Image Map











terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Conversa com um trinitário sobre Jesus Ser o Criador e sobre a divindade de Cristo – Parte 1


Fonte: jw.org

Segue abaixo uma conversa entre o autor deste site e um trinitarista, de nome Carlos, referente ao artigo “Diferença entre ‘criar’ e ‘fazer’”. (Queira ler o artigo.)

Trinitarista:

O cerne da discussão não está nos verbos ba·ráʼ e ʽa·sáh, e sim na palavra “FAÇAMOS” de Gênesis 1:26. Se é “façamos”, é plural. E vemos Jesus atuando na criação do homem; portanto, um com Deus. O verso diz que fomos criados à imagem de Deus. E se fomos criados desta forma, Jesus é Deus. E vemos isso nas palavras “NOSSA SEMELHANÇA”. Ou será que temos imagem de uma criatura e não de Deus? ACHO QUE NÃO, NÉ!!!!

Resposta:

Como mostrou o artigo citado acima, em hebraico “fazer” (ʽa·sáh) é diferente de “criar” (ba·ráʼ). Portanto, o ato de criação é atribuído somente a Jeová. A participação do Filho na criação não significa que o Filho tenha criado algo, no sentido bíblico da palavra. 

O próprio Jesus Cristo reconheceu que somente seu Pai é o Criador. Jesus se referiu a seu Deus e Pai como sendo “aquele [singular] que os criou [não diz: “criaram”] no princípio”– Mateus 19:4.

Ter o Filho a imagem e a semelhança de Deus não o faz ser o próprio Deus Criador e Todo-Poderoso, assim como o ser humano ter sido feito à imagem e semelhança de ambos não o torna igual ao Deus Criador nem ao Seu Filho Jesus Cristo na questão de poder e autoridade.

Trinitarista:

Prezado Apologista da Verdade:

Jesus reconheceu o Pai como Deus em várias situações, isso na condição de servo; pois era 100 por cento homem e Ele mesmo disse que veio para servir. Isso vemos em Filipenses 2:1-7. Deus preza hierarquias. Mas, mesmo assim, isso não diminui Cristo; pois quantitativamente, neste período, o Pai era maior que Cristo, mas não qualitativamente. Em uma empresa, o patrão distribui cargos para que ela vá bem. Sendo assim, um chefe é quantitativamente maior que o operário, mas não qualitativamente.

Em 1 Coríntios 8:4-6 vemos claramente isso, pois diz: “Há um só Deus, O PAI!” Isso exclui Cristo da divindade? CLARO QUE NÃO!! Pois, senão também teríamos que excluir o Pai do Senhorio, porque na mesma passagem diz que há “um só Senhor”, CRISTO!!! Isso exclui o Pai do Senhorio? CLARO QUE NÃO!!

Resposta:

Prezado Carlos:

Os unitários acreditam na divindade de Cristo. Apenas reconhecem que Jesus não é coigual a seu Deus e Pai em poder, autoridade e eternidade.

Jesus chamou seu Pai de “meu Deus” também após ter sido ressuscitado e ter ido para o céu, não apenas quando era homem na Terra. (Apocalipse 3:2, 12) Assim, mesmo no céu, o Filho tem um Deus sobre ele – que é o seu Pai. Por outro lado, o Pai não tem nenhum Deus sobre si mesmo.

Quanto a 1 Coríntios 8:6, veja o artigo “Duas regras – uma falsa e uma verdadeira”, no subtítulo “Uma verdadeira regra bíblica”.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






7 comentários:

  1. Os trinitarianos protestantistas tem que crer que Maria é mãe de Deus também pois creem que Jesus é Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou unitarista, mas não entendi a implicação lógica. Se Maria tem de ser divina por ter dado luz a um ser divino então sua mãe, pai, irmãos também devem ser divinos. Logo toda humanidade também teria de ser divina. Isso não faz sentido algum

      Excluir
  2. Boa noite meu ilustre apologista.
    Me diz uma coisa, colossenses 1:16 então não deveria se traduzido por
    "pois por meio dele foram FEITAS todas as outras coisas..."
    Só uma dúvida meu amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado leitor:

      A bem da integridade textual, não parece apropriado traduzir por “fazer”, visto que não ocorre o verbo grego ποιέω (poiéo), que significa “fazer”, e sim o verbo κτίζω (ktízo), “criar”. Contudo, o texto de Colossenses 1:16 aponta o ato de criar, não para Jesus Cristo, pois diz que “tudo foi criado POR MEIO DELE [de Jesus Cristo]” (Almeida Revista e Atualizada). Assim, Jesus é o MEIO, ou instrumento, pelo qual Jeová criou todas as coisas.




      Excluir
  3. Não necessariamente, veja os pais de Maria foram pecadores e Deus pela Divina Providência evitou que o pecado entrasse nela Deus tem poder para isso. Os trinitarianos creem que Jesus é Deus, ora Maria não é mãe só de Jesus homem mas de Jesus Deus também pois não são 2 Jesus´s mas um só(crença trinitariana). Os trinitarianos protestantistas costumam usar Colossenses 2:9 para provar que Jesus é Deus , ora essa passagem diz que o corpo de Jesus é Divino no sentido de ser DEUS e o corpo de Jesus foi formado dentro do corpo de Maria é impossível que Maria tivesse pecado pois senão o corpo de Jesus jamais poderia ser 100% Divino no sentido de ser DEUS. Nesse sentido os católicos romanos estão certos isso é seguindo o raciocínio trinitariano. Veja o corpo de DEUS (crença trinitariana) foi gerado no corpo de Maria logo Maria nunca poderia ter pecado.

    Agora se você achou que isso não tem nenhuma lógica então é mais plausível,lógico e coerente aceitar que Jesus NÃO é Deus pois se considerarmos que ele é Deus ENTÃO Maria é OBRIGATORIAMENTE mãe de Deus pois não dá para Maria ser mãe de Jesus humano e não ser a mãe de Jesus divino pois se assim fosse ela seria mãe de 50% de Jesus e isso seria um absurdo total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda assim, mesmo na concepção trinitária, isso não faz sentido porque: (1) Maria gerou apenas a natureza humana de Jesus, enquanto este esteve “nos dias de sua carne” (Hb.5:7). A natureza divina de Cristo sempre existiu, é eterna, vem de muito antes de Maria sequer existir, segundo a filosofia trinitária. Alegar que Maria é mãe de Deus implica em cair em duas hipóteses: o de alegar que pode ser mãe de algo que não foi gerado por ela, ou o de que Maria gerou sim a divindade de Cristo. No primeiro caso, Maria seria mãe apenas da humanidade de Jesus, não da divindade (e, portanto, mãe de Jesus homem, não da divindade de Cristo), enquanto que no segundo caso Maria teria de ser anterior à natureza divina de Cristo para tê-la gerado, o que é impossível; (2) para ser considerada como “mãe de Deus” devemos levar em conta o conceito trinitário de Deus. Na falsa doutrina da Trindade, Deus não se limita apenas ao Pai, apenas ao Filho ou apenas ao "Espírito Santo", mas o Pai, o Filho e o "Espírito Santo" é o único e verdadeiro Deus. Portanto, para Maria ser considerada como “mãe de Deus” teria que também ser mãe do Pai e do "Espírito Santo". Senão, poderíamos nos utilizar exatamente do mesmo silogismo empregado pelos católicos contra eles mesmos:
      a) Maria não é mãe do Pai;
      b) O Pai é Deus;
      c) Portanto, Maria não é mãe de Deus.
      Ou:
      a) Maria não é mãe do "Espírito Santo";
      b) O "Espírito Santo" é Deus;
      c) Portanto, Maria não é mãe de Deus.

      Excluir
  4. O entendimento trinitariano cre que Jesus é Deus logo dá suporte sim para que Maria seja mãe de Deus.

    1) Em Colossenses 2:9 diz que no corpo de Jesus habita PLENAMENTE a natureza Divina aí no sentido de ser DEUS e o corpo dele foi gerado no corpo de Maria e inclusive essa passagem de Colossenses 2:9 é usada muito pelo trinitarianos contra a argumentação unitariana e mesmo assim os trinitarianos protestantistas se esquecem que o texto vai mais além pois considera o corpo de Jesus Divino( DEUS). Hebreus 5:7 corrobora com a visão que Maria e Mãe de Deus pois a carne de Jesus era também 100% Divina no sentido de ser DEUS.

    sim, a natureza Divina de Jesus sempre existiu antes da criação Jesus era um só na eternidade(crença trinitariana) e ele era 100% divino e espiritual quando ele vem á terra ele passa a ser espírito e carne ambos 100% humano e 100% divino, porém aí tem um detalhe importante a natureza divina de Jesus na terra NÃO pode ser a mesma da que ele estava na eternidade pois como ele é um só Jesus se a natureza na terra fosse exatamente igual a que ele tinha na eternidade ele deveria se manifestar só em espírito ( como estava se manifestando na eternidade) e nunca em espírito e em carne, o que possibilitou ele aparecer em carne foi a geração da carne dele dentro de Maria e de Maria participar do processo da Santa Variação. A Santa Variação é o processo que possibilitou a natureza divina dele se adaptar para formar um só Jesus humano e divino com carne e espírito. Observe algo interessante quando as pessoas viam Jesus elas o viam em carne pois se a natureza divina dele fosse a mesma da eternidade ele nunca se manifestaria em carne e espírito mas puramente em espírito divino. Na eternidade a natureza de Jesus era divina e ele sendo espírito( um só Jesus) na terra tal manifestação não é possível pois é carne com natureza divina e humana e espírito com natureza divina e humana e Maria participou tanto da geração do corpo de Jesus como do processo da Santa Variação e isso é mais um motivo para considera-la essencial no nascimento de Jesus e reforça a ideia que ela é Mãe de Deus.

    Sim, Maria não é Mãe nem do Pai nem do Espírito Santo pois eles NÂO precisaram vir em carne e também NÂO é mãe da natureza divina de Jesus na eternidade só do Jesus que veio à terra. Maria poderia ser a mãe do Pai ou do Espírito Santo pois caso Jesus não tivesse vindo em carne ou o Pai ou o Espírito Santo deveriam obrigatoriamente vir à terra e se fazer carne e Maria seria a mãe de um dos dois. A questão também é que a crença trinitariana cre firmemente que Jesus é Deus 100% jamais um trinitariano vai argumentar que Jesus é 99,999% Deus então Maria é mãe de Deus.

    Na crença trinitariana só Jesus se fez carne o Pai e o Espírito Santo não, e Maria é mãe de Deus Jesus somente nesse sentido Jesus fez mais que os dois pois o ilimitado se limitou provando o poder de Deus ou seja Jesus tem a missão diferente e que tal missão possibilita Maria ser mãe de Deus.

    ResponderExcluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *