Image Map











sábado, 22 de junho de 2019

Existem provas históricas de que Jerusalém foi destruída em 607 AEC?

Fonte: jw.org


Contribuído por Historiador TJ.


Relacionado com este tema,  considere inicialmente o seguinte:

Os historiadores insistem em dizer que Jerusalém foi destruída em 587 AEC (Antes da Era Comum);

Geralmente, tais eruditos se apoiam nos escritos de historiadores clássicos e no Cânon de Ptolomeu;

▪ Tanto o Cânon de Ptolomeu quanto os historiadores clássicos não são infalíveis e possuem alguns erros flagrantes em seus registros, sendo passíveis de subjugação;

A cronologia da Bíblia, porém, aponta que a destruição ocorreu em 607 AEC; e é simples chegar a essa conclusão usando a própria cronologia histórica amplamente aceita.

Quando Babilônia foi derrotada?

No “primeiro ano [de reinado] de Ciro, rei da Pérsia”. – 2 Crônicas 36:21, 22, Nova Versão Internacional.

Isso foi em 539 AEC, quando Ciro invadiu Babilônia.

O ‘Cilindro de Ciro’ é uma prova histórica e arqueológica.


É um cilindro de barro que registra o importante decreto de Ciro II da Pérsia. Encontra-se exposto no Museu Britânico, em Londres. Ciro II adotou a política de autorizar os povos exilados a retornarem às suas terras de origem. – Veja Esdras 1:2-4.




Este decreto foi emitido no seu 1.º ano após a conquista de Babilônia, isto é, no ano 538 A.C. a 537 A.C., segundo diversas tabuinhas astronômicas.[1]

Dicionário bíblico Wycliffe, da CPAD (p. 499) declara:

“O primeiro ano de reinado de Ciro, de acordo com os cálculos persas, durou desde a primavera de 538 a.C. até a primavera de 537 a.C. . . pode-se concluir que o decreto de Ciro foi publicado em 537 a.C. e que o retorno dos judeus ocorreu durante o ano seguinte, que foi o 70º ano após o início do primeiro cativeiro . . .” (Negrito acrescentado.)



PORTANTO, 537 AEC foi o ano em que o rei Persa emitiu o decreto para que o povo judeu fosse liberto e reconstruísse o templo e restabelecesse a sua adoração. Até aqui há um consenso entre os historiadores? Sim, existe!

Logo, contando para trás, de 537 AEC, ano da libertação dos judeus para voltarem a Jerusalém, com uma contagem plena de setenta anos LITERAIS de exílio dos judeus, chegamos ao ano de 607 AEC, ano em que Jerusalém foi destruída.

“Toda esta terra virá a ser uma desolação e um espanto; estas nações servirão ao rei de Babilônia setenta anos.” – Jeremias 25:1, 2, 11, Tradução Brasileira.

“Quando se completarem os setenta anos . . . cumprirei a minha promessa . . . de trazê-los de volta para este lugar” — Judá e Jerusalém. – Jeremias 29:10, NVI.

As Testemunhas de Jeová não aceitarão cronologia secular passível de erros quando esta contradiz a Bíblia.

Esse ano de 607 AEC é uma data muito importante na cronologia bíblica, o que nos faz entender algumas profecias e nos leva a um ano muito importante na cronologia bíblica, a saber, o ano de 1914.


Fontes adicionais:

O Novo Dicionário Bíblico de Russel Norman Champlin (editora Hagnos,páginas 285 e 1851):

“Cerca de 42 mil judeus retornaram à Judeia, em 538 a.C. e aqueles que permaneceram na Babilônia formaram o núcleo de uma comunidade que, séculos mais tarde, tornou-se um importante centro da erudição e das tradições judaicas. . .

. . .Quarenta anos depois da queda de Jerusalém (596ª.C.), a Babilônia foi capturada por Ciro, rei da Pérsia, e Judá tornou-se uma província persa (537 a.C.). No ano seguinte, Ciro emitiu um edital que permitia que Judá voltasse a Jerusalém, se desejasse.”

O ano de 537 AEC foi “o começo da reconstrução do tempo”. (Negrito acrescentado.)






O Novo Dicionário da Bíblia de J. D. Douglas (editora Vida Nova, revisão 2006; páginas 235, 1305 e 1396):

“Durante seu primeiro ano de reinado sobre Babilônia, após a captura desta, em 539 a.C., Ciro deu ordens para a reedificação. . .

Os exilados que retornaram (537 a.C.) levaram consigo os vasos que haviam sido tomados . . .”

A “reconstrução do templo” em Jerusalém foi iniciada em 537 AEC.

. . . Zorobabel retornou com o grupo principal de exilados, sob Sesbazar, no ano de 537 a.C. e lançou os fundamentos do templo.”





O Comentário Histórico-Cultural da Bíblia (Editora Vida Nova, página 858) confirma o ano da queda de Babilônia como sendo 539 a.C. e o ano do decreto de liberação dos judeus como sendo 538 a.C., ano do primeiro reinado de Ciro (538-537 a.C.).



O Novo Dicionário da Bíblia de John Davis (edição ampliado e atualizado 2005, da editora Hagnos) aponta para o ano de 539 AEC como sendo o ano da conquista de Babilônia por Ciro e mostra o ano de 538/537 AEC como sendo o decreto e o início da reconstrução do templo em Jerusalém.



O Dicionário Bíblico Ilustrado VIDA NOVA, (editora Vida, pág 865):

“O período pós-exílico. Logo após a queda da Babilônia, o rei persa Ciro, o Grande, permitiu aos povos conquistados retornar às terras originárias (Ed 1.2-4). Os judeus começaram a retornar a Judá por volta de 537 a.C.. . .”




Observe os textos de Jeremias 29:10 e do Salmo 126 na Tradução Brasileira:


A última foto acima é extraída da Enciclopédia da Bíblia, cuja nota do Salmo 126:4 afirma: “Entre os Salmos sem título e anônimos poucos se originaram do exílio (137), do retorno de Judá em 537 a. C. (107.2,3; 126.1) . . .” 

Dicionário Cultura Cristã (volume 5, tópico Salmos):

“. . . no período da reconstrução pós exílica em 537 a. C. os alegres ex-cativos são descritos como “os que voltara a Sião” (Sl 126.1a ACR). . .

Foi Yahweh quem trouxe de volta os repatriados de Sião em 537 . . .” (Negrito acrescentado.)



O Novo Dicionário de Teologia Bíblica, de T. Desmond Alexander e Brian S. Rosner (editora Vida, página 374):

“O exército babilônico destruiu Jerusalém em 586 a.C. e levou para o exílio muitos habitantes. Jerusalém permaneceu em ruínas até a queda da Babilônia em 539 a.C. Ciro, o rei persa, permitiu aos exilados retornarem a sua terra de origem, então um pequeno grupo de judeus fez a viagem de 1.400 quilômetros para Jerusalém em 538 a.C. Com o objetivo de reconstruir o templo, esses judeus lançaram os alicerces em 537 a.C.” (Negrito acrescentado.)



Embora essa obra mencione a data da destruição de Jerusalém como sendo 586 a.C., ela reconhece que a reconstrução do templo de Jerusalém foi iniciada em 537 a.C. Contando para trás setenta anos de desolação de Jerusalém, chegamos, não a 586 a.C., mas a 607 a.C.


Veja também os artigos:


O PARADIGMA CRONOLÓGICO BÍBLICO X A CRONOLOGIA SECULAR (Parte 1)






[1] Veja o CILINDRO DE CIRO. Disponível em: <http://www.dhnet.org.br/>.






A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org







5 comentários:

  1. A derrota que satanás sofreu durante a guerra no céu contra Miguel, a partir de 1914, foi tão grande que a Bíblia diz que ele foi lançado à terra com grande ira, sabendo que lhe resta pouco tempo. (Apo. 12:7-9). Seria somente natural que, por meio de seus agentes terrestres, que incluem os apóstatas, o Diabo quisesse minar a credibilidade dessa data e do evento ocorrido nela. Para isso tentam distorcer fatos históricos e pões a bíblia em contradição para negar a data da destruição de Jerusalém em 607 A.C.

    Por mais que se esforcem em argumentar contra as evidencias bíblicas e históricas, é um fato que, desde 1914, vivemos nos últimos dias deste sistema e que Jesus reina como Rei em Sião. (Salmo 2). Os opositores não passam de mais um cumprimento da profecia, que diz:

    "Antes de tudo saibam que, nos últimos dias, surgirão escarnecedores zombando e seguindo suas próprias paixões. Eles dirão: "O que houve com a promessa da sua vinda(em grego: parousía, presença)? Desde que os antepassados morreram, tudo continua como desde o princípio da criação". - 2 Pedro 3:3,4.

    ResponderExcluir
  2. Apologista gostaria que me ajudasse em relaçao a uma duvida que surgiu pra mim no meu estudo pessoal. E sobre o tempo que se passou entre a morte de Abraão e o dia em que Jeová falou com Moises no espinheiro. No livro " vem ser meu seguidor" no tópico 'esta escrito' na pagina 21 lemos que Jeová teria falado com Moises por volta de 1514 AC e que etriam se passado 329 da morte de Abraão , 224 da morte de Isaque e 197 da morte de Jacó. Minha duvida é : Quando Jeová falou com Moises haviam se passado mais de 400 anos do exilio no Egito. Como conciliar esses 400 anos de exilio com 329 anos entre a morte de Abraão e o sinal no espinheiro ? por favor me ajude obrigado desde ja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um artigo foi preparado sobre isso e em breve estará disponível.

      Abraços!

      Excluir
  3. Querido irmão. Os prints de dicionários nesse post foram fornecidos por mim ao HTJ com o que se pode montar o artigo acima.. apenas ressalto que a imagem abaixo do tópico: Nota da Bíblia Tradução Brasileira, Salmo 126:4 montada em três parte, somente as duas primeiras referem-se à TB, sendo a terceira parte retirada de outro tópico da ENCICLOPÉDIA DA BÍBLIA. depois lhe passo a página e tópico para correção da menção. A TB não possui notas de referências.

    grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela informação. Foi feita a correção conforme sua afirmação.

      Grande abraço!

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *