Image Map











domingo, 18 de outubro de 2020

A palavra “primogênito” significa sempre o primeiro nascido?


Fonte: jw.org

Etimologicamente, a palavra “primogênito” tem o sentido de “primeiro nascido”. Está sempre ligada a nascimento, a ter um começo. Um site de etimologia (estudo da origem das palavras) explicou: “Esta palavra latina vem de uma fonte Indo-Europeia [o idioma grego] gen- ou gnê-, ‘gerar, engendrar, fazer nascer’.” O referido site passou a mostrar que os termos cognatos estão ligados a origem e a princípio, ou começo. Observe as palavras relacionadas:

GÊNESE – o começo de tudo. Pelo menos na Bíblia. Em Grego, genesis queria dizer “criação, força produtiva, origem”, de genos, “nascimento, família, raça”, da raiz Indo-Europeia acima citada.

GENITOR – em Latim,  genitor e genitrix queriam dizer “pai” e “mãe”, ou seja, “aqueles que geram”.

 progenitura é a “geração, a descendência”.  É interessante observar que hoje em dia progenitor se usa para os pais, quando na origem designava avós ou antepassados mais distantes. Era formada por pro-, “à frente, antes”, mais genitor.

PRIMOGÊNITO – de primus, “primeiro, o que veio antes de todos”, mais genitus, “nascido, gerado”.  

GENITAL – do Latim genitalis, “relativo à geração”.  Aplicou-se aos órgãos reprodutivos em geral.

GENITIVO – esta palavra quase só é conhecida de quem estuda Latim ou outros idiomas com declinações, como o Alemão. Em Gramática, quer dizer “o que marca a origem”.

GENTE – vem do Latim gens, “raça, clã, família em sentido amplo, família nobre”.  O sentido mudou e agora ela designa “número indeterminado de pessoas, pessoas com interesses semelhantes”.

GERME, GERMINAR – do Latim germen, derivado de gen-men, “broto, crescimento, descendência”.  Em Latim, germinanus, “o que é da mesma descendência, irmão”, passou a germanus. Em Português, “germano” se usa para designar os irmãos que têm o mesmo pai e a mesma mãe. Também porta o significado de “puro, verdadeiro, sem mistura”. Em Espanhol passou a hermano, “irmão”. Note-se bem que esta palavra nada tem a ver com sua homófona e homógrafa  germano, usado como sinônimo de “alemão”. Esta foi usada primeiramente por Júlio César ao descrever suas andanças pela Gália, talvez em referência a uma tribo específica que encontrou pelo caminho.  Provavelmente tem origem céltica, querendo dizer “barulhento”.

GÊNERO – do Latim genus, “raça, extração”.

DEGENERAR –  “corromper-se, perder as qualidades essenciais”,  do genus acima citado.

GENEROSO – originalmente “de bom nascimento, de família nobre”, fixou o sentido no aspecto de “aquele que reparte com largueza”, o que devia acontecer bastante.

REGENERAR – de regenerare, formado por re, “de novo, outra vez”, mais generare, “gerar”, queria dizer “fazer viver novamente”. Uma pessoa que regenera seus hábitos e deixa de lado uma carreira criminosa ou o uso de drogas é como se tivesse nascido de novo.

GÊNIO – de genius. Tratava-se, segundo os romanos, de uma divindade particular de cada pessoa, nascida com ela, que sobre ela velava e que com ela desaparecia. […] Ao gênio individual se atribuíam certas capacidades proféticas. Lá pelo século XVII o adjetivo genial passou a ter o significado de “talento ou inteligência inatos”. [Lembrando que “inato” refere-se a algo que pertence ao ser desde o seu nascimento.]

ENGENHO, ENGENHOSIDADE – de ingenium, “qualidades inatas”, ingeniosus, “o que tem naturalmente todas as qualidades de inteligência”.

[…]

INDÍGENA – de in-, “em”, mais genitus: “gerado no lugar, nascido dentro do país”.[1]

Observe que os termos relacionados estão ligados a “começo”, “nascimento”, “nascer”, ao ato de “gerar”, “geração”, “descendência”, “fazer viver”, “inato”. Porém, os teólogos trinitaristas defendem um sentido não relacionado com a etimologia, o de “preeminente”, que tem o sentido de alguém “que ocupa lugar mais elevado; eminente, superior” (Dicionário Michaelis)[2]. O artigo “O que significa o termo ‘primogênito’ em Colossenses 1:15?” fez o seguinte comentário a respeito da obra The Expositor's Greek Testament (“Testamento Grego do Expositor”):

OBS: O autor cita também em seus comentários que a palavra [“primogênito” (Protótokos) pode ter o significado apenas de “domínio” ou “soberania”, ou seja, Cristo teria primazia ou seria preeminente porque é o governante sobre toda a criação e não que ele seria a primeira criatura. Essa parece ser a conclusão do autor e em apoio cita outros comentaristas bíblicos que dão suporte a essa conclusão.  Mesmo assim, o autor não é dogmático sobre o assunto e deixa a discussão em aberto ao dizer: “Se a palavra retém algo de seu significado original [prioridade temporal ou primeiro filho] aqui é duvidoso.” 

A respeito dessa posição da supracitada obra, um leitor fez o seguinte comentário:

Ele faz esta ressalva porque é trinitário; aí se contenta em citar outros trinitários com a mesma opinião.

“Além da primeira definição de ‘primogênito’ como sendo o mais velho, o link mostra que a palavra pode ter o significado de apenas “preeminência” (Greek Lexicon de Thayer).”

E o autor trinitário faz isso pensando justamente nas implicações de Colossenses 1:16.

Agora, irmãos que me leem, eu sou da opinião de que, aparentemente, “primogênito” sempre tem o sentido de prioridade temporal, mesmo nas supostas exceções que eles arrumam.

[…] mencionam Israel, povo que Jeová chama de seu filho primogênito. [Êxodo 4:22] Ora, embora Israel não seja o primeiro povo a surgir na Terra, é sim o primeiro povo ou nação escolhida por Deus e separada para o serviço sagrado de Jeová.

O caso mais difícil talvez seja o de Efraim. Segundo a profecia de Jeremias (31:9), primeiro cabe notar que a passagem parece ser um caso de paralelismo, onde a frase posterior repete a ideia da anterior. Neste caso, Efraim seria uma metonímia ou sinédoque para representar todo o Israel através dele, Efraim. (Convém notar que hoje se usa JUDEUS, quer dizer, da tribo de JUDÁ, para representar todos os israelitas; é a mesma situação.) Mas, prestemos atenção do que fala a profecia dentro de seu contexto: o profeta está falando sobre a libertação de seu povo (Jeremias 31:7,8, 10-12). A referência é a de que o Pai restauraria Israel; a tribo de Efraim ocuparia o papel de primogênito porque a restauração começaria primeiro por Efraim.

Pensando em Jacó e Esaú, Jacó comprou os direitos ou privilégios de primogenitura de seu irmão mais velho, mas isto não muda o fato de que o primogênito de Isaque era Esaú. Ele apenas não recebeu seus privilégios disso. Jacó não é abertamente chamado de “o primogênito de Isaque”; se é, me mostrem a referência bíblica disso. Os primogênitos indignos podiam perder sua herança, que era passada a outro filho, mas nada muda o fato de que foram o primeiro filho varão de seu pai.

O que é primogênito da morte (Jó 18:13)? Poeticamente, é a doença que mata primeiro. A morte tem vários filhos, entre elas, a doença. A doença primordial é a mais mortal, causando a morte precoce. Eis a filha mais velha e mais querida de sua mãe.

Voltando a Cristo, trocar o sentido de primogênito para preeminente apenas indicaria que o Filho de Deus é a criação mais preeminente. Existe um problema difícil para o trinitário desatar aqui, que é de que “o primogênito dos animais” tem de ser ele mesmo um animal. É complicado que o primogênito de uma classe esteja fora dela, que é o caso que querem inventar aqui, que o primogênito da criação de Deus seja o Criador!

O livro “Raciocínios à Base das Escrituras” sabiamente faz questão de chamar a atenção de que o termo “primogênito” nunca é usado para Deus, nem para o espírito santo. E, como os trinitários também atribuem a função de Criador para o Pai e o Espírito, não haveria problema algum em chamar a estes de “primogênito” também. Mas, o que se observa é que o termo não pode ser desvinculado do fator filiação. Como Jeová não é filho de nada ou de ninguém, não tem como ser primogênito de nada; ele não tem pai ou genitor, é ingênito e eterno, por mais que seja o mais preeminente deste e de todos os universos, tal termo nunca poderia se aplicar aquele que não foi gerado.

[Fim do comentário do referido leitor.]

O artigo “Jesus é oCriador ou um Ser criado? – Exame de Colossenses 1:15-20” fez uma ponderada colocação sobre a menção de Jesus Cristo como “primogênito”:

Quando a palavra “primogênito” não se aplica ao primeiro, isto se deve ao fato de que o primeiro perdeu seu direito à primogenitura, e outro da mesma família assumiu o seu lugar. (1 Crônicas 5:1; Jeremias 31:9) Portanto, seguindo esta regra bíblica, se Jesus não fosse o primogênito no sentido de ser o primeiro filho ou o primeiro nascido de Deus, isto significaria que Deus criou outro antes de Jesus, e que este outro perdeu seu direito à primogenitura, sendo necessário Jesus ter assumido o seu lugar. Assim, imagine as implicações de se negar que Jesus é a primeira criação de Deus!

Portanto, é inegável o fato de que o termo “primogênito de toda a criação”, aplicado a Jesus, indica que ele é a primeira criação de Jeová Deus.




Notas:
[1]  Primogênito. Origem da Palavra. Disponível em: < https://origemdapalavra.com.br/palavras/primogenito/>.

[2] Preeminente. Dicionário Michaelis. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/busca?id=D9Y9X>.



A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová.


Contato: oapologistadaverdade@gmail.com

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org






Nenhum comentário:

Postar um comentário


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *