semanas após o nascimento, formando assim o umbigo no bebê. Ora, como o umbigo é um “rastro” de que o ser uma vez já foi um feto, não parece razoável concluir que Adão e Eva tivessem umbigo, pois eles não haviam sido gerados a partir do útero de uma mulher.

O fato de o primeiro casal humano não possuir umbigo não os torna menos humanos que os que foram gerados por meio deles. Por serem o primeiro casal humano, não possuíam também antepassados, ou pais. Pela mesma razão, não vivenciaram a infância e a adolescência. Foram criados plenamente adultos.

Além de tais afirmações serem biblicamente pautadas, elas não podem ser negadas pelo conhecimento científico, o qual jamais encontrou evidências de qualquer suposto “elo” intermediário entre o homem e formas inferiores de vida.


Referências bibliográficas

MACARTHUR, John Jr., Criação ou Evolução, Editora Cultura Cristã, 2004, p. 48.  Disponível em: <http://www.monergismo.com/textos/criacao/adao_umbigo_macarthur.htm>.

PINTO, Tales dos Santos. “O umbigo de Adão e a origem do homem”; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/historiag/o-umbigo-adao-origem-homem.htm>. Acesso em 09 de abril de 2017.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





quarta-feira, 21 de março de 2018

O que determina que a parte final João 1:1 possa ser traduzida “um deus”?




Um leitor escreveu:


Olá, apologista! Queria que o irmão desse uma explicação de uma frase muitas vezes dita por nossos opositores. A frase é: “Só porque a palavra ‘deus’ usada para Jesus em João 1:1 está sem artigo não quer dizer que Jesus não seja Jeová, pois, em outros textos, a palavra ‘Deus’ se referindo a Jeová está sem o artigo e mesmo assim isso não torna ele um deus.”

Eles partem do pressuposto de que, se em outras passagens a palavra ‘Deus’ se referindo a Jeová está sem artigo, então não tem problema se no texto de João 1:1 não ter artigo também. E que por isso Jesus é Jeová. Como refutar? 


Resposta:


Os que desconhecem o idioma grego antigo, ou são leigos quanto a ele, não entendem que a tradução “um deus” não depende apenas da ausência do artigo definido. Em vez disso, tem a ver com a palavra theós (“deus”) ser um substantivo indefinido. E é o contexto (não a gramática) que irá determinar se a palavra theós em questão é indefinida ou definida.


Como sabemos que theós em João 1:1 se referindo a Jesus é um substantivo indefinido?


O texto grego verte a parte final de João 1:1 desta forma:


θεὸς ἦν ὁ λόγος

theòs ên ho lógos

deus era o lógos


Se a palavra “deus” fosse um substantivo definido, estaria implícito o artigo definido “o” antes de “deus”, dando o seguinte sentido: “O Deus era o lógos [Verbo].”


No entanto, essa interpretação entraria em conflito com a frase anterior, que afirma literalmente:


 ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν

ho lógos ên pròs tòn theón

O lógos estava com o Deus


Visto que o Lógos (Verbo) estava com “O” Deus, ele não poderia ser “O” Deus com quem ele estava. Uma pessoa que está com alguém não é a mesma pessoa com quem ela está!


Inclusive, tal interpretação entraria em conflito com a própria doutrina da Trindade, a qual apregoa a separação de Pessoas. Ou seja, a Trindade não afirma que o Pai e o Filho são a mesma Pessoa, e sim que são duas pessoas distintas que formam (juntos com o “Espírito Santo”) um só Deus. Porém, entender que o Verbo é “O” Deus com quem ele estava seria afirmar que o Verbo é o Pai, algo que nem a Trindade nem a Bíblia afirmam.


Os textos bíblicos fazem distinção entre o Pai e o Filho:


“Que os irmãos tenham paz e amor com fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo.” – Efésios 6:23.


“Façam tudo em nome do Senhor Jesus, agradecendo a Deus, o Pai, por meio dele [de Jesus Cristo].” – Colossenses 3:17.


“Paulo, Silvano e Timóteo, à congregação dos tessalonicenses, que está em união com Deus, o Pai, e com o Senhor Jesus Cristo.” – 1 Tessalonicenses 1:1.


“Que vocês tenham bondade imerecida e paz da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo.” – 2 Tessalonicenses 1:2.


“Que você tenha bondade imerecida, misericórdia e paz da parte de Deus, o Pai, e de Cristo Jesus, nosso Senhor.” – 1 Timóteo 1:2; veja também 2 Timóteo 1:2; Tito 1:4.


“A bondade imerecida, a misericórdia e a paz da parte de Deus, o Pai, e da parte de Jesus Cristo, o Filho do Pai [não o Pai], com a verdade e o amor, estarão conosco.” – 2 João 3.


Portanto, por uma questão de lógica e de conceito bíblico, a palavra theós, quando se refere ao Lógos (Verbo) Jesus Cristo, só pode ser indefinida, tendo o sentido de “um deus” ou de “divino”. Ou seja, João 1:1 afirma que o Verbo estava no princípio com O Deus [o Pai], e que o Verbo era divino, ou “um deus”.


Por outro lado, os usos da palavra theós com referência ao Pai, mesmo sendo substantivos anartros (sem artigo), ainda assim, pelo contexto, são substantivos definidos.


Um exemplo bem próximo de João 1:1 é João 1:6, que diz literalmente em grego:


Ἐγένετο ἄνθρωπος ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ, ὄνομα αὐτῷ Ἰωάννης

Egéneto ánthropos apestalménos pará theoû, ónoma autõi Ioannes

Surgiu [um] homem enviado por Deus, nome dele João.


Observe que tanto o substantivo ánthropos (“homem”) quanto o substantivo theoû (theós no genitivo) não possuem artigo definido. Mas o contexto claramente revela que o substantivo “homem” é indefinido, ao passo que o substantivo “Deus” é definido. Assim, é perfeitamente possível traduzir ánthropos por “um homem”. Contudo, não é coerente traduzir theoû por “um deus”, o que daria a tradução imprópria “surgiu um homem enviado por um deus”.


Portanto, a tradução “um deus” não tem a ver apenas com a ausência do artigo definido, e sim com se o substantivo theós é indefinido conforme esclarecido pelo contexto, o que é o caso de João 1:1, parte final, na qual theós se refere ao Verbo.





A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagradapublicada pelas Testemunhas de Jeová.



Contato: oapologistadaverdade@gmail.com


Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org


domingo, 18 de março de 2018

Jeová sabia que Adão e Eva pecariam?

Fonte da ilustração: jw.org

Jeová sabia que Adão e Eva pecariam?

Contribuído por A Verdade É Lógica.

Resposta: Não.

Motivo: Jeová não sabe de coisas ainda inexistentes que não dependem Dele, isto é, a futura decisão ainda não tomada em pensamento de um ser inteligente. Se Jeová soubesse que Adão e Eva pecariam, então podemos afirmar que Jeová teria causado isso. Como assim?

O modo de Jeová saber se Adão e Eva pecariam era por ler os seus corações e constatar uma inclinação para o pecado. Mas isso somente poderia ocorrer com seres pecadores, não com humanos sem pecado. Assim, se Jeová soubesse que Adão e Eva pecariam, é porque o próprio Jeová teria criado algo com inclinação ao pecado. Mas sabemos que Adão e Eva eram sem pecado ou fraquezas morais.

O mesmo ocorreu com o anjo que se tornou o Diabo. Sendo que tal anjo era sem pecado antes de ele começar a se contaminar de ambição por decisão própria, Jeová não saberia que ele faria isso a menos que Jeová tivesse causado o Diabo. E nós sabemos que Jeová não causou o Diabo.

Obviamente, porém, que Jeová sabia de todos os efeitos decorrentes das possíveis e variáveis escolhas livres de suas criaturas e nada Lhe era algo impossível de reverter mediante ações que inevitavelmente conduziriam tudo para o desfecho pretendido por Jeová.

Uma coisa que temos que ter em mente é: o futuro depende de Jeová. Portanto, o futuro não pode existir em ato sem o consentimento e conhecimento de Jeová. Assim, podemos afirmar que não existe uma dimensão da realidade na qual o futuro esteja ocorrendo nesse momento. Então, Jeová não espia pela “janela do futuro” para poder saber como o futuro será, como se o futuro acontecesse paralelamente ao presente sem que Jeová o tivesse causado. Jeová sabe o futuro porque ele CAUSA QUE VENHA A SER[1].

Existem vários mundos possíveis, mas Jeová estabelece circunstâncias e limites, os quais fazem com que o mundo seja construído e flua dirigindo-se para seu propósito, e isso sem interferir nas ações livres de suas criaturas inteligentes. Quando Ele direciona certos eventos, então mundos anteriormente possíveis deixam de existir devido à atualização do ordenado por Deus.

Podemos entender isso com a seguinte analogia:

Um navio sai da Europa e vem para o Brasil. Ele chegará ao seu destino. Mas o que ocorre DENTRO do navio depende das pessoas. Da mesma forma, Jeová SABE o futuro da humanidade, mas não porque olhou pela “janela do futuro” e viu que a humanidade se deu bem por conta própria e chegou ao paraíso, mas porque Ele CAUSA QUE VENHA A SER[1]. O que cada um de nós fará durante esse trajeto dependerá de nós e das circunstâncias nas quais Jeová permite que venhamos a estar, fazendo com que tragamos à superfície (realidade em ato) o que está em nosso coração.

Assim, podemos estar certos de que Jeová não viu pela “janela do futuro” que Adão e Eva pecariam, nem que o anjo, outrora justo, se tornaria o Diabo, simplesmente porque não existe a “janela do futuro”. O futuro depende de Jeová. É Ele quem causa o futuro. (Inclusive este é o significado do nome Dele). Portanto, não haveria nenhum sentido dizer que o futuro ocorre em alguma dimensão sem Jeová saber, e que Ele viaja no tempo para descobrir o futuro, mas descobre só partes do futuro.

Jeová não é um viajante do tempo. Jeová CAUSA o futuro que Ele desejar para a humanidade, e permite que os humanos tomem suas decisões durante esse trajeto. Jeová apenas interfere nas decisões de humanos quando isso afeta seu propósito. (Conforme o caso de Ciro, que foi escolhido para libertar Judá; dos astrólogos, que foram avisados por um anjo a não voltar para Herodes; e de Maria, que foi escolhida para ser mãe do Filho de Deus).

A humanidade não pode escolher impedir o paraíso. O Armagedom não vai depender de como os homens vão agir. Jeová CAUSARÁ isso.

Da mesma forma, dizer que Jeová sabia que Adão e Eva pecariam antes de Eva se corromper implica em dizer que Jeová causou isso, pois Jeová não pode saber de uma decisão sem base para isso. (Adão e Eva não tinham inclinação para o pecado).

Por que Jeová sabia que Jó não pecaria? Porque Jeová conhecia o coração de Jó.  Mas Jeová não espiou pela “janela do futuro” para descobrir isso. Se fosse deste jeito, Satanás nem ao menos contestaria algo que Jeová já viu pela “janela do futuro”. O futuro não existe em ato para que Jeová possa dar uma espiada e dizer que ocorrerá. Conforme dito, isso significaria que nada depende de Jeová, e que Jeová seria apenas um viajante do tempo.

Jeová também conhecia o coração de Abraão. Mas a fidelidade dele só pôde ser comprovada após o ato:

“E ele prosseguiu, dizendo: ‘Não estendas tua mão contra o rapaz e não lhe faças nada, pois AGORA SEI deveras que temes a Deus, visto que não me negaste o teu filho, teu único.’” – Gênesis 22:12.

Assim, o futuro não existe em ato para que Jeová espie pela “janela do futuro” e nos conte como será. Jeová direciona os eventos e nada foge do seu controle.

Isso fica mais que claro na seguinte declaração de Jesus.

 “Ou você pensa que não posso apelar ao meu Pai, para que ele me forneça neste momento mais de 12 legiões de anjos? NESSE CASO, COMO SE CUMPRIRIAM AS ESCRITURAS QUE DIZEM QUE AS COISAS TÊM DE ACONTECER DESTE MODO?” – Mateus 26:53, 54.

Notamos aqui que havia COOPERAÇÃO da parte de Jesus para que a profecia se cumprisse. O que prova que o futuro não existe em ato em nenhuma dimensão para que Jeová espie pela “janela do futuro” a fim de descobrir o que ocorrerá, como se Ele não soubesse nem causasse.

Assim, fica claro que, a menos que houvesse algo no coração de Adão e Eva que os delatasse a Jeová, Ele não poderia saber de algo que não existe. Certamente Jeová sabia o RESULTADO de uma rebelião, mas não poderia saber que seres sem pecado pecariam.


Nota:
[1] “Causa Que Venha A Ser” é o significado do nome divino Jeová.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







quarta-feira, 14 de março de 2018

A Bíblia menciona a destruição dos maus?


Fonte da ilustração: jw.org

Temos em grego bíblico o verbo apóllymi (άπόλλυμι), que significa “destruir”, “arruinar”. Mateus 10:28 declara que Deus pode “destruir [apolésai, de apóllymi] na Geena tanto a alma como o corpo”.

Outra palavra, um substantivo, é ólethros (όλεθρος),  que significa “destruição, ruína, morte”.

Lemos em 1 Tessalonicenses 5:3: “Quando estiverem dizendo: ‘Paz e segurança!’, então virá instantaneamente sobre eles a repentina destruição [ólethros], assim como as dores de parto vêm sobre a mulher grávida, e eles de modo algum escaparão.” E 2 Tessalonicenses 1:9 declara: “Esses mesmos sofrerão a punição judicial da destruição eterna [ólethron aiónion], sendo eliminados de diante do Senhor e da sua gloriosa força.”

No texto grego da Septuaginta, em Daniel 2:44, na parte que declara que o Reino de Deus “vai esmigalhar e pôr um fim” aos governos humanos, usam-se, respectivamente, os verbos patásso (πατάσσω) e afanízo (αφανίζω). Ambos são usados nas Escrituras Gregas Cristãs.

O primeiro é usado com o sentido de “bater, golpear” (Mateus 26:51; Lucas 22:49; Apocalipse 11:6); e de “bater, derrubar”. (Mateus  26:31; Marcos  14:27; Atos 7:24) Em Atos 12:23, esse verbo é traduzido “ferir” num sentido mortal.

E o segundo com o sentido de “fazer desaparecer, destruir” (Mateus 6:19); “tornar invisível, desfigurar” (Mateus 6:16); “desaparecer” (Tiago 4:14); “perecer” (Atos 13.41).

Assim, ao invés de pregar a psicótica doutrina do tormento eterno, a Bíblia mostra que os maus e incorrigíveis serão destruídos para sempre.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





domingo, 11 de março de 2018

A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado (Parte 102; parte final)


Fonte da ilustração: jw.org

8.º aparecimento de Jesus após sua ressurreição (Mat. 28:16-20)
16 . . . Os onze discípulos foram para . . . o monte[1] que Jesus lhes designara, 17 e quando o viram, prestaram-lhe homenagem, mas alguns duvidaram. 18 E Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: “Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. 19 Ide, portanto, e fazei discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-as em o nome do Pai, e do Filho, e do espírito santo, 20 ensinando-as a observar todas as coisas que vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, até à terminação do sistema de coisas.”
9.º aparecimento (1 Cor. 15:7)
Depois disso apareceu a Tiago.
10.º aparecimento (Unificação de Luc. 24:49b; Atos 1:2b-5)
Aos apóstolos que escolhera, mostrou-se também vivo, por meio de muitas provas positivas, depois de ter sofrido, sendo visto por eles durante quarenta dias, e contando as coisas a respeito do reino de Deus. E, reunindo-se com eles, deu-lhes as ordens: “Não vos retireis de Jerusalém; porém, permanecei na cidade até serdes revestidos de poder vindo do alto. Mas persisti em esperar por aquilo que o Pai tem prometido, a respeito do qual me ouvistes falar; porque João, deveras, batizou com água, mas vós sereis batizados em espírito santo, não muitos dias depois disso.”
11.º aparecimento (Unificação de Luc. 24:50-53; Atos 1:6-12)
Tendo-se eles então reunido,[2] perguntavam-lhe: “Senhor, é neste tempo que restabeleces o reino a Israel?” Disse-lhes ele: “Não vos cabe obter conhecimento dos tempos ou das épocas que o Pai tem colocado sob a sua própria jurisdição; mas, ao chegar sobre vós o espírito santo, recebereis poder e sereis testemunhas de mim tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até à parte mais distante da terra.” E, depois de dizer estas coisas, ele os conduziu para fora, até Betânia.
E, erguendo as suas mãos, abençoou-os. Enquanto os abençoava, [e] enquanto olhavam, foi separado deles e começou a ser levado para o céu. Foi elevado e uma nuvem o arrebatou para cima, fora da vista deles. E prestaram-lhe homenagem. E, enquanto fitavam os olhos no céu, durante a partida dele, eis que havia também dois homens em roupas brancas em pé ao lado deles, e estes disseram: “Homens da Galileia, por que estais parados aí olhando para o céu? Este Jesus, que dentre vós foi acolhido em cima, no céu, virá assim da mesma maneira em que o observastes ir para o céu.” Voltaram então a Jerusalém com grande alegria, do monte chamado Monte das Oliveiras, que está perto de Jerusalém, à distância da jornada de um sábado.[3] E estavam continuamente no templo, bendizendo a Deus.

Notas:
[1] Provavelmente, esta seja a ocasião em que, segundo Paulo, Jesus “apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez”. Conforme Paulo relata, “depois disso apareceu a Tiago, [e] então a todos os apóstolos”. – 1 Cor. 15:6, 7.
[2] Em Jerusalém. – Atos 1:4.
[3] Segundo fontes rabínicas, baseadas em Josué 3:4, esta era de cerca de 2.000 côvados (890 m). – NM, nota de Atos 1:12.

O texto acima unificado da Bíblia Sagrada é baseado na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas [NM], publicada pelas Testemunhas de Jeová.



NOTA SOBRE A SÉRIE “A VIDA DE JESUS – O EVANGELHO UNIFICADO”:

“A Vida de Jesus – o Evangelho Unificado” foi um esforço laborioso feito por uma Testemunha de Jeová, no sentido de unificar relatos paralelos feitos pelos escritores dos Evangelhos em um só texto, sem perder nenhum detalhe. Mais do que isso, foi um esforço de colocar todas as passagens da vida de Jesus Cristo em ordem cronológica. E não somente todas as passagens, como também suas argumentações que ocorrem nos relatos paralelos.

Além disso, foi feita esmerada pesquisa para suprir detalhes dos relatos em notas de rodapé, para aumentar a compreensão e apreço dos leitores pelo texto bíblico sobre a vida de Cristo.

O resultado foi um trabalho meticuloso, o qual foi contribuído para este site, a fim de que fosse disponibilizado aos leitores.

O trabalho foi dividido em partes, para ser publicado progressivamente neste site. A Primeira Parte foi publicada em 03 de abril de 2016, seguindo de forma ininterrupta semanalmente, até sua última parte, nesta data de 11 de março de 2018 – um período de quase dois anos.

O sincero desejo do autor deste site é que este trabalho laborioso e meticuloso, que foi gentilmente cedido a este site, sobre a vida do maior homem que já esteve na Terra, tenha servido para aumentar o apreço e a compreensão de todos os que amam o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus.






A partir de agora, os artigos serão publicados duas vezes por semana, nas quartas-feiras e nos domingos. 

             Que a benção do Soberano Senhor Jeová, por meio de Seu Filho, o nosso Senhor Jesus Cristo, esteja sobre todas as pessoas que buscam conhecer e viver a verdade da Palavra de Deus.



Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







quinta-feira, 8 de março de 2018

Foi correto José e Maria terem aceitado os presentes dados pelos astrólogos?

Fonte da ilustração: jw.org

Um leitor escreveu:

                Olá, sr. apologista da verdade! Tudo bem?
           Uma vez um irmão nosso na fé comentou sobre algo comigo sobre o qual eu gostaria de saber a resposta. É o seguinte: Nós sabemos que é errado ter qualquer tipo de envolvimento com espiritismo. Inclusive adquirir objetos relacionados com isso. É algo que nosso Deus Jeová condena fortemente. (Deut. 18:10-12; At. 19:19) A pergunta é: Por que José e Maria, pais de Jesus, aceitaram os presentes daqueles astrólogos, visto que eram pessoas que praticavam algo que Jeová condena, a astrologia?
        Se o sr. puder, por favor, me ajudar nessa pergunta sr. apologista...

Resposta:

              A Bíblia relata o exemplo de cristãos que destruíram livros ligados ao espiritismo. Lemos em Atos 19:19:

                    “Na verdade, um bom número dos que haviam praticado artes mágicas juntaram seus livros e os queimaram diante de todos. Ao calcularem o valor deles, viram que valiam 50.000 moedas de prata.”

                  Mateus relata que os astrólogos deram como presentes “ouro, olíbano e mirra”, e não objetos ligados ao espiritismo. Ademais, José, Maria e Jesus tinham a proteção divina necessária à situação deles. E esses presentes caros, pelo visto, chegaram na hora certa, para ajudar os pais de Jesus na viagem que tiveram de fazer logo depois para outro país, conforme relatado em Mateus 2:13-15:

                 “Depois que eles partiram, o anjo de Jeová apareceu a José num sonho, dizendo: ‘Levante-se, pegue a criancinha e a mãe dela, fuja para o Egito e fique ali até eu avisá-lo, porque Herodes está prestes a procurar a criancinha para matá-la.’ Assim, José se levantou, pegou a criancinha e a mãe dela à noite e foi para o Egito. Ele ficou lá até a morte de Herodes. Isso cumpriu o que Jeová tinha dito por meio do seu profeta: ‘Do Egito chamei o meu filho.’”

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






terça-feira, 6 de março de 2018

Jó 19:26 apoia a crença na imortalidade da alma?

Fonte da ilustração: jw.org

Um leitor fez a seguinte pergunta:

Olá, apologista da verdade. Tenho uma dúvida: Qual é o sentido de Jó 19:26, 27 a respeito da alma? Jó 19:26: “E depois de consumida esta minha pele, então fora da minha carne verei a Deus; 27 vê-lo-ei ao meu lado, e os meus olhos o contemplarão, e não mais como adversário. O meu coração desfalece dentro de mim!”

             Resposta:

De fato, a tradução “fora da minha carne verei a Deus” pode dar a impressão de vida consciente após a morte. Há traduções que vertem desse modo, conforme os exemplos abaixo:

“E depois de consumida esta minha pele, então fora da minha carne verei a Deus.” – Almeida Revisada Imprensa Bíblica.

“E depois de destruída esta minha pele, mesmo fora da minha carne verei a Deus.” – Sociedade Bíblica Britânica.

Por outro lado, a expressiva maioria das traduções verte “na [ou: em] minha carne”, conforme os exemplos abaixo:

“E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus.” – Almeida Corrigida e Revisada Fiel.

“Por detrás de minha pele, que envolverá isso, na minha própria carne, verei Deus.” – Ave Maria.

“Tras mi despertar me alzará junto a él, y con mi propia carne veré a Dios.” – Bíblia de Jerusalém em espanhol.

“Y después que me arranquen esta piel, yo, con mi propia carne, veré a Dios.” – El Libro del Pueblo de Dios.

“y luego, de mi piel de nuevo revestido, desde mi carne a Dios tengo que ver.” – La Santa Bíblia.

“Yo me pondré de pie dentro de mi piel y en mi propia carne veré a Dios.” – Bíblia Latinoamericana.

“And from my flesh I shall see God; my inmost being is consumed with longing.” – The New American Bible.

“And I shall be clothed again with my skin, and in my flesh I will see my God.” – Douay-Rheyms Version.

“And [though] after my skin [worms] destroy this [body], yet in my flesh shall I see God:” – King James Version.

“And after my skin has been thus destroyed, then from my flesh I shall see God.” – Revised Standard Version.

“I will be there behind my skin, and in my flesh I shall see God.” – Chrystian Community Bible.

“After my awakening, he will set me close to him, and from my flesh I shall look on God.” – Jerusalem Bible.

“And I will be enveloped again with my skin, and in my flesh I will see my God.” – Catholic Public Domain Version.

“And {if} after my skin this shall be destroyed, yet from out of my flesh [ainda na minha carne] shall I see God.” – Darby.

Targum: “Da minha carne, voltarei a ver Deus.”[1]

Luthero: “E verei Deus na minha carne.” Também assim traduzem Kautsch, Schwarz, Fuerbringer.[2]

O texto grego da Septuaginta nem sequer menciona essa expressão em Jó 19:26:

ναστσαι τ δρμα μου τ νατλν [ναντλον] τατα· παρ γρ κυρου τατ μοι συνετελσθη
anastésai tò dérma mou tò anatlôn [ou: anantloûn] taûta parà gàr kyríou taûtá moi sunetelésthe 
levantar a minha pele que suporta estas coisas, pois do Senhor estas coisas me foram cumpridas

Como está no texto hebraico?

ואחר עורי נקפו זאת ומבשרי אחזה אלוה
E depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus.[3]

Fonte: http://www.hebraico.pro.br/

Conforme explica o professor de Hebraico e Grego Rubens D. Oliveira:

O texto literalmente diz: “E da minha carne observarei Deus.” (“E de carne minha observarei Deus.”) Não usa nenhuma preposição que indica algo de fora. A palavra para “de fora” seria hhuts. Simplesmente usa a preposição “de” em relação à carne. Uma opção viável de tradução seria “na minha carne”. “Em meu corpo”, e não “fora do meu corpo”.

Mihhuts (“de fora”) ou bahhuts. Esta seria a preposição hebraica tanto na Bíblia hebraica antiga como no hebraico moderno quando eu quero dizer “de fora”. Bahhuts é “por fora” e Mihhuts, “de fora”. E essas não são usadas nesse texto.

Alguns inferem de forma preconcebida que está significando “e de fora de minha carne”, “longe de minha carne”’.

Mas o texto diz literalmente: “E depois de minha pele rasgada [destruída] e da carne minha verei Deus.” A ideia seria: ‘E da condição da carne dele’.

O que o contexto revela quanto ao significado do texto?

Será que Jó queria dizer que veria a Deus após a sua morte, quer em espírito, quer numa suposta ressurreição do corpo conforme alguns teorizam? Os  versículos circundantes suprem o entendimento. Lemos no versículo 20: “Meu corpo ficou reduzido a pele e osso, e eu escapo da morte por um fio.” Assim, Jó acreditava que viveria. Lemos também no verso 27: “Eu o verei, com os meus próprios olhos.” Assim, Jó não esperava ver a Deus após a terra ter comido seus olhos, mas esperava vê-lo ainda em vida como ser humano.

Tendo este entendimento como pano de fundo, percebemos que o que Jó queria dizer é que, mesmo estando praticamente ‘sem carne’ (“reduzido a pele e osso”, verso 20) ainda poderia ‘ver’ a Deus.

Algumas traduções mostram isso:

“E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus.” – NVI.

“Ohne meine Haut, die so zerfetzte, / und ohne mein Fleisch werde ich Gott schauen.” – Die Bibel (Bíblia em alemão.) Tradução: “Sem a minha pele, tão rasgada, e sem minha carne, eu vou ver Deus”.

Keil: “E depois da minha pele assim rasgado em pedaços, e sem minha carne eu contemplarei Eloah.”[4]

American-Jewish Translation: “E quando, depois da minha pele, isso for destruído, então, sem a minha carne, eu verei a Deus.”[5]

“And after my skin, [even] this [body], is destroyed, then without my flesh [sem minha carne] shall I see God.” – American Standard Version.

         E assim se deu. Jó ‘viu’ a Deus no sentido de conhecê-lo mais intimamente. Após ter sido exposto ao conhecimento da grandiosidade de Deus (capítulos 38 a 41), Jó declarou: “Ouvi falar a teu respeito, mas agora te vejo com os meus próprios olhos.” – Jó 42:5.

Observe o leitor que o cumprimento de Jó 19:26 ocorreu naquela época, antes de Jó falecer. Portanto, o texto não é uma referência a uma vida pós-morte ou a uma antibíblica ressurreição do corpo. Assim, o texto de Jó 19:26 não apoia a crença na imortalidade da alma e nem na ressurreição do corpo.


Notas:
[1]http://www.wlsessays.net/bitstream/handle/123456789/460/YlvisakerJob19.pdf?sequence=1&isAllowed=y.
[2] Ibidem.
[3] https://www.cafetorah.com/livro-de-jo/
[4]http://www.wlsessays.net/bitstream/handle/123456789/460/YlvisakerJob19.pdf?sequence=1&isAllowed=y
[5]http://www.wlsessays.net/bitstream/handle/123456789/460/YlvisakerJob19.pdf?sequence=1&isAllowed=y


 A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org








Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *