Image Map











terça-feira, 19 de maio de 2020

Como Deus tem demonstrado seu caráter nestes milênios da História da humanidade?


Fonte: jw.org

O artigo anterior mostrou por que Deus permitiu a maldade nestes seis mil anos da História da humanidade; e porque parece ao ser humano que o tempo que Deus tem permitido a maldade representa ser muito extenso, mas que, na realidade, do ponto de vista de Deus, esse tempo é muito curto.

Queira ler o artigo anterior clicando no tema abaixo:


Neste artigo, vamos examinar o que Deus tem feito durante esse tempo, e por que ele não tem resolvido tudo de um modo mais direto. O objetivo deste artigo não é dissertar sobre como Deus produziu o desenvolvimento do seu propósito a partir de sua primeira profecia, registrada em Gênesis 3:15. Antes, este artigo focará em algumas ações de Jeová que refutaram as acusações de Satanás.

Lembre-se de que a razão de Deus ter permitido a maldade foi para provar quem está certo – Deus ou o anjo que se tornou Satanás, o Diabo. Esse anjo acusou Jeová de exercer um domínio extremamente restritivo e injusto sobre suas criaturas; que suas criaturas inteligentes podem viver de modo independente de Deus, sem precisar dele. Afirmou também que a criação inteligente já é imperfeita por natureza.

Além de dar tempo para o Diabo tentar provar suas alegações, Deus também tem agido para mostrar que as afirmações de Satanás são mentirosas. Vejamos algumas das coisas que Deus tem feito neste sentido.

Misericórdia com os desobedientes

Apesar de Adão e Eva terem traído a Deus, Jeová providenciou roupas adequadas para eles, que os agasalhariam na vida inóspita e hostil que teriam dali em diante. (Gênesis 3:21) Quando Caim ficou profundamente irado com seu irmão Abel, longe de agir como um dominador, conforme o Diabo afirmou, Jeová mostrou que se preocupava com Caim, apelando bondosamente para que ele mudasse seu proceder. Lemos em Gênesis 4:6, 7: “Jeová disse a Caim: ‘Por que você ficou tão irado e por que está abatido? Se você passar a fazer o bem, não voltará a ter o meu favor? Mas, se não passar a fazer o bem, o pecado está à espreita na porta e tem desejo ardente de dominar você; será que você conseguirá vencê-lo?’” Mesmo após Caim ter matado Abel, e ter respondido a Jeová com grosseria, Jeová não executou Caim; antes, condenou-o ao banimento. – Gênesis 4:9-12.

Jeová fez provisões ao primeiro casal apesar da desobediência deles
Fonte: jw.org

Jeová é tão humilde e compreensivo, que aceitou até mesmo ser contestado por um de seus servos! (Veja o artigo “Você se permite ser contestado? Deus se permitiu!”.) Jeová mostrou misericórdia para com o seu povo escolhido, a nação de Israel, por muitos séculos, até quando foi possível. Note a comovente descrição disso feita por Esdras: “Jeová, o Deus dos seus antepassados, avisava-os por meio dos seus mensageiros; ele os avisava vez após vez, porque tinha compaixão do seu povo e do seu lugar de morada. 16 Mas eles caçoavam dos mensageiros do verdadeiro Deus, desprezavam as Suas palavras e zombavam dos seus profetas, até que o furor de Jeová veio contra o seu povo e não havia mais remédio.” – 2 Crônicas 36:15, 16.

O amor de Deus por seus servos é muitíssimo superior ao amor de mãe. Observe as profundamente tocantes palavras de Jeová: “Será que uma mulher pode se esquecer do seu bebê, e não sentir compaixão pelo filho do seu ventre? Mesmo que essas mulheres se esquecessem, eu nunca me esqueceria de você. Veja! Gravei você na palma das minhas mãos! Suas muralhas estão sempre diante de mim.” (Isaías 49:15, 16; veja os artigos “Você tem dificuldade de encarar Deus como um Ser amoroso? (Artigo especial)” “O Deus do ‘Velho Testamento’ era cruel?”.)

Jeová fez o maior gesto de amor que alguém poderia ter feito – deu o seu próprio Filho especial, Jesus Cristo, para morrer em favor da humanidade pecaminosa! Lemos em Sua Palavra: “Dificilmente alguém morreria por um justo; embora, por um homem bom, alguém talvez se atreva a morrer. Mas Deus recomenda a nós o seu próprio amor, por Cristo ter morrido por nós enquanto ainda éramos pecadores.” (Romanos 5:7, 8)[1] Estes exemplos da História humana mostram o caráter de Deus, que é  a personificação do amor. Portanto, os seis milênios da História humana têm fornecido um conjunto imenso, magnânimo e indefensável de que Jeová não exerce nem tenta exercer controle restritivo sobre suas criaturas. Muito pelo contrário – ele quer somente que suas criaturas sejam felizes e tenham liberdade – a verdadeira liberdade, que faz bem para elas.

Jeová mostrou de forma magnânima o seu amor pela humanidade
Fonte: jw.org

Por outro lado, a História tem mostrado o caráter maldoso e de falsidade do opositor de Deus. Um exemplo da falta de caráter de Satanás é encontrado nas diversas demonstrações de falta de palavra por parte do Faraó do Egito.  Por diversas vezes, o Faraó do Egito voltou atrás com relação ao que havia declarado, agindo como um trapaceiro. (Veja Êxodo 8:8, 15, 28, 32; 9:27, 28, 34, 35; 10:16, 17, 20.) E a dominação cruel, a escravidão, o tráfico de seres humanos – tudo isso e muito mais mostram que as acusações que o Diabo fez contra Deus se aplicam, na realidade, ao próprio Satanás. Ele, sim, é quem tem exercido um controle injusto, extremamente restritivo, coercitivo, sobre a humanidade.

Faraó manifestou as características do Diabo
Fonte: jw.org

Mas, uma qualidade de Jeová também nos ajuda a entender o modo em que ele tem usado seu supremo poder.

Jeová – um Deus participativo

“Participativo”, além de se referir a alguém que participa ativamente em uma atividade, também tem tido as seguintes definições:

“Que ocasiona ou incentiva a participação ou a interação em alguma atividade. Que tem facilidade para se comunicar ou se exprime com facilidade; comunicativo.” Dicionário Online de Português.[2]

“Que fomenta ou propicia a participação.” – Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.[3]

Sendo Todo-Sábio e Todo-Poderoso, Jeová poderia usar sua capacidade suprema e infinita. Contudo, ele prefere delegar a suas criaturas inteligentes, tanto a anjos como a humanos, atividades relacionadas com o Seu próprio propósito. Vejamos um exemplo disso nas palavras de um anjo, registradas em Daniel 10:12-14: “Ele [o anjo] me disse então: ‘Não tenha medo, Daniel. Suas palavras foram ouvidas desde o primeiro dia em que você se dedicou a buscar o entendimento e a se humilhar perante o seu Deus, e eu vim por causa das suas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia se colocou em oposição a mim por 21 dias. Então Miguel, um dos príncipes mais importantes, veio me ajudar; e eu permaneci ali com os reis da Pérsia. Agora vim para fazer você entender o que acontecerá ao seu povo na parte final dos dias, porque é uma visão para os dias que ainda virão.’”

Observe que Deus enviou um anjo a Daniel quando o próprio Deus poderia ter transmitido sua mensagem diretamente a Daniel. Note também que o anjo foi impedido por três semanas pelo “príncipe do reino da Pérsia”, que evidentemente era um demônio ou um grupo de demônios. Para que o anjo pudesse completar sua missão, Deus enviou o arcanjo Miguel para ajudar aquele anjo, de modo que este pudesse chegar até Daniel. Tudo isso poderia ter sido evitado se Deus falasse diretamente, ou através do Lógos (a Palavra, ou o Verbo) a Daniel. (João 1:1) Vemos nisso como Jeová tem prazer em envolver suas criaturas em seu propósito. Isso as dignifica. Mostra que, contrário à afirmação mentirosa de que Deus não confia em seus anjos, ele tem plena confiança neles. (Jó 4:18) Jeová sabe que a participação em seu propósito dá prazer a suas criaturas, tanto às humanas quanto às celestiais. Tudo isso nos ajuda a entender por que Jeová não tem resolvido tudo de um modo mais direto.

Jeová é extraordinariamente maravilhoso! Suas maravilhosas qualidades estão além de qualquer descrição. A eternidade nos dará o supremo prazer de conhecê-lo gradativamente. E com certeza nos encantaremos profundamente com cada conhecimento adicional que recebermos sobre a ilustríssima Pessoa de Deus!

[3] 2008-2020. Disponível em: <https://dicionario.priberam.org/participativa>.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org









Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *