Image Map











terça-feira, 3 de outubro de 2017

Resposta a um leitor trinitarista



Um leitor trinitarista fez o seguinte comentário:


“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, o qual será chamado EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco.” – Mateus 1:23.

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” – João 1:1-3.

“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.” – Mateus 28:18.

Logo, se Jeová dá a glória Dele a Jesus, isso indica claramente que Jesus não é outro “deus”, mas o próprio Deus! Quanto à pergunta de que se Deus deu glória a si mesmo: Tal pergunta é infundada, feita por pessoas que não creem na Trindade. Logo, em Mateus 28:18, vemos o Pai dando todo poder a seu Filho, que por Ele foi glorificado. Se não crermos na Trindade, teremos que admitir a existência de dois (ou três) deuses, dois criadores, dois salvadores, dois todo-poderosos, etc. Sobretudo, Jesus disse que Ele e o Pai são um (João 10:30), e quanto ao Espírito Santo, Ele também é indicado em I João 05:06, 07.

Para provar com todas as letras que Jesus é Todo-Poderoso, leiamos ainda Apocalipse 1:8: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso.”

Conclusão: Apocalipse 1:8 diz que o primeiro e o último é Todo-poderoso. O próprio livro de Apocalipse nos informa que Jesus é o primeiro e o último (Apocalipse 2:8). Em Apocalipse 1:8 diz que o Todo-poderoso é o mesmo que era, sendo Ele o mesmo. Em Hebreus 13:9 diz que Jesus é o mesmo, e em Malaquias 3:6 diz que o Senhor não muda. Logo, se Jesus é o mesmo e é Senhor, Ele é Todo-poderoso, ou há dois que são o mesmo em que não há mudança? E, por fim, Apocalipse 1:8 diz que o Todo-poderoso é aquele que há de vir; e em João 14:3 diz que Jesus é que está por vir. Logo, Jesus é sim Todo-poderoso.

Resposta:

Sobre Mateus 1:23:

O significado do nome profético “Emanuel” – “Deus conosco” – não significa que Jesus seja o “Deus conosco”. O nome Jeú significa “Jeová é ele”, e nem por isso Jeú era Jeová. Quando Jesus ressuscitou o filho da viúva de Naim, o povo disse: “‘Um grande profeta surgiu em nosso meio’, e: ‘Deus voltou sua atenção para seu povo [“Deus visitou o seu povo”; ACF].’” – Lucas 7:16.

Obviamente, o povo queria dizer, não que Jesus era Deus – pois o considerava “profeta” – e sim que Deus, POR MEIO DE Jesus, ‘havia voltado a sua atenção para seu povo’. Quando Moisés retornou ao Egito e realizou os milagres perante os anciãos de Israel, a Bíblia diz: “Em vista disso, o povo acreditou. Quando ouviram que Jeová havia voltado sua atenção para os israelitas [“visitava aos filhos de Israel”, ACF] e que havia visto a sua aflição, eles se curvaram e se prostraram.” (Êxodo 4:30, 31) É claro que eles não achavam que Moisés era “o Senhor [que] havia visitado os filhos de Israel” (IBB), mas sim que o Senhor Jeová havia visitado (voltado sua atenção) a eles POR MEIO DE Moisés.

Quanto a Mateus 28:18:

Só o fato de Jesus ter RECEBIDO algo de outro prova que ele não é o Deus Todo-poderoso. Pois Jeová, o Deus Todo-poderoso e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, disse: “Quem primeiro me deu alguma coisa para que eu deva lhe retribuir? Debaixo dos céus, tudo é meu.” – Jó 41:11.

Além disso, “todo o poder” (ARC) recebido por Cristo evidentemente é em sentido relativo e não absoluto, pois a Bíblia mostra que Deus, o Pai, continua sendo “o cabeça do Cristo” (1 Coríntios 11:3) e o “Deus” dele. (Efésios 1:17; 2 Coríntios 1:3) E isso é totalmente incompatível com a ideologia da Trindade, a qual apregoa que as supostas “três Pessoas” são coiguais e coeternas. Como as “três Pessoas” poderiam ser coiguais se uma delas é DEUS da outra?

Quanto a Jesus e o Pai serem “um” (João 10:30):

O próprio Jesus explicou que isso se refere à UNIDADE (união) entre eles, e não à igualdade. Lemos em João 17:22: “E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, COMO NÓS SOMOS UM.” (IBB) Em que sentido os discípulos eram UM? Jesus prosseguiu: “Que eles sejam perfeitos EM UNIDADE.” (João 17:23, IBB) Do mesmo modo Jesus e o Pai são “um”.

Quanto ao “espírito santo”, veja os artigos “O espírito santo é uma pessoa?” e “Estudo sobre Pneumatologia – Parte 5”

Com respeito a Apocalipse 1:8:

Esse texto também não prova que Jesus seja Todo-poderoso. Lemos em Apocalipse 21:22: “E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.” Note que claramente se distingue o “Senhor Deus Todo-Poderoso” de Jesus Cristo, o “Cordeiro”.

Que ‘o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso’ (Apocalipse 1:8) não é Jesus Cristo fica evidente do contexto do próprio capítulo 1 de Apocalipse. Os versículos 4 e 5a nos dizem: “João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte DAQUELE QUE É, E QUE ERA, E QUE HÁ DE VIR [o mesmo do versículo 8], E DA [parte] dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E DA PARTE DE JESUS CRISTO.” (ACF) Assim, Jesus é colocado como sendo distinto do Alfa e Ômega, e não como sendo o mesmo que ele. 

O fato de expressões e símbolos semelhantes serem usados para pessoas ou grupos distintos não indica que os referidos por tais símbolos tenham a mesma identidade. Isso foi demonstrado no artigo “Duas regras – uma falsa e uma verdadeira”, neste site. 

O contexto é que determina o significado do uso do referido símbolo e a identidade da pessoa ou do grupo aludido por tal símbolo. Por exemplo, tanto Jeová como Cristo são mencionados como sendo ‘o Primeiro e o Último’. (Isaías 44:6; Apocalipse 1:17) Contudo, o contexto de Isaías diz respeito à Divindade de Jeová, pois o mesmo texto (Isaías 44:6) acrescenta: “Além de mim não há Deus.” Por outro lado, Jesus é mencionado como “o Primeiro e o Último” num contexto diferente. O contexto de Apocalipse diz respeito à ressurreição de Jesus. Apocalipse 1:18 declara: “E o que vivo; fui morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos, e tenho as chaves da morte e do Hades [a sepultura comum da humanidade].” Jesus foi “o Primeiro” humano a ser ressuscitado para a vida espiritual, imortal. (Colossenses 1:18) Além disso, ele é “o Último” ressuscitado assim pelo próprio Jeová. Os demais serão ressuscitados por meio de Jesus, conforme ele mesmo explicou: “Tenho as chaves da morte e do Hades.” – Apocalipse 1:18b.

Poderá obter mais informações esclarecedoras nos seguintes temas:








Explicação das siglas usadas:
ACF: Almeida Revisada e Corrigida Fiel.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
IBB: Almeida da Imprensa Bíblica Brasileira.
NVI: Nova Versão Internacional.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *