Image Map











terça-feira, 28 de abril de 2020

É errado usar a expressão “bondade imerecida” em vez de a palavra “graça”? – Parte 2

Fonte: jw.org

O primeiro artigo deste tema analisou se há base linguística para traduzir o vocábulo kháris (comumente vertido “graça” nas traduções da Bíblia) por “bondade”. Este artigo analisará a seguinte pergunta:

Por que “bondade imerecida”?

O qualificativo “imerecido” para o vocábulo “bondade”, formando a expressão “bondade imerecida”, é perfeitamente plausível. Pois, a humanidade pecadora não consegue, por seus próprios méritos, conquistar a salvação.  Conforme lemos em Romanos 3:23: “Pois todos pecaram e não atingem a glória de Deus.”    Coerente com este fato, a salvação provida por Deus mediante o sacrifício de Jesus Cristo é uma expressão e demonstração de “bondade imerecida”.

O periódico A Sentinela (16 de dezembro de 2016, p. 9. §§4-5) explicou por que a Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada usou a expressão “bondade imerecida” como tradução de kháris:

[…] O que é a “bondade imerecida” de Deus? Paulo usou uma palavra grega que, de acordo com uma obra de referência, passa a ideia de “fazer alguma coisa por alguém sem esperar nem exigir nada em troca”. É algo que alguém recebe sem ter feito nada para merecer.

Certo estudioso disse: “Quando [essa palavra grega] é usada com relação a Deus ou a Cristo, ela muitas vezes se refere à bondade que eles mostram em salvar a humanidade mesmo sem ela merecer.” É por isso que a Tradução do Novo Mundo traduz essa palavra por “bondade imerecida”.

Alternativamente, a obra Estudo Perspicaz das Escrituras (volume 1, pp. 337-338, verbete “Benignidade, benevolência”) explica por que a Tradução do Novo Mundo não usou a tradução “graça” para kháris:

[…] na grande maioria das ocorrências, khá·ris é traduzido por “graça” por muitos tradutores da Bíblia em português. A palavra graça, porém, com diversos sentidos diferentes, não transmite à maioria dos leitores as ideias contidas na palavra grega. Para ilustrar isso: Em João 1:14, onde a versão Rei Jaime (em inglês) diz: “O Verbo foi feito carne . . . cheio de graça e de verdade”, o que se quer dizer com isso? Significa “graciosidade” ou “favor”, ou o quê?

O perito R. C. Trench, em Synonyms of the New Testament (Sinônimos do Novo Testamento), diz que khá·ris subentende “um favor prestado de bom grado, sem exigências ou expectativa de retribuição — a palavra sendo assim predisposta para receber sua nova ênfase [conforme dada nos escritos cristãos] . . ., para expressar a inteira e absoluta espontaneidade da benevolência de Deus para com os homens. Assim, Aristóteles, definindo [khá·ris], dá toda a ênfase a este mesmíssimo ponto, que ela é conferida de bom grado, sem nenhuma expectativa de retribuição, e tendo como único motivo a liberalidade e prodigalidade do dador.” (Londres, 1961, p. 158) Joseph H. Thayer, em seu léxico, diz: “A palavra [khá·ris] inclui a ideia de benignidade que concede a alguém aquilo que ele não mereceu . . . os escritores do N. T. usam [khá·ris] de modo preeminente para a benignidade por meio da qual Deus concede favores até aos que não os merecem, e concede aos pecadores o perdão de suas ofensas, e os convida a aceitar a eterna salvação por meio de Cristo.” [A Greek-English Lexicon of the New Testament (Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento), 1889, p. 666] Khá·ris é aparentada de perto com outra palavra grega, khá·ri·sma, a respeito da qual diz o New Testament Wordbook (Glossário do Novo Testamento, 1956, p. 29), de William Barclay: “A inteira ideia básica da palavra [khá·ri·sma] é a de uma dádiva gratuita e imerecida de algo dado a um homem, a que não se fez jus e que é imerecido.” — Veja 2Co 1:11, Int.

Quando khá·ris é usada no sentido acima, com referência à benignidade demonstrada para com alguém que não a merece, como se dá com as benignidades concedidas por Jeová, “benignidade imerecida” é em português um equivalente muito bom para a expressão grega. — At 15:40; 18:27; 1Pe 4:10; 5:10, 12.

O trabalhador tem direito àquilo pelo qual trabalhou, seu pagamento; ele espera seu salário como um direito, como uma dívida para com ele, e o pagamento dele não é nenhum presente ou especial benignidade imerecida. (Ro 4:4) Mas, serem pecadores condenados à morte (e todos nós nascemos como tais) libertos dessa condenação e declarados justos, é deveras benignidade totalmente imerecida. (Ro 3:23, 24; 5:17) […]. – Negrito acrescentado.





Diversos estudiosos da Bíblia entendem que a “graça” contém a ideia de bondade imerecida. O artigo seguinte desta série trará a lume o que dizem esses estudiosos, bem como as traduções que trazem a mesma ideia.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.

A menos que seja indicada outra fonte, todas as publicações citadas são produzidas pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




domingo, 26 de abril de 2020

É errado usar a expressão “bondade imerecida” em vez de a palavra “graça”? – Parte 1

Fonte: jw.org

Observe como Romanos 3:24 é vertido na Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada: “E é como dádiva que são declarados justos pela Sua bondade imerecida, por meio do livramento pelo resgate pago por Cristo Jesus.” Em vez da expressão “bondade imerecida”, a expressiva maioria das traduções usa a palavra “graça”. O vocábulo grego em questão é χριτι (kháriti), o qual é um substantivo feminino singular no caso dativo de χάρις (kháris). Diante disso, surge a questão: esse substantivo grego permite a tradução “bondade imerecida”? Vejamos o que dizem os dicionários do grego usado na Bíblia.




Como os dicionários bíblicos definem kháris

Dicionário Dodson:

Definição: (a) graça, como um presente ou benção trazida ao homem por Jesus Cristo; (b) favor; (c) gratidão, agradecimento; (d) um favor, bondade.

Concordância de Strong

Definição: graça, bondade.
Uso: (a) graça, como um presente ou bênção trazida ao homem por Jesus Cristo , (b) favor, (c) gratidão, obrigado, (d) um favor, bondade.

Léxico Grego de Thayer:

2. boa vontade, bondade, favor 

[…] χάρις é usado com referência à bondade de um mestre para com seus inferiores ou servos, e especialmente de Deus para com os homens:  ερίσκειν χάριν παρά τ ΘεLucas 1:30.

[…]

Além disso, a palavra χάρις contém a idéia de bondade que confere a alguém o que ele não mereceuRomanos 11: 6;

[…] os escritores do NT usam χάρις preeminentemente dessa bondade pela qual Deus concede: favorece até os que não merecem, e concede aos pecadores o perdão de suas ofensas e pede que aceitem a salvação eterna por meio de Cristo: Romanos 3:24 ; Romanos 5:17, 20 e seguintes; 1 Coríntios 15:10; Gálatas 1:15; Gálatas 2:21 ; Efésios 1: 6; f; Filipenses 1:7 ; Colossenses 1:6; 2 Tessalonicenses 2:16 ; 1 Timóteo 1:14 ; 2 Timóteo 1:9 ; Hebreus 2:9.

[…]

χάρις é usado “com relação à bondade misericordiosa pela qual Deus, exercendo sua santa influência sobre as almas, as converte a Cristo, guarda, fortalece, aumenta-as na fé, conhecimento, afeto e afeições cristãs, e as acende ao exercício das virtudes cristãs”: 2 Coríntios 4:15 ; 2 Coríntios 6:1 ; 2 Tessalonicenses 1:12. 

The New Analytical Greek Lexicon (de Wesley J. Perschbacher):

[…] bondade, graciosidade, Lucas 4:22; […] favor gratuito especialmente manifestado por Deus para com o homem no esquema do Evangelho, graça, Atos 15:11; Rom. 3:24; 5:15.

Lexico Griego-Español Del Nuevo Testamento (de Alfred E. Tuggy):

χάρις, ιτος. Graça, bondade, estima e misericórdia, favor, bênção, presente, obrigado.

[…]

N.T. [Novo Testamento] A) Graça: Lc. 4:22; Colossenses 4: 6.
B) Graça, bondade, misericórdia, estima, favor, expressão de bondade. 1) O que um dá ao outro:
Lc. 2:40; At 14:26; At 15:11; At 15:40; Ro. 3:24; Ro. 4:4; Ro. 4:16; Ro. 5:15; Ro. 5: 20-21; Ro. 6:1; Ro. 11: 5-6; 2 Coríntios 8: 9; Ga. 1:15; Ef. 1: 6-7; Ef. 2: 5; Ef. 2:7-8; 2 Ts. 1:12; 2 Ts. 2:16; 1 Ti. 1:14; 2 Ti 1: 9; Tit. 2:11; Tit. 3: 7; He 2: 9; He 4:16.

2) O que um recebe do outro: Lc. 1:30; Lc. 2:52; Lc. 6:32; At  2:47; At  4:33; At  7:10; At  7:46; He 4:16; 1 P. 2:19–20.

3) No sentido da graça ou favor divino, usado no início e no final das Epístolas: Ro. 1:7; Ro. 16:20; 1 Coríntios 1: 3; 1 Coríntios 16:23; 2 Co. 1:2; 2 Coríntios 13:13; Ga. 1:3; Ga. 6:18; Ef. 1:2; Ef. 6:24; Fil. 1: 2; Fil. 4:23; Col. 1: 2; 4:18; 1 Ts. 1: 1; 1 Ts. 5:28; 2 Ts. 1: 2; 2 Ts. 3:18; 1 Ti. 1: 2; 1 Ti. 6:21; 2 Ti. 1: 2; 2 Ti 4:22; Tit. 1: 4; Tit. 3:15; Flm. 3; Flm. 25; He 13:25; 1 P. 1: 2; 2 P. 1: 2; 2 Jo. 3; Ap 1:4; Ap 22:21.

Manual Abbott-Smith - Léxico Grego do Novo Testamento:

χάρις , -ιτος, acc, χάριν

(χάριτα em Atos 24:27 , Juízes 1: 4; v. WH, App., 157),

[em LXX principalmente para H2580;]

1. objetivamente, aquilo que causa consideração favorável, graciosidade, graça, beleza de forma, graça de fala (cf. Eclesiastes 10:12Sirach [Eclesiástico] 21:16, al.): Colossenses 4:6λόγοι τ . χάριτος (gen. qual.), Lucas 4:22 .

2. Subjetivamente,
(a) por parte do doador, graça, graça, bondade, boa vontade, favor

Diccionário Conciso Griego – Espanhol del Nuevo Testamento (Elsa Tamez e Irene Foulkes):

χάρις, ιτος
Chárisitos f graçabondade, misericórdia, estima ... manifestação especial da presença de Deus (i. e. Sua atividade, poder ou glória); favorexpressão de bondade ...

Portanto, a ideia de “bondade” está intrínseca no vocábulo grego kháris, permitindo que tal vocábulo seja vertido assim nas traduções da Bíblia. Mas, que dizer do qualificativo “imerecido” para o vocábulo “bondade”, formando a expressão “bondade imerecida”? Há base para se usar esta expressão como tradução de kháris? O próximo artigo analisará esta questão.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.



Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org




sexta-feira, 24 de abril de 2020

1 João 2:13 e 14 se refere a Deus ou a Jesus Cristo?

Fonte: jw.org


Um leitor escreveu:

Olá, irmão! Você poderia me ajudar nesta questão inquietante. Em 1 João 2:13, 14, fala-se de quem “existia desde o princípio”. Refere-se a Jeová ou a Jesus?

Como o texto grego pode apoiar uma resposta favorável a esse respeito?

Obrigado pela sua atenção.

Resposta:

Observe como a primeira frase de 1 João 2:13 está em grego:

γράφω ὑμῖν, πατέρες, ὅτι ἐγνώκατε τὸν ἀπ' ἀρχῆς.
Gráfo hymîn, patéres, hóti egnókate tòn ap’ arkhês.
Escrevo a vocês, pais, porque conhecem aquele [que existe] desde o princípio.

A expressão grega em apreço é esta: tòn ap’ arkhês. Ela é composta do artigo masculino ho no caso acusativo (tòn); da preposição π(apó), que traz à atenção, neste caso, a origem de uma causa; e do substantivo ρχή (arkhé) no genitivo (arkhês). As traduções em geral vertem por “aquele que é desde o princípio” (ACF, ARC, ARC 1969, ARIB, NVI), “aquele que existe desde o princípio (ARA, NAA, OL, SBB, AM), e “aquele que existia desde o princípio” (NVT).

À base do exposto acima, tal expressão não poderia se referir a Jeová, a respeito de quem a Bíblia afirmou: “De eternidade [passada] a eternidade [futura], tu és Deus.” (Salmo 90:2) Logo, essa expressão de 1 João 2:13, 14 deve se referir a Jesus Cristo em sua existência pré-humana.

A respeito dessa passagem, o ministro metodista Joseph Benson afirmou: “Cristo, que é desde o princípio, 1 João 1: 1.” E João Calvino declarou: “Ele diz que Cristo era desde o princípio.”

Ademais, o contexto demonstra que a referência é a Jesus Cristo. Lemos no versículo anterior: “Eu lhes escrevo, filhinhos, porque os seus pecados foram perdoados por causa do nome dele.”  Por causa do nome de quem? Observe o que dizem os textos abaixo:

Em seu nome [o de Jesus], se pregaria arrependimento para o perdão de pecados em todas as nações, começando por Jerusalém.” – Lucas 24:47.

“Além disso, não há salvação em mais ninguém, pois não há outro nome debaixo do céu, que tenha sido dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos.” – Atos 4:12.

“É dele que todos os profetas dão testemunho, de que todo aquele que deposita fé nele recebe perdão de pecados por meio do seu nome.” – Atos 10:43.

Além disso, note como o apóstolo João inicia esta sua primeira carta:

O que era desde o princípio, que ouvimos, que vimos com os nossos olhos, que observamos e que nossas mãos apalparam, com respeito à palavra da vida (sim, a vida foi revelada, e nós vimos, e estamos dando testemunho e relatando a vocês a vida eterna que estava com o Pai e nos foi revelada.” – 1 João 1:1, 2.

A expressão “O que era desde o princípio” é ligeiramente diferente da usada em 1 João 2:13, 14. Trata-se da expressão  ν π' ρχς (Ho en ap’ arkhês), pois contém o verbo eimí (“sou”) na declinação en (“era”). O verbo “ser” parece estar implícito em 1 João 2:13, 14. Tanto que as traduções em geral suprem quer o verbo “ser” quer o verbo “existir” nessa passagem.

Por conseguinte, 1 João 2:13, 14 deve ser uma referência a Jesus Cristo em sua existência pré-humana.


Explicação das siglas usadas:

ACF: Almeida Corrigida e Revisada Fiel.
AM: Ave Maria (tradução católica).
ARA: Almeida Revista e Atualizada.
ARC: Almeida Revista e Corrigida.
ARIB: Almeida Revisada Imprensa Bíblica.
NAA: Nova Almeida Atualizada.
NVI: Nova Versão Internacional.
NVT: Nova Versão Transformadora.
OL: O Livro.
SBB: Bíblia da Sociedade Bíblica Britânica.


Referências:


Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/>.

The Online Greek Bible. Disponível em: <http://www.greekbible.com/index.php>.





terça-feira, 21 de abril de 2020

Por que a Vulgata usa a palavra “chifres” com relação a Moisés? – Parte 3 (Final)



Os dois artigos anteriores reuniram prova linguística e contextual de que a tradução latina conhecida como Vulgata verteu de forma incorreta a passagem de Êxodo 34:29-35, ao traduzir de forma a afirmar que Moisés tinha “chifres” quando desceu do monte Sinai. Para ler os artigos anteriores desta série clique nos temas abaixo:



Este artigo examinará mais a fundo o motivo de Jerônimo ter traduzido esse texto de tal forma. E, por último, examinará os argumentos usados pelos que pretender defender a Vulgata nesta forma de traduzir.

Origem da ideia de chifres

Willibaldo Ruppenthal Neto[1], graduado em História pela Universidade Federal do Paraná e Bacharel em Teologia pelas Faculdades Batista do Paraná, Brasil, em sua dissertação de Mestrado do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal do Paraná (UFPR), traz à tona uma possível explicação do porquê Jerônimo teria traduzido qarán por “chifres”. Observe o que Willibaldo escreveu sobre o que ocorreu antes do tempo de Jerônimo:

… algumas interpretações posteriores, tanto de vertentes judaicas rabínicas como outras helenísticas, perceberam nestes textos (principalmente Exodo 7:1) uma afirmação da divinização de Moises. […] Mas, como estas interpretações foram tão longe? Como chegaram a uma interpretação desse texto tão literal? A explicação para tais afirmações é a conexão destes textos com outro, muito mais problemático, de Êxodo 34.29-30. – Negrito acrescentado.

Willibaldo comenta que “a interpretação de Moisés portando chifres é ‘compartilhada por uma corrente dentro da tradição judaica’”. O autor da referida dissertação afirma sobre isso:

Nesta tradição judaica, portanto, de modo muito diferente da perspectiva cristã tradicional, os chifres possuem um caráter bastante positivo, elevando Moisés, de modo quase literal – afinal, trata-se de uma tradição judaica a respeito da subida de Moisés até o céu, primeiramente indicada por Rimon Kasher. – Negrito acrescentado.

Mas, qual é a origem dessa tradição judaica dos “chifres” de Moisés? O então mestrando disserta:

[...] seguindo a indicação de Hugo Gressmann, muitos estudiosos31 entenderam que Moisés teria uma máscara ritual, muito semelhante às máscaras das religiões primitivas. Se tais autores estiverem corretos, é bem possível (e até provável) de se pensar esta máscara tendo chifres.

[…]

Nesta perspectiva, a aparição dos chifres (Êx 34.29-30) enquanto máscara teria relação com o “véu” o qual Moisés passou a usar após o ocorrido, segundo Êxodo 34.33-35. – Negrito acrescentado.

Tendo em vista tal possível contexto histórico, Jerônimo não apenas teria feito um erro linguístico (ao trocar equivocadamente qaran por qeren), como também teria supostamente sido influenciado por uma tradição judaica não bíblica. Sobre isso, afirma a retrocitada dissertação:

A ideia de que haveria uma referência a chifres brotando da cabeça de Moisés foi seguida por Jerônimo, que traduziu o termo valendo-se da palavra latina “cornuta10, o que deixou a interpretação bastante conhecida no mundo latino. Acontece, porém, que devido à percepção de algumas divindades pagãs cornudas como demônios, principalmente durante o cristianismo primitivo (especialmente o deus Pã)11, além de uma tradição de conexão entre Satanás e o bode, que remonta ao texto de Levítico 1612, pode-se dizer que ter chifres não é considerado algo bom para os cristãos. Não foi à toa, portanto, que a tradução de Jerônimo serviu como fonte de inspiração para representações de caráter antissemítico ao longo da história. – Negrito acrescentado.

Conforme mostrou o autor acima, a tradução de Jerônimo no tocante ao relato de Êxodo 34:29-35, além de relacionar Moisés com divindades pagãs, também estimulou a ação do antissemitismo, que é o preconceito contra qualquer pessoa de origem semita (árabes, assírios, judeus etc.), mas principalmente cometido contra os judeus, em sentido étnico, religioso ou cultural.

As objeções à tradução de qaran por “resplandecer”

O leitor que trouxe a questão examinada nesta série de artigos comentou que algumas pessoas objetam à tradução de quaran por “resplandecer”, “brilhar”, “reluzir” etc., afirmando que “não há outro texto na Bíblia em que a palavra Qarán signifique ‘raios’ ou ‘esplendor’”.

Primeiro, não há necessidade de haver outros usos de uma palavra para determinar seu sentido em uma passagem bíblica. Isto porque há palavras que ocorrem na Bíblia apenas uma vez. E mesmo assim, via de regra, é possível entender o sentido dela por meio do contexto. Assim, é o contexto que deve determinar o sentido de uma palavra.

Além disso, o referido leitor mencionou que os que objetam ao sentido de qaran como “brilhar” mencionam que, se Êxodo 34 tivesse o sentido de “brilhar”, a palavra usada seria chashmal. Contudo, esse vocábulo também ocorre somente em Ezequiel 1:4, 27; 8:2.  De acordo com Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong esse vocábulo (de referência 2830) é um substantivo masculino “de derivação incerta”; refere-se a uma substância brilhante, âmbar ou electro ou bronze (incerto)”. Não temos outra passagem bíblica para determinar o seu sentido; apenas o contexto. Isto argumenta contra a afirmação anterior dos perpetradores da tradução que usa “chifres” para Moisés. Assim como se afirmou que “não há outro texto na Bíblia em que a palavra Qarán signifique ‘raios’ ou ‘esplendor’”, de modo semelhante não há outro texto na Bíblia que usa chashmal. Porém, assim como no caso de qaran, o contexto nos ajuda a determinar o sentido de chashmal no livro de Ezequiel.

Outra objeção foi a de que “essas explicações [de qaran como “reluzir”, “resplandecer”] não suportam nenhuma análise linguística. Se o autor realmente quisesse falar sobre luz ou esplendor, ele teria usado a palavra Or (אור), ‘luz’ (Gên. 1:3) ou a palavra Jashmál (חשמל) ‘esplendor’ (Ezeq. 1:4). Este não é o caso”. Sem querer ofender, mas o fato é que essa objeção chega a ser infantil. Pois uma palavra pode ter vários sentidos, sem ser necessário usar uma palavra especifica para cada sentido.

Tendo presente que a Septuaginta usou o verbo doxázo, podemos exemplificar com a substantivo δόξα (dóxa), que pode significar “glória” no sentido físico, com a ideia de “brilho, radiância, esplendor” (Lucas 9:31; Atos 22:11; 1 Coríntios 15:40), como também “glória” num sentido figurado, de “fama, honra, prestígio”. – João 5:41, 44; 8:54; 12:43; Romanos 3:23; 1 Tessalonicenses 2:6, 20.

E no caso do vocábulo chashmal, o contexto indica que chashmal não se refere primariamente ao brilho, e sim a um possível metal que, por consequência, possui brilho. Por outro lado, o rosto de Moisés não se tornou de metal reluzente. Logo, não pareceria mesmo apropriado o escritor de Êxodo ter usado chashmal para descrever a luminosidade do rosto de Moisés.

Conclusão

As evidências tanto linguísticas quanto contextuais indicam que a tradução correta de Êxodo 34:29-35 é a que indica que o rosto de Moisés estava reluzindo, emitindo raios de luz, por ocasião de quando ele desceu do monte Sinai com as tábuas de pedra do Testemunho.


Nota:

[1] NETO, Willibaldo Ruppenthal. Os chifres de Moisés: um estudo sobre Êxodo 34.29-30. Disponível em: <http://revista.fuv.edu.br/index.php/reflexus/article/viewFile/441/417>.


Referências:

Atos 22. Bíblia Online. Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/acf/atos/22>.

 

Bible Lexicons. Old Testament Hebrew Lexical Dictionary. Disponível em: <https://www.studylight.org/lexicons/hebrew/7160.html>.


Bíblia Comentada. Disponível em: <https://bibliacomentada.com.br/biblia/exodo-capitulo-34-versiculo-29-comentado-por-versiculo.html>.

Bíblia em Hebraico Transliterado. Disponível em: <http://www.hebraico.pro.br/r/biblia/>.

Chifre (buzina). Estudo Perspicaz das Escrituras. Volume 1, p. 496. ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADOS. Rodovia SP-141, km 43 Cesário Lange, SP 18285-901, Brasil.

2830. chashmal. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/hebrew/2830.htm>.

2768. keras. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/greek/2768.htm>.

Êxodo 34:29. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/exodus/34-29.htm>.

______. Bíblia Mensagem de Deus. Disponível em: <https://books.google.com.br/>.

Êxodo 34. Douay-Rheims. Bíblia Online. Disponível em: < Disponível em: <https://www.bibliaonline.com.br/dour/ex/34>.

______. Septuaginta. Disponível em: <https://www.academic-bible.com/>.

Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. © 2002. Sociedade Bíblica do Brasil. SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. Av. Ceci, 706 – Tamboré. Barueri, SP – CEP 06460-120. Cx. Postal 330 – CEP 06453-970.

Liber Exodus, 34. Bíblia Católica Online. Disponível em: <https://www.bibliacatolica.com.br/vulgata-latina/liber-exodus/34/#.VHMr-NLF_kU]>.

1391. doxa. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/greek/1391.htm>.

Moisés tinha chifres?????? Flecha Polida. 6 de jun. de 2018. - Teologia. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=NZeYf4R-yzk>.

O que é antissemitismo? Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-antissemitismo.htm>.


2 Coríntios 3:10. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/text/2_corinthians/3-10.htm 3799. opsis. Bible Hub. https://biblehub.com/greek/3799.htm>.

2 Coríntios 3:7. The Online Greek Bible. Disponível em: <http://www.greekbible.com/index.php>.

7160. qaran. Bible Hub. Disponível em: <https://biblehub.com/hebrew/7160.htm>.

______. Lexicon Strong's. Disponível em: <https://www.blueletterbible.org/lang/lexicon/lexicon.cfm?t=asv&strongs=h7160>.

The Latin Vulgate Old Testament Bible. Disponível em: <http://vulgate.org/ot/exodus_34.htm>.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org





Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *