Pular para o conteúdo principal

João 13:3 prova que a tradução “um deus” em João 1:1 está errada?

 


Foi apresentado a este site um argumento trinitário visando desaprovar a tradução “um deus” em João 1:1, quando o substantivo anartro (sem artigo) theós se refere ao Verbo (a Palavra), Jesus Cristo, em sua existência pré-humana. O referido argumento consiste no seguinte: 

Em João 13:3 há um caso semelhante à construção João 1:1. Nessa passagem de João 13:3, o vocábulo Deus também ocorre duas vezes, primeiro sem o artigo (o) e, na segunda ocorrência, com o artigo. Assim (continua o argumento), usando as regras gramaticais dos tradutores que usam em João 1:1 a expressão “um deus”, João 13:3 deveria ser traduzido deste modo: “Ele [no caso, Jesus Cristo], sabendo que o Pai dera todas as coisas nas suas mãos e que procedera de um deus e ia para o Deus.”

 

Resposta: 

Vejamos como João 1:1 está traduzido na Tradução do Novo Mundo Com Referências: “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus [tòn theòn, com artigo], e a Palavra era um deus [theós, sem artigo].” 

Agora, vejamos como a mesma tradução verte João 13:3: “Ele, sabendo que o Pai dera todas as coisas nas suas mãos, e que procedera de Deus [theoû, sem artigo] e ia para Deus [tòn theòn, com artigo]. 

De acordo com o dito argumento, assim como o theós anartro (sem artigo) em João 1:1 foi vertido por “um deus”, o mesmo deveria ser feito com o theós anartro em João 13:3. 

Ausência de artigo não indica necessariamente indefinição 

A falha gritante desse argumento é que ele parte da premissa de que um substantivo anartro tem de ser necessariamente indefinido, e isto não é verdade. É o contexto que determina se um substantivo anartro é indefinido ou não. Portanto, todas as traduções que vertem o substantivo anartro theós em João 1:1 como sendo indefinido (“um deus”) não se baseiam na gramática, pois não é a gramática que determina isso e, sim, o contexto. Do mesmo modo, as traduções que vertem o substantivo anartro theós em João 1:1 como sendo definido (“Deus”) também não se baseiam na gramática. Ambas as formas de traduzir não se baseiam na gramática, e sim na interpretação dos tradutores do que entendem que o contexto está indicando. A gramática não consegue determinar a definição ou a indefinição de um substantivo anartro. 

Para comprovar este fato simples, veja o artigo “João 1:1 e a regra de Colwell (Parte 1)”. 

Então, qual foi o entendimento contextual que levou os tradutores da Tradução do Novo Mundo a verterem o substantivo anartro theós em João 1:1 como sendo indefinido (“um deus”)? 

Por que o substantivo theós sem artigo foi considerado indefinido ou qualitativo por alguns tradutores 

Se, neste caso, a palavra “deus” fosse um substantivo definido, estaria implícito o artigo definido “o” antes de theós, dando o seguinte sentido: “O Verbo era o Deus.” No entanto, essa interpretação entraria em conflito com a frase anterior, que afirma literalmente: “O Verbo estava com o Deus.” Visto que o Verbo estava com o Deus, ele simplesmente não poderia ser o Deus! Alguém que está com alguém não poderia ser este mesmo alguém. Além disso, tal interpretação entraria em conflito com a própria doutrina da Trindade. Pois faria o Filho (o Verbo) ser o próprio Pai (o Deus com quem ele estava). No entanto, a Trindade defende a separação de Pessoas. Ou seja, segundo a doutrina da Trindade, o Pai não é o Filho, mas é uma Pessoa distinta dele.

Este raciocínio à base do contexto imediato já seria suficiente para os tradutores entenderem que o theós anartro em João 1:1 aplicado ao Filho é indefinido. 

Sobre João 13:3

Outro ponto a considerar é que João 13:3 NÃO apresenta um caso semelhante – nem em sentido gramatical nem em sentido semântico.

Vejamos as partes dos dois textos em questão: 

João 1:1

  λγος ν πρς τν θεν, κα θες ν  λγος

ho lógos ên pròs tòn theón, kaì theòs em ho lógos

O Verbo estava com o Deus, e deus era o Verbo


João 13:3:

 π θεο ξλθεν κα πρς τν θεν πγει

apò theoû exêlthen kaì pròs tòn theòn hypágei

de Deus procedeu e para o Deus está indo

 

Em João 1:1 o substantivo theós (Deus, ou deus) foi usado para dois seres – o Verbo e Aquele com quem o Verbo estava. Por outro lado, em João 13:3, o substantivo theós foi usado duas vezes para se referir ao mesmo Ser: o Pai. Portanto, não são casos semelhantes. 

E o uso de theós para o Pai sem artigo não é algo incomum no texto grego bíblico. Veja os exemplos abaixo: 

“Ele [Nicodemos] veio a Jesus à noite e lhe disse: ‘Rabi, sabemos que o senhor veio como instrutor da parte de Deus [π θεο, apò theoû; sem artigo] pois ninguém pode realizar esses sinais que o senhor realiza a menos que Deus [ θες; ho theòs; com artigo] esteja com ele.” – João 3:2. 

“Agora sabemos que o senhor sabe todas as coisas e não precisa que lhe façam perguntas. Por isso acreditamos que o senhor veio de Deus [π θεο, apò theoû; sem artigo].” – João 16:30.

Mas, como já exposto acima, a ausência do artigo não implica necessariamente em indefinição do substantivo. O contexto é que irá determinar se o respectivo substantivo anartro é definido ou indefinido. 

Mesmo a presença do artigo não determina que theós deva ser traduzido com inicial maiúscula 

Observe o texto de Atos 19:39, que relata: “Porque estes homens que aqui trouxestes, nem são sacrílegos nem blasfemadores da nossa deusa.” A palavra “deusa” (theós) possui artigo definido (τν θεν; thèn theòn). Apesar de ser um substantivo definido, as traduções da Bíblia têm vertido theós com inicial minúscula. Em 2 Coríntios 4:4, Satanás é descrito como “o deus deste mundo”. A palavra theós está articulada:  θες (ho theós). Contudo, as traduções vertem este substantivo definido com inicial minúscula. Similarmente, lemos em Filipenses 3:19: “O fim deles é a destruição, o seu deus é o ventre, eles se orgulham do que deveriam se envergonhar e fixam a mente em coisas terrenas.” Neste texto, theós também tem artigo ( θες), mas a expressiva maioria das traduções verte com inicial minúscula. E tal forma de traduzir não é determinada pela gramática, e sim pelo contexto, pela interpretação do tradutor.

 

Veja também os artigos abaixo:

“O que determina que a parte final João 1:1 possa ser traduzida ‘umdeus’?”

“Por que algumas Bíblias usam ‘deus’ com inicial minúscula em João 1:1?”

“João 1:1 e a regra de Colwell (Parte 1)”

“João 1:1 e a regra de Colwell (Parte 2)”

“João 1:1 e a regra de Colwell (Parte 3)”

“A Palavra era ‘um deus’ ou ‘divina’?”

“João 1:1 na Tradução do Novo Mundo revisada”

“João 1:1 e a Septuaginta”

 

A menos que haja uma indicação, todas as citações bíblicas são da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada, publicada pelas Testemunhas de Jeová. 

 

Contato: oapologistadaverdade@gmail.com 

Os artigos deste site podem ser citados ou republicados, desde que seja citada a fonte: o site www.oapologistadaverdade.org

 


Comentários

  1. Ótimo post, irmão. Amanhã comecarei a compartilhar sua página para meus colegas

    ResponderExcluir

Postar um comentário

𝐄𝐒𝐓𝐄 É 𝐔𝐌 𝐒𝐈𝐓𝐄 𝐃𝐄 𝐍Í𝐕𝐄𝐋 𝐀𝐂𝐀𝐃Ê𝐌𝐈𝐂𝐎. 𝐀𝐎 𝐂𝐎𝐌𝐄𝐍𝐓𝐀𝐑, 𝐔𝐒𝐄 𝐋𝐈𝐍𝐆𝐔𝐀𝐆𝐄𝐌 𝐀𝐂𝐀𝐃Ê𝐌𝐈𝐂𝐀, 𝐒𝐄𝐌 𝐈𝐍𝐒𝐔𝐋𝐓𝐎𝐒, 𝐒𝐄𝐌 𝐏𝐀𝐋𝐀𝐕𝐑𝐀𝐒 𝐃𝐄 𝐁𝐀𝐈𝐗𝐎 𝐂𝐀𝐋Ã𝐎. 𝐍Ã𝐎 𝐑𝐄𝐏𝐈𝐓𝐀 𝐎𝐒 𝐀𝐑𝐆𝐔𝐌𝐄𝐍𝐓𝐎𝐒 𝐑𝐄𝐁𝐀𝐓𝐈𝐃𝐎𝐒, 𝐍Ã𝐎 𝐃𝐄𝐒𝐕𝐈𝐄 𝐃𝐎 𝐀𝐒𝐒𝐔𝐍𝐓𝐎. 𝐒𝐄 𝐄𝐒𝐓𝐀𝐒 𝐑𝐄𝐆𝐑𝐀𝐒 𝐍Ã𝐎 𝐅𝐎𝐑𝐄𝐌 𝐂𝐔𝐌𝐏𝐑𝐈𝐃𝐀𝐒, 𝐒𝐄𝐔 𝐂𝐎𝐌𝐄𝐍𝐓Á𝐑𝐈𝐎 𝐒𝐄𝐑Á 𝐑𝐄𝐏𝐑𝐎𝐕𝐀𝐃𝐎.

MAIS LIDOS

“Sinal dos pregos” no corpo de Jesus – o que indica?

Por que a ressurreição de Lázaro ocorreu no 4.º dia e a ressurreição de Jesus ocorreu no 3.º dia?

Diferença entre “criar” e “fazer”

O que é Lilith em Isaías 34:14?

O espírito volta a Deus – em que sentido? (Eclesiastes 12:7)

Quem são as “outras ovelhas”?

DIREITO OU “USURPAÇÃO”? (Filipenses 2:6)

Refutando acusações apóstatas (Parte 1)

Quanto tempo durou a escravidão dos israelitas no Egito?

Quem é o Criador – Jeová ou Jesus? (Parte 1)