Image Map











quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Hebreus 1:5 prova que Jesus não é o arcanjo Miguel?



Fonte da ilustração: jw.org


Este site recebeu a seguinte questão:

Olá, irmão apologista. Gostaria de entender um ponto que muitas vezes é usado como prova de que Jesus não é Miguel. Hebreus 1:5: “Por exemplo, a qual dos anjos Deus disse alguma vez: ‘Você é meu filho; hoje eu me tornei seu pai’? E novamente: ‘Eu me tornarei seu pai e ele se tornará meu filho’?”
Um abraço! 

Resposta:

Em Hebreus 1:5, o apóstolo Paulo faz citação do Salmo 2:7 e de 2 Samuel 7:14, conforme transcritos abaixo:

“Proclamarei o decreto de Jeová; Ele me disse: ‘Você é meu filho; Hoje eu me tornei seu pai.’” – Salmo 2:7.

“Eu me tornarei seu pai e ele se tornará meu filho.” – 2 Samuel 7:14a.

Vejamos como os escritores inspirados aplicaram o cumprimento dessas passagens a Jesus Cristo:

“Deus a cumpriu plenamente para nós, os filhos, ressuscitando Jesus, como está escrito no segundo salmo: ‘Você é meu filho; hoje eu me tornei seu pai.’” – Atos 13:33.

Jesus foi ressuscitado como poderosa pessoa espiritual imortal. Os anjos, embora possuam vida eterna, podem ser destruídos. Não são imortais. Assim, visto que as palavras do Salmo 2:7 se cumpriram com a ressurreição de Jesus, elas não poderiam mesmo ser ditas aos anjos, que são aludidos como “filhos de Deus”, mas não foram imortalizados. – Salmo 89:6.

Na Terra, Jesus foi declarado pelo Pai como sendo Filho de Deus. Isto ocorreu por ocasião de sua unção com o espírito santo após seu batismo. Nessa ocasião, Jesus foi gerado como filho espiritual de Deus, embora já fosse filho humano perfeito de Deus desde o seu nascimento. Os anjos não passaram por nenhuma dessas experiências.

“E uma voz saiu dos céus: ‘Você é meu Filho, o amado; eu o aprovo.’” – Marcos 1:11.

Outra ocasião em que Jesus foi declarado Filho de Deus pelo seu Pai foi em sua transfiguração:

“Então uma voz saiu da nuvem, dizendo: Este é meu Filho, aquele que foi escolhido. Escutem-no.’” – Lucas 9:35.

“Pois ele recebeu honra e glória da parte de Deus, o Pai, quando estas palavras lhe foram transmitidas pela glória magnífica: ‘Este é meu Filho, meu amado, a quem eu aprovo.’” – 2 Pedro 1:17.

Isto estava relacionado com a vinda de Jesus como Rei do Reino de Deus, algo também não aplicável aos anjos.

Assim, o contexto bíblico deixa evidente por que as declarações do Salmo 2:7 e de 2 Samuel 7:14a não seriam dirigidas aos anjos.

Mas, isto significa que Jesus não seja o arcanjo Miguel?

Não. Primeiro, porque são claras as evidências bíblicas sobre a identificação do arcanjo Miguel com o Senhor Jesus Cristo. Em comprovação disso, veja os seguintes artigos:


Segundo, porque o capítulo 1 de Hebreus não diz que Jesus não é um anjo. As palavras hebraica e grega vertidas por “anjo” significam literalmente “mensageiro” e não são aplicadas apenas a seres espirituais. Por exemplo, João Batista foi chamado de “mensageiro” (ἄγγελόν; aggelón) em Mateus 11:10:

“Esse é aquele a respeito de quem se escreveu: ‘Veja! Enviarei o meu mensageiro [“anjo”] na sua frente, o qual preparará o seu caminho adiante de você!”

É amplamente reconhecido pelos teólogos da cristandade que o “anjo de Jeová” que guiou os israelitas no deserto rumo à Terra Prometida é o Senhor Jesus Cristo. – Veja o artigo “Quem éo anjo de Jeová?”

É também reconhecido pelos teólogos da cristandade que o “anjo” de Apocalipse 10:1 também é o Senhor Jesus Cristo:

“Eu vi outro anjo forte descer do céu vestido com uma nuvem; havia um arco-íris sobre a sua cabeça, o seu rosto era como o sol, as suas pernas eram como colunas de fogo.” – Apocalipse 10:1.

Veja o comentário abaixo:


Texto realçado: “Esse anjo, retratado em todo o seu esplendor e poder, é uma representação viva (embaixador) do próprio Cristo ressuscitado e triunfante. - KJ Atualizada


Também, vale lembrar que o texto grego bíblico é elíptico, deixando muitas expressões subentendidas.

Veja um exemplo disso em Atos 5:29:

“Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.” – Almeida Corrigida e Revisada Fiel.

Observe que Pedro é colocado à parte dos apóstolos. Se fôssemos entender isso literalmente, entenderíamos que Pedro não era apóstolo. Porém, isso iria contra outras passagens das Escrituras, que tornam claro que Pedro era apóstolo de Cristo:

“Pedro, apóstolo de Jesus Cristo.” – 1 Pedro 1:1.

“Os nomes dos 12 apóstolos são estes: primeiro, Simão, o chamado Pedro.” – Mateus 10:2.

Do mesmo modo, as Escrituras aplicam o termo “anjo” ao Senhor Jesus Cristo. Assim, o entendimento de Hebreus 1:5 teria o sentido de ‘a qual dos [outros] anjos Deus disse alguma vez’.

Por ser o primeiro Filho espiritual de Deus, e após ter recebido imortalidade pela ressurreição, Jesus não era um anjo como os demais. Além disso, ele é o “arcanjo” (anjo principal). Portanto, tanto em sua hierarquia quanto em seu corpo espiritual imortal Jesus se distingue dos demais anjos.


A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová.




Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org



2 comentários:

  1. Prezado apologista, como vai?
    Me restou uma dúvida: o texto não estaria dizendo que Deus não chamou nenhum anjo de filho?
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Janderson:

      Não seria este o caso, pois os anjos são chamados de “filhos de Deus” na Bíblia, em Jó 1:6; 2:1, 2; 38:4-7 e no Salmo 89:6.

      Excluir


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *